terça-feira, 17 de dezembro de 2013

"Dádivas" de amor para Jesus!


Quando os pais de Jesus: Maria e José o esqueceram em Jerusalém,  na Festa de Páscoa, imediatamente eles retornaram à cidade para achar o filho que haviam “perdido”. Muitas  vezes nós também necessitamos retornar urgente  à “Jerusalém” para reencontrarmos o Filho de Deus,  principalmente nesta época de festas de final de ano: Natal e Ano Novo.

Ficamos muito atarefados, muitas coisas para fazer, para arrumar, para pensar: a ceia, os enfeites, a roupa nova, o amigo secreto, os presentes, etc.  Com tantos afazeres  terminamos esquecendo o menino Jesus perdido em meio a toda esta “festa”.

Jerusalém na língua hebraica significa "Morada de Paz". E é exatamente nesta época do ano que “perdemos” Jesus e "perdemos" a paz. Muitas  tarefas, muita ansiedade, muita  euforia... Necessitamos parar e retornar à esta "Morada" para reencontrarmos o menino Jesus e a paz: “Vinde a mim todos os que estão cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei.” (Mt 11.28).

Somente nos damos conta de que esquecemos o "Menino" quando termina as festas. Aí, percebemos que há muito não o vemos, não o ouvimos e não falamos com Ele.

“Perderam Jesus numa festa!". (Pr. Valdir Nunes Bícego).  Se o buscarmos o acharemos: “Buscai ao Senhor, já que ele se deixa encontrar (Is 55.6-12). E eis que vem o tempo de Natal, um tempo em que, de modo especial, o Senhor se deixa encontrar. No entanto buscamos mil coisas nesta época e nos esquecemos de que esse tempo é um “tempo favorável” de buscar o Senhor.”  (Carlos Neves)

Ao reencontrá-lO retornaremos com Ele,  cearemos com Ele e Ele conosco  Não pode haver Natal sem Jesus, sem o  aniversariante “ilustremente humilde”, um presente de Deus para humanidade. Apresentemos ao mundo o Filho de Deus! “Na cidade de Davi vos nasceu hoje o Salvador, que é Cristo o Senhor.” (Lc  2.11).  




Emanuel – Deus Conosco – é imprescindível sua  presença em nossa casa, em nossa mesa, em nossa ceia de Natal: no dia 24 de dezembro, mas também no dia  25, no dia 26, no dia 27..., e em todos os outros dias que Deus por sua bondade e graça nos concederá:  “E certamente estou convosco todos os dias, até a consumação do século”. (Mt 28.20).

O maior, o melhor e o mais digno presente para Jesus é o AMOR! Amor a Deus e amor ao próximo. O “Menino” nos sugere alguns presentes que Ele gostaria de ganhar neste Natal:  “Pois tive fome e me destes de comer, tive sede e me deste de beber; era forasteiro e me hospedastes; estava nu e me vestistes; estive enfermo, e me visitastes; preso e fostes ver-me..., quando  fizeste a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes.” (Mt 25.35-40).

"Sai depressa pelas ruas, pelos bairros da cidade,  e traze aqui os pobres, e os aleijados, os cegos e o mancos.” (Lc 14.210). Saiamos depressa, há pressa... “A noite vem quando ninguém pode trabalhar.” (Jó 9.4). Somente o sangue remidor de Jesus, derramado no cruento madeiro, poderá pagar por todos estes dignos “presentes” de amor.

Natal, a maior festa da cristandade! Não esqueçamos  Jesus e nem os “dádivas de  amor” por Ele sugeridas neste Natal!  Muito fazemos por  nós e pelos nossos entes queridos nesta bonita FESTA CRISTÃ, porém, o que estamos fazendo como cristãos  pelos nossos semelhantes nesta data querida? “Muitas felicidades, muitos anos de vida”. Vida, em/com Jesus.  É NATAL.!

Happy Birthday, Jesus! Happy Birthday...


Isabel Lima
(Imagem tirada da internet)

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

SENHOR, ENSINA-NOS A CONTAR OS NOSSOS DIAS...

 “Ensina-nos a contar os nossos dias de tal maneira que alcancemos coração sábio.” (Sl 90.12). Esse é um dos versículos da Bíblia que mais amo!

O que é a nossa vida aqui na terra:?  “É um vapor que aparece por um pouco e depois desvanece." (Tl 4.14). "A vida  passa rapidamente e nos voamos". (Sl 90.9-10). É uma pena que somente temos maturidade para compreendermos esta verdade  quando já estamos na metade de nossos dias...rsrs

 “Quem sabe o que é bom nesta vida para o homem, durante o poucos dias da sua vida vã, os quais passa como sombra? (Ec 6.12). Quem sabe? Somente Deus, somente Deus...

