sábado, 27 de abril de 2013

PERDAS...

No dia 27/04/2013,  escrevi este texto:

"Perdi o sono, 02h48min, horrível! Por outro lado, muito bom, pois a “perda” levou-me a lembrar de um homem que sofreu perdas sobre perdas, perdas irreparáveis, porém, que no "último ato”, com Deus, saiu-se vitorioso!


Lembrei-me do Patriarca Jó! De repente, Jó perdeu tudo: perdeu os bens, perdeu os dez filhos, perdeu a saúde, perdeu o apoio psicológico da esposa, perdeu o status, perdeu a compaixão dos "amigos", etc. Minha mente finita não consegue alcançar o sofrimento de Jó.

Ele sofreu perdas em quase todas as áreas de sua vida: física, financeira, social, emocional, psicológica...


Vejam o ápice do sofrimento de Jó: "...e saiu Satanás da presença do Senhor, e feriu a Jó de chagas malignas, desde a planta do pé até o alto da cabeça. Então Jó, tomando um caco de telha para com ele se rapar, assentou-se no meio da cinza". (Jó 2.7,80.

Porém, e apesar de todo este sofrimento, Jó não perdeu o que tinha de mais precioso em sua vida - A fé em um Deus vivo! Após todas estas tragédias, diz ele com uma fé inabalável: " Eu sei que o meu Redentor vive, e que por fim se levantará sobre a terra. E depois de consumida a minha pele, ainda em minha carne verei a Deus. Vê-lo-ei por mim mesmo, com meus próprios olhos, eu, não outros. Como o meu coração anseia dentro de mim!". (Jó 19.25-27).

O anseio de Jó em ver a face do seu Deus-Remidor sobrepujou todos os demais desejos de seu coração, sobrepujou as perdas, sobrepujou a cura..., Deus tinha um lugar único na vida de Jó, Ele estava acima de tudo e de todos, acima de sua própria vida.

Deus “apostou” em Jó como um servo íntegro, reto, temente a Ele e que se desviava do mal", e mesmo diante de tantas perdas Ele sabia que Jó não blasfemaria dEle. E assim sucedeu... Jó, mesmo diante de tamanho sofrimento, também “apostou” em Deus, ao declarar convicto: “Ainda que ele me mate, nele esperarei”. (Jó 13.15)..

Quais têm sido as nossas “perdas”? Deus pode apostar em nós? E nós, temos apostado em Deus, no nosso Remidor, no nosso Ajudador?

Ainda que soframos perdas em muitas áreas da nossa vida, sempre sairemos vencedores por meio de Cristo Jesus, mesmo que tenhamos que enfrentar uma "cruz".

“Pois estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, nem o presente, nem o porvir, nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor”. (Rm 8. 28,29)."

Tenham um excelente final de semana, na presença do Senhor, mesmo diante de tantas "perdas".

(Isabel Lima)


quinta-feira, 25 de abril de 2013

Nobilíssimo Título: FILHOS DE DEUS!

“Título é  uma designação atribuída a um individuo em razão das suas qualidades, que podem ser de natureza nobiliárquica, acadêmica, religiosa, profissional, eletiva ou honorífica”.(Wikipédia). Alguns títulos: professor,  pastor, médico, rainha, missionário, engenheiro, gari, gerente, diretor, fonoaudióloga, príncipe, porteiro, enfermeira, analista de sistema, segurança, rei, evangelista, fisioterapeuta, bispo, apóstolo, etc.

Títulos são gratificantes, e muitos dos citados acima são úteis para beneficiar o ser humano e conceder ao homem uma  qualidade de vida  melhor,  tanto física  quanto espiritualmente, outros, porém, são pura ostentação...

Porém, existe um “título”que está acima de todos os demais títulos. Título este que, não foi  conquistado  através de dons ou talentos pessoais,  através de anos a fios sentados em uma cadeira escolar, ou através da nobreza hereditária, etc. Para obter tal “titulo” foi necessário haver uma cruz, a cruz de Cristo! Através desta cruz nos foi  concedido o nobre título de sermos chamadoss “FILHOS DE DEUS”,  com direito de fazermos parte da nobilíssima família de Deus, e estarmos assentados em "lugares altos".  Privilégio único e sublime!

Filhos de Deus pela fé em Jesus Cristo. Filhos do Todo Poderoso, por pura GRAÇA e  por puro AMOR. Amor que transcende a imaginação humana. “Todavia, ao Senhor agradou moê-lo, fazendo enfermar” para que tenhamos salvação, amor, paz.... Através de seu Filho Amado, que foi oprimido, humilhado e ferido, Deus desculpou “homens indesculpáveis”..

