quinta-feira, 21 de março de 2013

AS CARACTERÍSTICAS DO PAPA FRANCISCO

Missionário, obediente, abnegado/disciplinado, simples e caridoso
Será que podemos aprender com ele? 

Nascido Jorge Mario Bergoglio, em Buenos Aires, 16 de dezembro de 1936, é o 266º Papa da Igreja Católica Apostólica Romana e atual chefe do estado do Vaticano, é o primeiro Jesuíta e primeiro Latino Americano a ser eleito Papa.

Por que o nome “Francisco”
Escolheu o nome de Francisco em reverência a São Francisco de Assis, (1182-1226),   fazendo referência a “sua simplicidade e dedicação aos pobres”. Um jovem rico, que renunciou a posse de todos os seus bens materiais para defender um cristianismo purificado pelo asceticismo (uma vida de disciplina austera, cujo objetivo era adquirir espiritualidade).  Atraiu muitos seguidores que estavam descontentes com a Igreja que se afastava do povo à medida que esta enriquecia.

O Papa é um Missionário – com certeza, seu objetivo será propagar e defender a fé católica
A Companhia de Jesus, ordem na qual pertence o papa Francisco, foi fundada em 1534 por Inácio de Loyola e mais seis estudantes,  Dedicaram-se, sobretudo,  à pregação do Evangelho, às obras de caridade, ao ensino, à conversão dos protestantes e ao trabalho missionário em terras distantes. Ensinaram e propagaram o Evangelho nos  cinco continentes, os Jesuítas “levaram a cruz a  todos os recantos do planeta”.

Fundada no contexto da Reforma Católica, também chamada de contrarreforma, procurou combater e impedir a expansão das idéias protestantes, além de reformar a Igreja. A ação dos Jesuítas conseguiu afastar o protestantismo da Polônia e do Sul da Alemanha no século  XVI. Os jesuítas ocuparam a linha de frente da contrarreforma.

“Se o esforço no século XVI era fazer frente aos reformadores Lutero e Calvino, agora o desafio é conter a sangria que as igrejas neo-pentecostais têm promovido no rebanho católico”.

O Papa é obediente à doutrina da Igreja Católica
Um  Jesuíta faz voto de obediência total a doutrina da Igreja Católica. Inácio de Loyola declarou: “Acredito que o branco que eu vejo é negro, se a hierarquia da igreja assim o vier determinado”.  Por isso, longe de um Papa jesuíta fazer uma nova reforma na Igreja Romana, como fez Martinho Lutero,  que quebrou a unidade da Igreja Católica, pôs em duvida a autoridade do papa e negou dogmas religiosos.

O Papa é abnegado e disciplinado
A constituição de um Jesuíta, escrita por Inácio de Loyola é rigidamente disciplinada: uma serie de orações e meditações devem ser seguidas com rigor ao longo de um mês, o Jesuíta deve ser “Disciplinado como um cadáver”, (perinde ac cadáver). É enfatizado a absoluta abnegação e obediência ao Papa e aos superiores hierárquicos. Lema de um Jesuíta: “Ad maiorem Dei gloriam” (“Para a maior glória de Deus”).

O Papa é simples - “Como é doce, como é simples, dizia a multidão na Praça de São Pedro, no Vaticano".
Antes de fundar a Companhia de Jesus, Inácio de Loyola, um jovem de origem  nobre, abdicou dos bens terrenos, em prol dos bens sobrenaturais. Deixou a casa paterna, despiu-se de suas roupas vistosas e substitui-as por roupas de saco.

Bergoglio também abdicou de alguns direitos terrenos para viver uma vida simples. Em Buenos Aires, como Cardeal vivia num pequeno e austero quarto, fazia sua própria comida e usava transporte publico, Ao ser eleito Papa, referiu-se a si mesmo como Bispo de Roma e não como “Papa”, usou um crucifixo de aço e não de ouro e recusou o manto vermelho, alegando que  “o carnaval acabou”.