As coisas que  não vemos, não ouvimos e que não subiram aos nossos corações, isto é, coisas maiores do que as possíveis e impossíveis, são a que Deus preparou  para todos os que o amam. (I Co 2.9)

O que é a nossa vida aqui na terra perto da eternidade com Deus? Aqui, somos forasteiros e peregrinos, lá, no lar, na casa do Pai, seremos eternos...

Lembro-me de uma melodia: “E assim estaremos sempre com Deus, sim, estaremos sempre com Deus, pra sempre com o nosso Deus”. “Deus habitará com eles, e eles serão seu povo, e o próprio Deus estará com eles, e Ele será o seu Deus.” (Ap 20.4)

Que esse “conto ligeiro”, essa “flor” que murcha tão rapidamente , possa  exalar o bom perfume de Cristo, “pois para Deus somos o bom cheiro de Cristo..., somos cartas vivas, conhecidas e lidas por todos os homens (II Co 2.12; 3.3).

Isabel Lima


quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Resenha do Filme Mãos Talentosas


Mãos Talentosas.

Por João Batista Cruzué

RESENHA.
Filme de Thomas Carter, lançado em 2009, com Cuba Gooding Jr e Kimberly Elise, nos papéis principais. Baseado na história de vida real do Dr. Benjamin Solomon Carson, famoso neurocirurgião negro americano que nasceu em lar humilde, cresceu sem a presença do pai, ganhou uma bolsa para estudar medicina em Yale e depois fez residência médica no Hospital Johns Hopkins onde se tornou Diretor do departamento de neurocirurgia pediátrica.  Sua mãe, Sonya Carson, uma faxineira analfabeta, foi o anjo de Deus decisivo para fazer o ponto de inflexão que mudaria a vida do filho quando ele mais precisava. De tanto ser chamado de burro pelos colegas da escola, ele começou a aceitar o bloqueio de que era mesmo despossuído de  inteligência. A mudança começou a acontecer quando a senhora Carson colocou o dedo indicador na cabeça do filho e declarou: Tudo o que você precisa para vencer no mundo está bem aqui dentro. Você só precisa enxergar além daquilo que você vê. Decorar a tabuada, ler e resumir dois livros por semana e assistir apenas dois programas na TV por semana, foi a estratégia que ela traçou para livrar Benjamin da falsa burrice e torná-lo o aluno mais inteligente da escola. O sermão do Pastor da sua Igreja sobre um casal de médicos missionários  foi a inspiração que levou o garoto  Ben desejar ser um médico. O auge da carreira do Ben Carson aconteceu em 1987, quando usou com sucesso, pela primeira vez na medicina, um procedimento novo para separação de gêmeos  craniópagos ocipitais (siameses ligados pela nuca). Até então só um bebê era escolhido para viver. Embora seja muito estudioso, Dr. Benjamin Carson é uma pessoa que  aprendeu a depender da oração desde criança, diante das adversidades da vida.

SP. 21.09.2013.

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

AS MUITAS DESCULPAS POR NÃO SABERMOS "CHORAR".

“Alegrai-vos com os que se alegram e chorai com os que choram.” (Rm 12.15)

É fato, que o ser humano,  e mesmo nós os cristãos, desejamos nos alegrar,  festejar, e comemorar com aqueles que amamos:  nossos familiares, nossos parentes, nossos amigos e nossos irmãos na fé, os mais chegados. Da mesma forma, desejamos que este “mesmo grupo”, em tempos de aflições, chorem conosco. Porém, nem sempre essa “fórmula” funciona!  

Eu e minha família,  já tivemos a oportunidade de vivenciarmos tempos alegres, de sorrisos, de felicidades, rodeados por familiares, parentes, amigos e irmãos na fé, assim como já  tivemos a experiência de vivenciarmos tempos de choro, de tristeza, de sofrimento, rodeados por poucos,  principalmente, diante da dura realidade da enfermidade da minha amada mãe, que, devido a um AVC,  ficou quase  seis anos acamada e poucos, muito poucos, pouquíssimos, desse “mesmo grupo” choraram conosco.

