quinta-feira, 27 de março de 2014

“AMAR É PERCEBER A NECESSIDADE DO OUTRO.”



Jesus percebia qual era a real necessidade das pessoas que conviveram com Ele: fosse família, discípulos, amigos, conhecidos ou desconhecidos. Jesus percebia as pessoas!

Jesus percebeu que a mulher samaritana necessitava de um Salvador e não do desprezo dos judeus. (Jo 4.1-42)

Jesus percebeu que a mulher adúltera necessitava de  perdão e não de julgamento dos escribas e fariseus. (Jo 8.11)

Jesus percebeu que Zaqueu, repelido pela sociedade, necessitava  vê-lO, e Ele “enxergou” Zaqueu, mas não como um “ladrão’, mas como um “filho de Abraão.” (Lc 19.1-10)

Jesus percebeu o sofrimento da viúva de Naim,   e por compaixão ressuscitou o único filho que ela havia perdido.

Jesus percebeu que o leproso necessitava de seu toque curador e não de sua distância. (Mt 8.1-4)

Jesus percebeu a sincera disposição, alegria e sacrifício da viúva pobre em doar sua oferta: duas pequenas moedas, que era tudo o que ela tinha. (Lc 21.1-4)

Jesus percebeu que a mulher com fluxo de sangue que era considerada “imunda” pela lei de Moisés necessitava de um toque purificador e restaurador. (Mt 9.18-22)

Jesus percebeu que Tomé necessitava ver e tocar os sinais dos cravos em suas mãos e no seu lado.  Jesus compreendeu Tomé e assim permitiu que ele lhe tocasse e pudesse declarar: “Senhor meu e Deus meu!. (Jo 20.20.24.31).

Jesus percebeu uma mistura de ansiedade, fé e  esperança de Maria, sua mãe,  na festa de casamento,  quando disse a Ele:“Não tem mais vinho”. Ali Ele operou o seu primeiro milagre. (Jo 2.1.12)

Jesus percebeu Pedro amedrontado ao negá-lo, e com seu meigo olhar de misericórdia e compaixão, penso eu que Ele quis dizer: “Tu  és Pedro e eu a Rocha na qual esta edificado, meu discípulo amado,  não temas! Eu não deixei de amá-lo, daqui a pouco vou morrer em uma cruz por a você e por toda humanidade.

Jesus percebeu muitas outras necessidades nas quais foram escritas e nas quais não foram escritas: “Se cada uma delas fosse escrita, cuido que nem ainda o mundo poderia conter os livros que seriam escritos.” (Jo 21.25).  Jesus percebeu e percebe o que nós não percebemos, pois, pouco amamos...

Jesus percebe que necessitamos de um coração mais nobre e piedoso, mas nos  entende e compreende, sabe que somos limitados, fragéis...,  Ele sabe que somos “transformados de gloria em glória’, porém, um dia,  chegaremos a sua estatura de varão perfeito e e saberemos amar como Ele realmente nos amou, como Ele realmente nos ama...

Jesus por muito amar percebia as necessidades das pessoas, e hoje Ele percebe as nossas necessidades e nos pergunta: “Que queres que te faça?” 

- “Senhor,  que eu perceba a necessidade de outrem.”

(Isabel Lima)



Nenhum comentário:

Postar um comentário