Para sermos chamados “filhos de Deus”, Jesus pagou um preço altíssimo. Preço de sangue, porém, o amor é sofredor, o amor tudo suporta. (I Co 13.7). Este amor foi uma atitude do coração, da mente e da vontade de Deus para com a humanidade que estava perdida e “longe’ dEle. Deus nos queria aconchegados em seus braços!

“Do alto céus o Pai olhava tudo, cena cruel para um coração de Pai”. Ver seu Filho agonizando num cruento madeiro pela minha e pela sua vida para poder ouvi-lO chamar: “Meu filho!”; “Minha filha!”, esta é a maior expressão de amor de Deus para com a humanidade. “Sois filhos de Deus pela fé em Jesus Cristo”. (Gl 3.26)

O amor de Deus foi "tal', ao dar Jesus,  que nos  foi concedido o direito de ganharmos o céu, e podermos  sussurrar bem pertinho e docemente aos seus ouvidos:  Aba Pai! E como é confortador saber que Deus Pai tem impresso, gravado, em suas mãos o nome de cada filho seu: “Vê, nas palmas da minha mão te gravei;”. (Is 49.16)

Repito: muitos, por falta de oportunidades, talvez não conseguiram adquirir um titulo acadêmico, não conseguiram assentar-se em um banco de uma Universidade, outros não nasceram em uma família real, de sangue “azul”, porem,  o título de “Filho de Deus”, não se adquire em bancos escolares, através dos dons, pagamentos ou hereditariedade, este Título se adquire “abraçando” a fé, o Evangelho, as boas novas de salvação.

Não foi o sangue azul da nobreza que nos permitiu sermos chamados Filhos de Deus, mas, foi o sangue de Jesus,  vertido no calvário que nos deu acesso a este “titulo”.  Basta, simplesmente, crer, aceitar e decidir ter Jesus em sua vida, viver com Jesus uma vida de retidão diante de Deus e obedecer a sua Palavra. A partir desta decisão e dia  memorável de aceitação, passaremos a ser “nobres cidadãos dos céus”.

FILHOS DE DEUS – Título  honorífico, concedido por Deus  a nós cristãos. “O que é o homem, para que tanto o estimes, e ponhas nele a tua atenção, e cada manhã o visites... (Jó 7.17,18).   “O mesmo Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus. Se  nós somos filhos, logo somos também herdeiros, herdeiros de Deus e co-herdeiros com Cristo”. (Rm 8.16,17).

Hoje, através de Jesus, Deus pode nos dizer: “Filhos, Eu vos dei Jesus,  por amor de vós,  dei o meu Filho, meu único e amado Filho para que vós possais ser meus filhinhos...”.

Dádiva divina, sendo este o maior e mais  notável dos títulos, podermos ser chamado  “FILHOS DE DEUS!”.  Podermos chamar docemente: Papai, Paizinho, meu Pai...“Vede quão grande amor nos concedeu o Pai, que fôssemos chamados filhos de Deus. E somos mesmo seus filhos...” (I Jo 3.1)
  
Isabel Lima



sexta-feira, 5 de abril de 2013

A DUPLA TAREFA DE MARCO FELICIANO É GRANDE DEMAIS...

“Não é lúcido pregar no Congresso, e nem é lícito politicar na casa de Deus”. (Jornalista Raquel Sherazade)

Pois é, talvez se jornalista Raquel soubesse o transtorno que o Pastor Feliciano iria enfrentar como Pastor e como Político ela teria orientado ele melhor quanto a “politicar na casa de Deus”.

Em 2010 o Pastor neo-pentecostal (sem entrar em sua linha vertente pentecostal), apoiou o PT na busca desesperada pelos votos dos evangélicos. Tornou-se Deputado Federal por São Paulo, eleito pelo Partido Social Cristão. Em março de 2013,  Feliciano foi eleito presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM) da Câmara dos Deputados do Brasil, e,  é exatamente aqui, nesta Comissão de “Direitos Humanos”, que ele está sendo tolhido de seus direitos e sendo pressionado a deixar o comando da  mesma.

Alvo de protestos por parte de alguns, por ser considerado homofóbico, ao se opor ao casamento gay,  e racista,  por conta de uma frase escrita em seu twitter dizendo que: “A maldição que Noé lança sobre seu neto, Canaã, respinga sobre o continente africano, daí  a fome, pestes, doenças, guerras étnicas”.  Agora, o Deputado encontra-se numa “Via Crúcis”, sendo exposto na mídia,  achincalhado, xingado, ameaçado e “condenado” por uma minoria intolerante,  com o apoio de grande parte da mídia e de alguns cantores e artistas, como a atriz Fernanda Montenegro que deu um beijo na boca da artista Camila Amato em protesto contra a permanência do Deputado na CDHM. 