Infelizmente, a vida não é uma ciência exata onde  dois mais dois são quatro, mas, sim, uma “ciência” humana, cheia de falhas e defeitos. Portanto, o  "mesmo grupo”, que se alegrou, festejou e confraternizou conosco em muitas ocasiões,   não souberam doar o seu ombro nos momentos que mais estivemos acarentes, não se fizeram presentes como pensávamos e gostaríamos,  usaram  de muitas desculpas por não saberem "chorar" conosco nos momentos de perdas,  doença e morte.

Porém, “uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas [ruins] que para trás ficam, e avançando para as que estão diante de mim,  prossigo  para o alvo”. (Fp 3.13) "Disto me recordo por isso tenho esperança" (Lm 3.1.21). Esperança de saber que  podíamos contar umas com as outras: eu, minhas irmãs e minha sobrinha Raquel, juntamente com o apoio financeiro e psicológico de nossos esposos, além da  enfermeira e amiga Damar Mariozzi que gostava da minha mãe como sua mãe.

Também contamos com a preciosa ajuda do nosso bondoso e  maravilhoso Deus, que  se fez presente no tempo do sofrimento, da angustia. Jesus chorava com aqueles que sofriam. (Jo 11.35).. O que Ele, por sua infinita misericórdia fez pela minha mãe e por nós foi indescritível: concedeu-nos paz, graça e paciência, a mim e aos meus entes queridos, para que cuidássemos dela com muito, mas muito amor e carinho, até quando,  aprouve ao Ele levá-la para o Paraíso, para descansar, segura  e muito bem aconchegada em seus braços de amor eterno. Aleluia!

E contamos, ainda, com a ajuda dos profissionais da saúde. A equipe de fisioterapeutas,   Bruna, Débora e Silvia;  a fonoaudióloga,   Elisângela e sua cuidadora Débora, além de excelentes profissionais também eram muito amorosos para com ela. Que Deus os abençoe imensamente! "E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deu." (Rm 8.28). Deus fez surgir testemunho do sofrimento!

Quando tudo terminou, tivemos um feedback positivo desses profissionais,  que se tornaram amigos da família, e nos comunicaram como cresceram conosco e que sentiriam saudades de nossa pessoa e do convívio diário.  Convictas estávamos que  foi o amor agape, o amor de Deus, derramados pelo Espírito Santo em nossos corações, que atuou em nossos pensamentos, sentimentos e vontade, e que deixaram marcas indeléveis nesses profissionais amigos.  "É necessário que ele cresça e que eu [nós] diminua." (Jo 3.30).

"O amor tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta" (I Co 13.7). Foi o amor que nos levou à atitude de  cuidar de nossa mãe, uma Sra. de 94 anos e uma serva fiel a Deus.  Jesus foi a nossa Âncora! O Filho de Deus foi o nosso Porto Seguro! Por isso, fomos até o fim.  "Tu, porém, pois vai até o fim". (Dn 12.13). Vejam como o nosso  Soberano Deus “tudo fez [faz] formoso em seu tempo.” (Ec 3.11).

Que possamos aprender  com o Livro de Eclesiastes: “É  melhor ir a casa onde há luto do que ir a casa onde há banquete, pois lá se vê o fim de todos  os homens, e os vivos o aplicam ao seu coração.” (Ec 7.2). Eu amo este ensinamento, do mais Sábios dos sábios - o Rei Salomão! Contraditório e oposto ao que a maioria dos seres humanos, inclusive nós os cristãos, gostamos e sabemos fazer.

A maioria dos seres humanos sabem e gostam de “sorrir”, mas a maioria  dos seres humanos não sabem e não gostam de  “chorar”. Sabe por quê? Porque não sabem AMAR!

Por isso,  agradeço,  não ao "grupo chegado",  mas sim,  a um "outro grupo"  que em obediência à Palavra de Deus souberam chorar, amar, naquele dia tão sofrido,  sem colorido...

É um caminho excelente,  alegrar-se com os que se alegram, e um caminho mais excelente ainda: amar e chorar com os que choram! Como  discípulos de Cristo,  temos vivido esta realidade? 

“Ensina-nos a contar os nossos dias, de tal maneira que alcancemos corações sábios” (Sl 90.12). Ensina-nos Senhor, ensina-nos...

Isabel Lima
Copyrht


terça-feira, 30 de julho de 2013

PASTORES COM PSICOLOGIA DE “REIS”.

Na ultima semana o nome que mais ouvimos na mídia foi o nome do  papa Francisco,  que se tornou sinônimo de humildade, simplicidade, solidariedade, fraternidade, evangelização aos mais pobres, além, claro, da simpatia da pessoa do papa.  Era conhecido como o "cardeal das favelas" na Argentina, em sua terra natal, por causa de seu estilo de vida austero e as visitas a áreas pobres da cidade.