Também recusou a limousine blindada papal, fez questão de pagar a sua conta pessoal onde ficou hospedado para o conclave, surpreendeu a telefonista ao ligar pessoalmente querendo falar com um padre amigo e também ligou direto do Vaticano para se despedir de seu amigo e jornaleiro em Buenos Aires, onde comprava seus jornais e revistas.

O Papa é caridoso
Voltado para obras sociais, Bergoglio foi nomeado Cardeal em fevereiro de 2001, e convenceu centenas de argentinos a não viajarem para Roma, em vez de irem ao Vaticano para sua nomeação,  pediu que doassem o dinheiro da viagem aos pobres. Ainda em Buenos Aires visitava favelas: “Não esperava que o povo fosse a Igreja, mas levava a Igreja até o povo”.

Por que como cristã-protestante escrevo sobre as características do Papa Francisco? Porque tais características também são essenciais a Líderes e cristãos protestantes:

- O cristão necessita ser  imbuído de um espírito missionário
Propagar e defender a fé cristã fundamentada na Bíblia,  ensinar e levar o Evangelho de Cristo e dos Apóstolos aos cinco continentes: “Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda a criatura”. (Mc 16.15).

“Levemos  a cruz de Cristo a todos os recantos do mundo”:  “Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até os confins da terra”. (At.1.8). Se nós não levarmos a cruz de Cristo a todos os recantos do mundo, o Evangelho de Cristo e dos Apóstolos, ao nosso povo e a outros povos,  "outros" com certeza levarão.

- O cristão deve ser obediente à doutrina Bíblica
"Martinho Lutero, no século XVI,  lutou em prol de um Evangelho fundamentado nas Escrituras, lutou em prol de uma Igreja “sadia’, sem erros doutrinários, lutou em prol de uma fé genuína”. Mas, infelizmente, hoje,  muitas igrejas ditas “evangélicas” têm se tornado igual à Igreja Imperial que foi desvirtuada das Escrituras,  com outra “natureza”, uma instituição de toda diferente da igreja perseguida do século 3º. e  4º”.   “Obreiros” fraudulentos, envolvem o cristianismo num sincretismo religiosos, pregam um “outro evangelho”, o “evangelho das misturas”: misturam cristianismo, catolicismo,  espiritismo, candomblé, misticismo, superstição, filosofia, etc,  “Vendem” a salvação, vendem o céu...”.

Que o Senhor possa continuar a levantar cristãos para combater as heresias do “outro evangelho”,, que possamos estar na linha de frente desta acirrada batalha em prol do “retorno às Escrituras” e levantarmos a bandeira do "Evangelho Genuíno" ensinado por Jesus Cristo e pelos Apóstolos.

- O cristão necessita ser disciplinado na leitura da Palavra de Deus e na oração
Muitos cristão não leem e não conhecem  as Escrituras, por isso, são levados por “ventos de  doutrinas”. Que a abnegação e disciplina dos jesuítas  possam ensinar cristãos a serem disciplinados para ler a  Palavra de Deus e adquirir o hábito da oração. Necessitamos de mais santidade ,  e somente a Palavra, a oração, o jejum, a confissão de pecados e a humildade nos fará seguirmos em santidade. Não podemos seguir o curso deste mundo: “Segui a paz e a santificação, sem santificação ninguém verá o Senhor”. (Hb 12.14). Há necessidade da Igreja de Cristo, a noiva do Cordeiro, orar mais, os dias são maus. Oremos pelos: Governos, Igreja, família e sociedade. “Tempos difíceis de nele vivermos”. Imaginem só se o jugo de Jesus não fosse suave e seu fardo não fosse leve o que seria daqueles cristãos não disciplinados?

