quarta-feira, 26 de junho de 2013

QUANTO TEMOS AMADO A JESUS?

A pergunta mais importante que Pedro teve que responder para Jesus: “Simão, filho de João, amas-me?” (Jo 21.15).  Esta mesma pergunta que Jesus dirigiu à Pedro é a grande pergunta que Ele dirige a eu e você: “Amas-me?”.

Dizer: “eu te amo Senhor”, não responde a esta pergunta, porém, há algo que responde a esta pergunta:

- Como esposas, temos sido  submissas aos nossos maridos?
“Vós, mulheres submeteu-vos a vossos maridos, com ao Senhor.” (Ef5.22)

- Como esposos, temos amado as nossas esposas?
“Vós, maridos, amai a vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela.” (Ef 5.25)- Quanto temos amado o nosso inimigo?
“ Eu, porém, vos digo: Amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem” (Mt 5.43)

- Temos servido a dois senhores: a Deus e o mundo:
“Ninguém pode servir a dois senhores.” (Mt 6.24)

- Temos julgado o nosso próximo?
“Não julgueis para que não sejais julgados.”  (Mt 7.1)

- Temos temos amado o nosso o irmão?
“Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal.” (Rm 12.10)

- Temos falado mentira?
“Pelo que deixai a mentira, e falai a verdade cada um com o seu próximo, pois somos membros uns dos outros.” (Ef 4.25)

- Temos perdoado?
“Antes sede uns para com os outros benignos, compassivos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou.” (Ef 4.32)

- Como filhos, tenho sido obedientes e  honrado os nossos pais?
“Vós, filhos, sede obedientes a vossos pais no Senhor, pois isto é justo.” (Ef6.1)

- Como pais, temos provocado a ira de nossos  filhos?
“Vós, pais, não provoqueis á irra a vossos filhos, mas criai-os na disciplina e instrução do Senhor”. (Ef 6.4

- Como servos, temos obedecido a nossos senhores:
 “Vós, servos, obedecei a vossos senhores...na sinceridade de vosso coração, como a Cristo. Não obedecei a vossos senhores apenas quando estão olhando, só para agradar a homens, mas como servos de Cristo, fazendo de coraão e vontade a Deus.” (Ef 6.5)

- Como senhores, temos ameaçado os nossos servos?
“E vos, senhores, fazei o mesmo para com eles, deixando as ameaças, sabendo também que o Senhor deles e vosso está nos céu, e que para com ele não há acepção de pessoas.” (EF6.9)

- O quanto temos obedecido a Palavra do Senhor? Quanto temos obedecido estes e outros  ensinamentos que  nos foi dado pelos Profetas por Jesus e pelos Apóstolos?

A guarda dos mandamentos bíblicos aponta a quantidade e a qualidade do amor que sentimos  por Jesus. Ele quer que o amemos de todo o nosso coração e de toda a nossa alma”. Jesus não aceita um coração divido. 

É a nossa obediência à Palavra Deus que responde a grande pergunta de Jesus: “Amas-me...?” .  “Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda, esse é o que me ama.” (Jo 14.21). Jesus sabia que Pedro o amava, por isso, humildemente, Pedro respondeu: “Sim, Senhor, tu sabes que te amo”. (Jó 21.15)   Jesus, Deus Filho Onisciente, também sabe o quanto O temos amado.  “Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda, esse é o que me ama.” (Jo 14.21)  

Fica aqui a importante pergunta de Jesus: “Amas-me?”

Isabel Lima

OS DEZ MANDAMENTOS DO CRISTÃO DIANTE DAS MANIFESTAÇÕES BRASIL AFORA

1. Manifestar-se pacificamente
Participar das manifestações,  desde que seja pacífica: “Bem aventurado os pacificadores, porque eles serão chamados filhos de Deus". (Mt 5.9)

2. Conhecer, ler, sobre os lideres das manifestações
Ler, conhecer quem são os lideres das manifestações. “Quando os ímpios sobem os homens se escondem...”. (Pv 28.28);

3. Conhecer, ler, sobre os reais objetivos das manifestações
Conhecer os ideais e a motivação dos lideres que propõem uma manifestação, para que não sermos usados por  grupos radicais. “Examinai tudo, retei o bem”. (I Ts 5.21)

4. Respeitar o seu próximo
“Amarás o teu próximo como a ti mesmo”. (Lc 22.39).  Quando tiramos o direito do outro de “ir e vir”, não estamos amando o nosso próximo como a nós mesmos. Da forma que quero ser respeitada tenho que respeitar.