Quanto ao estilo de vida austero, o Apóstolo Paulo em sua epistola aos Colossenses combateu o ascetismo gnóstico:  "Se estais mortos com Cristo quanto aos rudimentos do mundo, por que vos sujeitais ainda a ordenanças como se vivêsseis no mundo, tais como: não toques, não proves, não manuseies? Todas estas coisas estão fadadas ao desaparecimento pelo uso, porque são baseados em preceitos e ensinamentos dos homens. Têm, na verdade, aparência de sabedoria, em culto voluntário, humildade fingida, e severidade para como o corpo, mas não têm valor algum contra a satisfação da carne”. (Cl 2.20-23).

Pois bem, enquanto o papa Francisco abdica de suas muitas regalias que o cargo eclesiástico lhe oferece, alguns “Lideres” cristãos, ao contrário, fazem questão de regalias,  de status, de poder, de fama, de dinheiro, etc. Vivemos em uma época em que mulheres e homens cristãos "ostentam" títulos de: conferencistas, mestres, profetas, pregadores, cantores, apóstolos, bispos, sacerdotes, etc. Amam um fhash, um palco, e se deixam venerar por seu fãs: "cristãos" idólatras e enlouquecidos.  Fico mais admirada ainda com pregadores, a "estrela" maior, que  somente chegam no culto "depois" de Jesus.   Não sabem mais o que significa: dobrar os joelhos, louvar, adorar... As "Vossas Magestades Reais" chegam na hora de pregar. É triste ver a que ponto chega o estrelismo de tais pregadores.  Todos que buscam regalias no cargo eclesiástico são "pastores" com psicologia de “reis”. Deus, jamais, dividiu a glória dEle com alguém.

Hoje, o titulo de pastor, digamos que,   é “café pequeno”. Realmente,  pastores, estes,  não podem ser, porque o verdadeiro pastor cuida, ensina, alimenta e ama a ovelha.  Porém, o tais “apascentam-se" a si mesmos, comem a gordura e vestem a lã das ovelhas. (Ez 34.1-31).  O amor desses “pastores” em mais alto grau não é a Deus e nem às ovelhas, e nem  às almas que estão morrendo sem conhecer a Jesus, mas o amor em mais alto grau é ao dinheiro. “Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda espécie de males.” (I Tm 6.10).

Alguns “Lideres” vivem em mansões, cercados de ouro, prata,   carros importados,  jatinhos, roupas de grife, etc. Jamais falariam com uma irmã telefonista ou com um irmão jornaleiro como fez o então Cardeal Mario Jorge Bergoglio  quando recebeu o titulo de papa e quis se despedir de seu amigo jornaleiro e ele mesmo pediu a ligação para a telefonista.

Pergunto: É pecado um Líder cristão ser rico? Não!  Não há necessidade do Pastor fazer voto de pobreza e nem mendigar nas ruas com suas pregações. Pastores podem ter carros importados,  iates, aviões, mansões em Boca Raton etc, desde que esses bens não sejam acumulados com os dízimos e as ofertas sagradas dos fiéis, desde que esses bens sejam acumulados com o o suor de seu rosto, ou seja herança familiar.

Hoje, temos cristãos praticando os dois extremos: uns valorizando muito o “ter”, outros abrindo totalmente mão do “ter”, para viver uma vida de mendicância, de extrema pobreza. Ambos os ensinamentos se encontram desvirtuados da Santa Palavra de Deus. “Mas, ainda que nos mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vós anunciamos, seja anátema.” (Gl 18)

Ser  rico não é pecado, porque Deus em sua imensa bondade permitiu que a luz do sol brilhasse a todos os homens, independente de sua religião, seja cristãos ou não cristãos: “Tudo sucede igualmente a todos; o mesmo sucede ao justo ou ao ímpio, ao bom e ao mau, ao puro e ao impuro. Assim o que sacrifica como o que não sacrifica; assim ao bom como ao pecador, ao que jura como ao que não teme o  juramento.” (Ec 9.2)

Também não é pecado o cristão ou o Pastor usufruir de seus bens materiais: “E quanto ao homem,  a quem Deus deu riquezas e fazenda e lhe deu poder para delas comer,  e tomar a sua porção, e gozar do seu trabalho, isso é dom de Deus.” (Ec 5.19).  Pecado é amar em mais alto grau, não a Deus, mas coisas efêmeras, mas tão grande em seus corações.