Cadê os cidadãos: cantores e artistas para protestarem contra os Deputados José Genoino e  João Paulo Cunha como membros da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara? “Justiça” e “Cidadania”...rsrs, duas palavras que não comungam com tais palavras como:  corrupção ativa, formação de quadrilha, peculato, lavagem de dinheiro e corrupção passiva.

Quanto ao Pastor:  "Tudo o que o homem semear, isso também ele ceifará" (Gl 6.7), Marco Feliciano encontra-se no auge de sua colheita: antes PT e Pastor aliados, agora o Pastor "massacrado". Até o próprio  Presidente do PT, Rui Falcão,  não apóia Feliciano na Presidência da CDHM. “Esta sendo ministrado uma importante lição aos evangélicos que começaram a chamar os petistas de companheiros”. Sábias palavras do jornalista Reinaldo Azevedo.

Talvez, o Pastor "fora de si” pensou que podia "pregar" na Câmara e cometeu o ato, digamos,  “não" lícito de politicar na igreja, apoiar petistas...  Eis o grande “pecado” do Pastor e Deputado!   “Pastor” e “Político”  caminham em direções opostas. O Pastor “trabalha” para Deus, o Político “trabalha” para o povo. Pelo menos é assim que deveria ser...

Moisés como Líder Espiritual  e Líder Civil do Povo de Israel
“Moises foi chamado por Deus para ser líder do povo de Israel,  essa função era de natureza espiritual (Ex 3.1-21), mas nas tribos semitas, o líder era também o juiz,  o arbitro entre as  questões do povo (I Sm 7.15-17), por isso, Moisés também exercia a função de legislador do povo de Israel, esta função era de natureza civil (Ex 18.9-16). 

Jetro, o sogro de  Moisés percebeu que as duas funções estavam pesadas demais para as forças de Moisés (Ex 18.17-19), e  também o povo não estava satisfeito, pois para receber a atenção nas suas causas, passavam o dia todo em pé, diante de Moisés desde a manhã até a noite (Ex 18.13,18). Jetro aconselha a  Moisés a exercer mais a liderança espiritual, como profeta de Deus. Ex 18.19-21, e julgar somente as causas graves, delegando  autoridade a homens de Deus para maior resultado e eficiência nos julgamentos das causas civis,  para que ele e o povo pudessem  suportar a tensão. (Ex 18.21-27).

Quanto à questão, sobre Ministros Evangélicos serem políticos
Temos aqui dois pareceres importantíssimos, do saudoso Pr. Valdir Nunes Bícego e do Pr. Antonio Gilberto.

 “Nenhum Ministro atuante deve envolver-se com a militância política, a não ser que, antes, renuncie ao seu Ministério, pois as duas funções simultâneas tornam-se incompatíveis.  A própria igreja católica frisa constantemente que Padres não podem postular-se a cargos políticos”. (Pr. Valdir Nunes Bícego).

“Quanto ao obreiro e a política, não deve aqui haver mistura. “Ninguém que milita se embaraça com negócios desta vida” (II Tm 2.4). Um obreiro realmente chamado por Deus em plena atividade ministerial, não deve jamais trocar sua chamada por qualquer outra coisa, mas caso venha a fazer isso, que deixe o exercício do ministério”. (Pr Antonio Gilberto).

Marco Feliciano: Pastor ou Político?
Deus dotou o homem com livre escolha, por isso, o Pastor e Deputado terá que decidir, ou pelo reino celeste ou pelo reino terrestre, ou exercer a Liderança espiritual ou a Liderança política, pois,  a dupla tarefa é grande demais para ser desempenhada por um só homem”. (Dr. H.B. Swete).

Eis a causa de todo o seu sofrimento, Marcos Feliciano! O "Pastor" e o  "Deputado" estão embaralhados, misturados...

"Que Deus te abençoe e te guarde. O Senhor faça resplandecer o teu rosto sobre ti, e tenha misericórdia de ti. O senhor sobre ti levante o seu rosto, e te dê a paz”. (Nm 7,24-26).

Escrito por Maria Isabel da Silva Lima


P.S.: Hoje, no Brasil, as minorias lutam por seus direitos, mas tentam “caçar” os direitos de outrem que opina, que se comunica, que se expressa, que pensa, que sente, que tem desejos, crenças e valores diferentes dos seus.  Esta sendo tolhido o direito de ser uma “pessoa” neste País, de ser um Ser Humano singular...