5. Sujeitar-se às autoridades
Toda a pessoa esteja sujeita às autoridades superiores, pois não há autoridade que não venha de Deus.” (Rm 13.1). Razões porque devemos sujeitar-nos às autoridades:
a) As autoridades foram ordenadas por Deus. (Rm 13.1)
b) Resistir às autoridades é resistir as ordenanças de Deus, e há de se arcar com as conseqüências. (Rm 13.2)              
c) Ela é ministro (servo, servidor, serviçal) de Deus. (Rm  13.4)
d) Não somente por causa do castigo, mas também por causa da consciência para com
    Deus. (Rm 13.5).
e) Lembrar-se do exemplo de Jesus, a sujeição dever ser um ato voluntário (Mt 17.24-27; 22.15-22)

6. Reivindicar direitos, porém, com objetivos concretos
Objetivos que podem ser realizados a curto, médio ou a longo prazo, e não juntar-se a manifestantes “esquerdopatas”,  anticapitalistas e antidemocrátas,  que sonham com um Brasil socialista. “Teme ao Senhor, filho meu, e ao rei, e não te entremetas com os rebeldes”. (Pv 24.21)

7. Não ser alienado
Manifestar-se pacificamente contra tudo o que pode prejudicar o cidadão e o cristão no âmbito politico, econômico,  social e religioso: corrupção, impunidade, injustiça, Projetos de Leis antibiblico, etc.  João Batista não era alienado e denunciou  Herodes quando este possuiu a mulher de seu irmão: “Não é lícito possuí-la”. (Mt 14.4).

8. Não causar dano ao patrimônio público e privado
“Portanto, tudo o que quereis que homens vos façam, fazei-o também a ele...”. (Mt 7.12). É exatamente o que está ocorrendo em nosso País, vândalos têm causado prejuízos incalculáveis em nossas cidades e sabe quem pagará a conta? O trabalhador contribuinte.

9. Não apoiar anarquistas, vândalos, baderneiros...
Não apoiar de forma nenhuma, pessoas que se dizem revoltadas com o Governo, isso não justifica o  vandalismo que está ocorrendo, também não ser contra  policiais que  agem dentro da Lei:  “Por isso os magistrados não são terror para as boas obras, mas para as más...Ela é ministro de Deus, agente da ira para castigar o que pratica o mal”. (Rm 13.1-3,4).

10. Orar pelas Autoridades constituídas
Para que tenhamos paz, tranqüilidade: “Exorto, pois, antes de tudo que se façam súplicas, orações, intercessões e ações de graça por todos os homens, pelos reis, e por todos os que exercem autoridade, para que tenhamos uma vida tranqüila e sossegada, em toda a piedade e honestidade. (I Tm 2.1,2)

Como bem disse o Pe. Anderson Alves: “Reivindicar tudo significa o mesmo que reivindicar nada,  pois se tudo é direito, nada é direito”.

Isabel Lima

Fonte: Internet:
. Movimento Passe Livre: http://pt.wikipedia.org/wiki/Movimento_Passe_Livre. Acesso em 24/06/2013 
. Princípios cristãos para manifestações democráticas.
Acesso em 24/06/2013 
. Ativista do Movimento Passe Livre diz que não negocia trajeto de manifestação:
. Movimento Passe Livre: http://pt.wikipedia.org/wiki/Movimento_Passe_Livre. Acesso em 24/06/2013 


“PARA SE CONSTRUIR UM PAÍS MELHOR NÃO É NECESSÁRIO DESTRUIR O QUE TEMOS AGORA"

Uma manifestação é uma forma de ação de protesto. Um protesto de um coletivo de pessoas, que consiste numa concentração e/ou um desfile, em geral com cartazes e com palavras de ordem contra ou a favor de algo ou alguém. As manifestações têm o objetivo de demonstrar em geral ao poder instalado seu  descontentamento. Os tópicos das manifestações são em geral do âmbito politico, econômico e social. 

“Manifestação”  é a palavra mais usada no Brasil nestes últimos dias, pois é o que mais temos visto por toda a parte..