Jó, era um homem rico, que abençoava o pobre e o necessitado: “Se retive o desejo dos pobres, ou fiz desfalecer os olhos da viúva, ou se sozinho comi o meu pão, e não comeu dele o órfão também (pois desde a minha mocidade criei o órfão como se fora pai, e guiei a viúva desde o ventre da minha mãe), se alguém vi perecer por falta de roupa, e ao necessitado falta de coberta, e se os seus lombos não me abençoaram, se ele não se aquentava com a lã dos meus cordeiros, se levantei a mão contra o órfão, sabendo ter o apoio dos juizes na porta, então caia do  ombro o meu braço, e seja arrancado da articulação. (Jó 31.16-21). A verdadeira religião: visitar os órfãos e as viúvas e guardar-se incontaminado do mundo. (Tg 1.27),

Aos verdadeiros Pastores se fará necessário ter os mesmos sentimentos nobres que havia em Jesus Cristo "De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve em Cristo Jesus, que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus, mas a si mesmo se esvaziou, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens. E, achado na forma de homem , humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até a morte, e morte de cruz. Pelo que Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome, para que o nome de Jesus se dobre todo o joelho dos que estão nos céus, na terra e debaixo da terra. E toda língua confesse que Cristo Jesus é o Senhor, para glória de Deus Pai”. (Fp 2.5-10).

"Lideres"evagélicos,  retornem  urgente às Escrituras, ao primeiro amor, ao Evangelho genuino e aprendam com Jesus, ou senão, aprendam com o exemplo do Papa Francisco. Sois Pastores! Os Pastores estejam perto das pessoas, sem psicologia de "príncipes".”. (papa Francisco)

Palavras do Papa Francisco:
- Não podemos ficar enclausurados na paróquia, na nossa comunidade, quando tantas pessoas estão a esperar pelo evangelho”.

- "Não se trata simplesmente de abrir a porta para acolher, mas de sair pela porta a fora para procurar e encontrar", disse.

- "É nas favelas que nós devemos ir procurar e servir a Cristo". ”.

Será que alguns Lideres evangélicos necessitam de um Padre cristão, católico, Jesuíta e Franciscano de coração, ensiná-los a serem missionários, obedientes, abnegados, disciplinados, simples e caridosos? “Examine-se o homem ["Lideres" evangélicos] a si mesmo.”  (I Co Co 11.28). Será que muitos necessitam serem ensinados pelo papa que não é somente a Europa e os Estados Unidos que estão carentes de misioneros, mas "Jerusalém", "Judeia, "Samaria" e até os confins da terra. "Saí depressa pelas ruas e bairros da cidade, e traze aqui os pobres, os aleijados, os cegos e os mancos". (lc 14.21).. 

Como cristã protestante não professo a mesma fé papa Francisco, não comungo da mesma doutrina e não o considero como meu sumo e nem santo pastor, porem, como Mario Jorge Bergoglio e como cristão católico é um exemplo irrepreensível em sua religião. .

O meu verdadeiro,  ùnico, santo e Sumo Pastor é - Jesus Cristo – o Filho de Deus, que ouviu o choro dos famintos, tanto fisicamente quanto espiritualmente e trouxe a graça da salvação a todo o que nele crer. A Ele pois, toda a minha adoração!  “Porque dele e por ele e para ele são todas as coisas. Glória, pois, a ele eternamente. Amém’ (Rm 11.36).              
  
Isabel Lima
Copyright

quinta-feira, 18 de julho de 2013

MUITOS CRISTÃOS SABEM "DEFENDER" A FÉ CRISTÃ, PORÉM, NÃO SABEM AMAR

Hoje, vemos uma legião de “cristãos” na internet, que querem de toda e por toda forma “defender” a fé Cristã. Defender o Evangelho de Cristo e dos Apóstolos contra as heresias que entram nas igrejas evangélicas. É legitimo? Sim! Podemos e devemos defender o evangelho contra  doutrinas e ensinamentos divorciados das Sagradas Escrituras, porém, vejo que alguns desses “defensores” do evangelho,  agem como se fossem os únicos  conhecedores da Bíblia, como se somente eles tivessem sidos incumbidos por Deus para  “ensinar” a sua Santa Palavra. Será que estes conhecem mesmo as doutrinas Biblicas?

"Humildemente",  estes  “doutores” da Palavra de Deus,  dizem que a maioria dos cristãos são: incautos, ignorantes e desconhecedores das Escrituras. Talvez,   pensem eles: “Sem os meus “ensinamentos” apologéticos, a maioria perderá a salvação”.

