sexta-feira, 29 de janeiro de 2016









 

Uma glamourosa coleção

Com o passar dos anos,  nossas “vestes” envelhecem, perdem a cor, o viço, encolhem e nos “apertam”. Os rasgos e os furos fazem parte. Ah, mas como gostaríamos que o tempo retornasse para termos novamente “vestes” novas. Que bom seria se o passado se fizesse presente e os tecidos ainda viçosos e coloridos esbanjassem as cores e os desenhos da adolescência e da juventude. Porém, o brilho vai se apagando...

Agora, mais do nunca, temos consciência que foram os “apertos” que delinearam com maestria as sinuosas curvas de nossas almas, que foram paramentadas com vestes de amor, de alegria, de paz, de longanimidade, de benignidade, de bondade, de fidelidade, de mansidão e de domínio próprio. (Gl 5.22.23) . Essa “coleção” é um clássico! Jamais sairá de moda. Nunca perderá o seu brilho e o seu glamour. Será “como a luz da aurora que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito.” (Pv 4.18).

Isabel Lima

Um comentário:


  1. Estou a tentar visitar todos os seguidores do Peregrino E Servo, e verifiquei que eu estava a seguir sem foto, por motivo de uma acção do google, tive de voltar a seguir, com outra foto. Aproveito para deixar um fraterno abraço.
    António Jesus Batalha.

    ResponderExcluir