- Muitos Lideres cristãos protestantes necessitam “aprender” simplicidade
Enquanto o Papa Francisco abdica de “regalias” que o cargo lhe oferece, alguns “Lideres” cristãos, ao contrário, fazem questão de Titulos: “bispos“, apóstolos”, “reis, etc. Amam um jatinho, um carro preto importado, vivem em mansões cercados por prata e ouro,  só vestem roupas de grife, e alguns jamais falariam com uma irmã telefonista ou com um irmão jornaleiro. É pecado um Líder cristão ser rico? Não! Pecado é amar em mais alto grau, não a Deus, mas a estas coisas tão efêmeras, mas  tão grande em seus corações. Retornem às Escrituras urgente, “Lideres evangélicos”, ao primeiro amor,  e aprendam com Jesus ou, senão,  aprendam com o Papa.

- O cristão necessita ser caridoso
O povo de Israel se preocupava com a viúva, com o órfão, com o estrangeiro, etc, a Igreja primitiva também se preocupava com os necessitados de sua época (At 6.1-7), e, hoje,  a Igreja reformada do século XXI necessita estar preocupada com o orfão, com a viúva, com o desempregado, com o enfermo, com o mendigo, com o menino de rua, com a prostituta, com o detento, etc. “Não espere que o povo vá até a Igreja, mas leve a Igreja cristã reformada até o povo”. Aprendamos com eles...

É a história que se repete... Será que o Papa com a sua simplicidade não atrairá muitos seguidores cristãos que estão descontentes com determinadas Igrejas que se afastam do povo à medida que enriquecem?

A religião pura e imaculada para com nosso Deus e Pai é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas aflições, e guardar-se incontaminados do mundo”. (Tg 1.26). Que possamos seguir nas pisadas de Jesus Cristo, o Filho de Deus que em sua humildade se dedicou aos mais pobres, aos necessitados, aos párias da sociedade, sem visar recompensa alguma, e guardou-se incontaminado do mundo.

Aprendamos com Jesus
"De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve em Cristo Jesus, que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus, mas a si mesmo se esvaziou, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens. E, achado na forma de homem , humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até a morte, e morte de cruz. Pelo que Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome, para que o nome de Jesus se dobre todo o joelho dos que estão nos céus, na terra e debaixo da terra. E toda língua confesse que Cristo Jesus é o Senhor, para glória de Deus Pai”. (Fp 2.5-10).Aleluia!


Isabel Lima

Fonte:
Revista Veja. Ed. Abril. ed..2313. ano 46. nr.12. 20/03/2013

Um comentário:

  1. UM ANÔNIMO DISSE: "o papa francisco é um deus..." em As Caracteristícas do Papa Francisco.

    Não, o Sr. Jorge Mário Bergoglio não é Deus, mas um bom cristão católico, um homem comum, como eu e você, cheio de falhas e virtudes, coisas inerentes à todos seres humanos, porém, muito mais prudente que muitos cristãos evangélicos que não seguem os ensinamentos do Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo - o Filho de Deus - Unico e Verdadeiro: "Alfa e o Òmega, o Principio e o Fim...que é, que era, e que há de vir, o Todo Poderoso". (Ap 1.8)

    Aprendamos com Jesus! VERDADEIRO DEUS!!! "De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve em Cristo Jesus, que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus, mas a si mesmo se esvaziou, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens. E, achado na forma de homem , humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até a morte, e morte de cruz. Pelo que Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome, para que o nome de Jesus se dobre todo o joelho dos que estão nos céus, na terra e debaixo da terra. E toda língua confesse que Cristo Jesus é o Senhor, para glória de Deus Pai”. (Fp 2.5-10). Aleluia!

    Sr."SEM NOME", sempre que sentir a necessidade de se expressar, opinar, etc, sempre assuma a sua identidade, pois assim Jesus o fez mesmo sabendo das terreiveis consequências que se abateriam sobre sua vida, Ele assumiu que sua natureza divina e sua natureza humana: Deus e homem. Aprendamos com nosso Mestre - Jesus Cristo!

    ResponderExcluir