Em prol deste evangelho genuíno, os mesmos se indispõem em rede social: brigam, xingam,  satirizam o irmão, e se tornam inimigos dos que não concordam com seus “ensinamentos”. A que ponto  chegamos em prol da defesa da fé! (risos).  “Ainda sois carnais. Pois havendo entre vós inveja e contendas, não sois carnais, e não andais segundo  os homens?” (I Co 3.3).

O IMPERATIVO MÁXIMO DE CRISTO PARA A SUA IGREJA - Mateus 28.19,20

1. IDE“Ide, ensinai todas as nações”. Isto é, “fazei discípulos”.  ou “ajuntai discípulos”. (Mt 28.19). Temos que nos levantar e mover-nos em direção dos que estão necessitados da salvação. Assim fez Filipe, depois,  abriu a sua boca e anunciou Jesus ao eunuco.  (At 8.26-40)

2. BATIZAR“Batizando-as em nome do Pai, e do Filho,  e do Espírito Santo.” (Mt 28.19). Este ato representa o compromisso que uma pessoa assume quando crê que Jesus Cristo é o Filho de Deus. (At 8.34-38)

3. ENSINAR AS DOUTRINAS BIBLICA. A doutrina das Escrituras, de Deus, de Jesus Cristo, do Espírito Santo, do Homem, do Pecado, da Salvação, da Igreja, dos Anjos, das Ultimas coisas, etc. “Toda a escritura é divinamente proveitosa para ensinar, para repreender, para corrigir,  para instruir em justiça; a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente preparado para toda a boa obra.” (II Tm 3.16,17).  

Ide, batizar e ensinar constituem a Grande Comissão de Cristo a todos os seus seguidores. Muitos, porém, somente querem ser “mestres”.  É fato que,  existem problemas no seio do cristianismo: há igrejas e “igrejas”, há pastores e “pastores”, há doutrinas e “doutrinas”, há ensinamentos e “ensinamentos”.  

Desde os primórdios da igreja alguns tentaram distorcer o evangelho de Jesus Cristo, e hoje não é diferente. Temos visto e ouvido um outro evangelho sendo pregado por falsos mestres e sendo seguido por muitos cristãos que iludidos, ludibriados e enganados  não examinam a Palavra de Deus. "Errais, não conhecendo as Escrituras." (Mt 22.29). “Se permanecerdes no meu ensino, verdadeiramente sereis meus discípulos. Então conhecereis a verdade e a verdade vos libertará.” (Jo 8.31,32)

OUTRO EVANGELHO:

- Evangelho judaizante: dizem que o homem necessita viver os rituais judaicos para ser salvo. Temos igrejas evangélicas que ainda praticam rituais judaicos e determinadas leis cerimoniais e sociais. Leis que foram dadas somente para o povo judeu. “Estas são sombras de coisas futuras; a realidade encontra-se em Cristo.” (Cl 2.17). Separados estais de Cristo, vós os que vos justificais pela lei, da graça tendes caído.” (Gl 5.4; Cl2.16,17)). Estes retrocederam na fé.

- Evangelho legalista: ensinam a boa conduta como meio de conduzir o homem a Deus. . “Pois todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus, e são justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus.”. (Rm 3.23,24). Estes acreditam serem salvos pelas obras e não pela graça de Deus em aceitar tal maravilhosa salvação

- Evangelho antinomianistas: afirmam que o cristão está acima de lei e não precisa de normas da Palavra de Deus.  “O mesmo Deus de paz vos santifique completamente. E todo o vosso espírito, alma e corpo sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo”. (I Ts. 5.23). Estes acreditam que “Deus só quer coração”.

- O Evangelho da prosperidade: que dá ênfase no ter como objetivo da fé, e não no ser, etc. Este era o evangelho dos “amigos” de Jó. Elifaz pregava sobre um relacionamento mercantilista com Deus, Bildade sobre a teologia da prosperidade e Eliú em sua fala discorre sobre a teologia do sofrimento. Porém, ainda existem muitos outros tipos de outros “evangelho” sendo pregado nos púlpitos de muitas igrejas evangélicas, se não vigiarmos até  nas nossas. Estes acreditam que a espiritualmente de um cristçao é medida pelo que ele tem e não pelo que ele é. 

- Considere esse outro evangelho maldito
"A palavra anátema, (gr, anathema) significa alguém que está sob maldiçaõ divina, condenado a destruição e que será alvo da ira de Cristo.". "Se alguém vos anunciar um evangelho além do que já recebeste, seja anátma." (Gl 1.9).