“As Manifestações no Brasil estão sendo organizadas por grupos de profunda inspiração marxista”. A intenção é que o atual Governo seja mais radical, pois o  intuito principal  é a mudança do sistema, pois são anticapitalistas. Manifestantes bem intencionados,  que realmente clamam por mudanças em várias áreas, tais como: política, social, econômica, educacional, saúde, etc,  são usados por esses grupos radicais. “Brigam” por um “objetivo”, mas a intenção maior e final é chegar a outros “objetivos”.

Deixam muito claro em suas reivindicações que são anticapitalistas.   Dizem que o capitalismo é “opressor”, dizem também ser contra outras formas de opressão. Escreveu uma das lideres do Movimento em São Paulo: “Tem gente que não consegue nem mobilizar dez pessoas e leva uma faixa com dizeres horríveis, como coisas contra a legalização do aborto e outras”. O Movimento se coloca contra todo tipo de preconceito (racial, sexual, gênero etc.).  “Como esses grupos radicais não ganham suficientes votos, pretendem impor suas ideias por meio da força de alguns “heróis” e pela manipulação emotiva das grandes massas.” (Pe. Anderson Alves).

Multidões de manifestações,  bem intencionado, saíram às ruas pacificamente. Em quase todas as manifestações Brasil afora,  com raras exceções, o término foi: anarquia, caos, desordem, vandalismo, violência, etc.  “Atraem muita gente que realmente se manifesta de modo pacífico; porém, em certo momento, acabam utilizando métodos violentos para sofrer uma justa resposta das ordens de segurança e se apresentarem como vítimas do Estado repressor. O objetivo é desestabilizar os governos e todos os partidos políticos, através da manipulação popular. Depois das manifestações passam a ideia de que a violência não era intencional, mas que foram pessoas “infiltradas” que a promoveram”. (Pe. Anderson Alves). Por que será que as ações de violências, principalmente, nas grandes capitais, foram tão parecidas?

"Devemos ter um espírito crítico para averiguar se os violentos são “aproveitadores” e “infiltrados” nas manifestações, ou se são os seus mesmos organizadores, que se aproveitam do apoio popular para justificar assim suas ideias e métodos”. (Pe. Anderson Alves)

A nossa Carta Magna concede o direito dos cidadãos de se manifestarem, porém, pacificamente, sem anarquia, por isso, sou totalmente contra "manifestantes" deliquentes, vândalos, desordeiros, até porque tenho duas cidadanias:

1. Sou cidadã da Terra, isto é, sou cidadã do Brasil, e   como tal tenho direitos e deveres a serem cumprido. Artigo 5 inciso XVI da Constituição Federal de 1988: todos podem reunir-se pacificamente, sem armas, em locais abertos ao público, independentemente de autorização, desde que não frustrem outra reunião anteriormente convocada para o mesmo local, sendo apenas exigido prévio aviso à autoridade;

2. Sou cidadã do céu. Sou cristã protestante, e como protestante protesto contra tudo o não está de acordo com a Palavra de Deus, principalmente a violência. 

3. E sou também Educadora, com muita honra!  O educador no processo de ensino/aprendizagem tem a função de conduzir o Educando a aprender cidadania, valores. Um cidadão de bem e um educador nunca será a favor do vandalismo, ainda que os lideres deste Movimento os trate como “pessoas pobres” e outros como “pessoas revoltados" com o Governo, como educadora digo que são “vândalos”, desordeiros e não sabem o que é cidadania, valores e nem o que representa ser cidadão em uma República democrática. 

Não sou alienada e sei muito bem o que significa a palavra “corrupção”, “impunidade”, “injustiça”, etc. Porém, sei também que “um erro não justifica o outro". Sou sim, a favor de manifestações, mas pacíficas e democráticas.  As manifestações que têm como líderes este movimento de antidemocratas estão cometendo muita desordem em nosso País. 

Todo cristão, como um bom cidadão, pode participar de uma manifestação, desde que ele saiba exercer a sua cidadania, isto é, desde que ele saiba exercer o conjunto de direitos e deveres na qual está sujeito em relação à sociedade em que vive.

Isabel Lima

Fonte: Internet:
. Movimento Passe Livre: http://pt.wikipedia.org/wiki/Movimento_Passe_Livre. Acesso em 24/06/2013 
. Princípios cristãos para manifestações democráticas.
Acesso em 24/06/2013 
. Ativista do Movimento Passe Livre diz que não negocia trajeto de manifestação:
. Movimento Passe Livre: http://pt.wikipedia.org/wiki/Movimento_Passe_Livre. Acesso em 24/06/2013