Crentes fundamentados em doutrinas de homens e de demônios
Nas igrejas “cristãs" que os falsos mestres pregam e ensinam doutrinas desvirtuadas da Palavra de Deus, o resultado será  uma igreja que o povo estará fundamentado em doutrinas de homens e, ou, doutrinas de demônios. (Mt 15.9; I Tm 4.1). O crente deverá estar fundamentado na Palavra de Deus.

Crentes “meninos” na fé
Temos ainda outras igrejas,  que também  não ensinam como bem utilizar os dons espirituais no seio da igreja. Falta estudo da Palavra de Deus,  discernimento espiritual, sabedoria dos Líderes dessas igrejas.  O resultado desta falta de ensinamento resultará em “crentes meninos” na fé: pulos, rodopios,  corre-corre, cai-cai, desordem, desequilíbrio, etc. “Mas faça-se tudo com decência e ordem.”. (I Co 14.40). “Os espíritos dos profetas estão sujeitos aos próprios profetas.” (I Co 14.32).
   
“Defensores” do evangelho riem, satirizam de crentes meninos na fé
Temos visto muitos vídeos nas redes sociais de “crente meninos”, e os “defensores” do evangelho rindo às custas destes.  É impossível um cristão ter o Fruto do Espírito Santo atuante em sua vida e viver brigando, xingando, satirizando o irmão em rede social ou em blogs.

Muitos  defendem o evangelho, mas não  vivem o evangelho de Jesus Cristo.
Não têm nas suas atitudes as “marcas” de Cristo. Após combater as heresias nas igrejas da Galácia, o maior de todos os Apologistas declarou: “Finalmente, ninguém me inquiete, pois trago em meu corpo as marcas de Jesus.” (Gl 6.17).

Paulo,  carregou em sua vida, a maior de todas as marcas - As marcas indeléveis do amor – Ele amou a  todos àqueles a quem pregou, batizou, ensinou, curou...

Defensores e “defensores” do Evangelho: “Sejamos imitadores de Paulo, como ele foi de Cristo’ (I Co 11.1)

A defesa da fé cristã não pode estar acima do amor a Deus e ao meu próximo
“Conheço as tuas obras, e o teu trabalho, e a tua perseverança, e que não podes suportar os maus, e que puseste à prova os que se dizem apóstolos e não o são,  e os achaste mentirosos. Tens perseverança, e por causa do meu nome sofreste, e não desfaleceste. Tenho, porém, contra ti que deixaste o teu primeiro amor. Lembra-te de onde caíste” Arrepende-te, e pratica as primeiras obras. Se não te arrependeres, brevemente virei a ti, e removerei do seu lugar o teu candeeiro, se não te arrependeres...Ao que vencer, dar-lhe-ei a comer da árvore da vida, que está no paraíso de Deus”. (ap 2.1-7).

Defendamos a fé cristá, contudo, com muita submissão, humildade e amor fraternal. "Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes." (Tg 4.6). 

A todos, irmãos e amigos, que querem aprender mais sobre a Palavra de Deus e crescer na graça e no conhecimento, sugiro os Blogs: Olhar Cristão e Blog do Ciro.

Que Deus os abençoe em Cristo, amigos e irmãos!

Isabel Lima

quarta-feira, 26 de junho de 2013

QUANTO TEMOS AMADO A JESUS?

A pergunta mais importante que Pedro teve que responder para Jesus: “Simão, filho de João, amas-me?” (Jo 21.15).  Esta mesma pergunta que Jesus dirigiu à Pedro é a grande pergunta que Ele dirige a eu e você: “Amas-me?”.

Dizer: “eu te amo Senhor”, não responde a esta pergunta, porém, há algo que responde a esta pergunta:

- Como esposas, temos sido  submissas aos nossos maridos?
“Vós, mulheres submeteu-vos a vossos maridos, com ao Senhor.” (Ef5.22)

- Como esposos, temos amado as nossas esposas?
“Vós, maridos, amai a vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela.” (Ef 5.25)- Quanto temos amado o nosso inimigo?
“ Eu, porém, vos digo: Amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem” (Mt 5.43)

- Temos servido a dois senhores: a Deus e o mundo:
“Ninguém pode servir a dois senhores.” (Mt 6.24)

- Temos julgado o nosso próximo?
“Não julgueis para que não sejais julgados.”  (Mt 7.1)

- Temos temos amado o nosso o irmão?
“Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal.” (Rm 12.10)

- Temos falado mentira?
“Pelo que deixai a mentira, e falai a verdade cada um com o seu próximo, pois somos membros uns dos outros.” (Ef 4.25)

- Temos perdoado?
“Antes sede uns para com os outros benignos, compassivos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou.” (Ef 4.32)

- Como filhos, tenho sido obedientes e  honrado os nossos pais?
“Vós, filhos, sede obedientes a vossos pais no Senhor, pois isto é justo.” (Ef6.1)

- Como pais, temos provocado a ira de nossos  filhos?
“Vós, pais, não provoqueis á irra a vossos filhos, mas criai-os na disciplina e instrução do Senhor”. (Ef 6.4

- Como servos, temos obedecido a nossos senhores:
 “Vós, servos, obedecei a vossos senhores...na sinceridade de vosso coração, como a Cristo. Não obedecei a vossos senhores apenas quando estão olhando, só para agradar a homens, mas como servos de Cristo, fazendo de coraão e vontade a Deus.” (Ef 6.5)

- Como senhores, temos ameaçado os nossos servos?
“E vos, senhores, fazei o mesmo para com eles, deixando as ameaças, sabendo também que o Senhor deles e vosso está nos céu, e que para com ele não há acepção de pessoas.” (EF6.9)

- O quanto temos obedecido a Palavra do Senhor? Quanto temos obedecido estes e outros  ensinamentos que  nos foi dado pelos Profetas por Jesus e pelos Apóstolos?

A guarda dos mandamentos bíblicos aponta a quantidade e a qualidade do amor que sentimos  por Jesus. Ele quer que o amemos de todo o nosso coração e de toda a nossa alma”. Jesus não aceita um coração divido. 

É a nossa obediência à Palavra Deus que responde a grande pergunta de Jesus: “Amas-me...?” .  “Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda, esse é o que me ama.” (Jo 14.21). Jesus sabia que Pedro o amava, por isso, humildemente, Pedro respondeu: “Sim, Senhor, tu sabes que te amo”. (Jó 21.15)   Jesus, Deus Filho Onisciente, também sabe o quanto O temos amado.  “Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda, esse é o que me ama.” (Jo 14.21)  

Fica aqui a importante pergunta de Jesus: “Amas-me?”

Isabel Lima

OS DEZ MANDAMENTOS DO CRISTÃO DIANTE DAS MANIFESTAÇÕES BRASIL AFORA

1. Manifestar-se pacificamente
Participar das manifestações,  desde que seja pacífica: “Bem aventurado os pacificadores, porque eles serão chamados filhos de Deus". (Mt 5.9)

2. Conhecer, ler, sobre os lideres das manifestações
Ler, conhecer quem são os lideres das manifestações. “Quando os ímpios sobem os homens se escondem...”. (Pv 28.28);

3. Conhecer, ler, sobre os reais objetivos das manifestações
Conhecer os ideais e a motivação dos lideres que propõem uma manifestação, para que não sermos usados por  grupos radicais. “Examinai tudo, retei o bem”. (I Ts 5.21)

4. Respeitar o seu próximo
“Amarás o teu próximo como a ti mesmo”. (Lc 22.39).  Quando tiramos o direito do outro de “ir e vir”, não estamos amando o nosso próximo como a nós mesmos. Da forma que quero ser respeitada tenho que respeitar.

5. Sujeitar-se às autoridades
Toda a pessoa esteja sujeita às autoridades superiores, pois não há autoridade que não venha de Deus.” (Rm 13.1). Razões porque devemos sujeitar-nos às autoridades:
a) As autoridades foram ordenadas por Deus. (Rm 13.1)
b) Resistir às autoridades é resistir as ordenanças de Deus, e há de se arcar com as conseqüências. (Rm 13.2)              
c) Ela é ministro (servo, servidor, serviçal) de Deus. (Rm  13.4)
d) Não somente por causa do castigo, mas também por causa da consciência para com
    Deus. (Rm 13.5).
e) Lembrar-se do exemplo de Jesus, a sujeição dever ser um ato voluntário (Mt 17.24-27; 22.15-22)

6. Reivindicar direitos, porém, com objetivos concretos
Objetivos que podem ser realizados a curto, médio ou a longo prazo, e não juntar-se a manifestantes “esquerdopatas”,  anticapitalistas e antidemocrátas,  que sonham com um Brasil socialista. “Teme ao Senhor, filho meu, e ao rei, e não te entremetas com os rebeldes”. (Pv 24.21)

7. Não ser alienado
Manifestar-se pacificamente contra tudo o que pode prejudicar o cidadão e o cristão no âmbito politico, econômico,  social e religioso: corrupção, impunidade, injustiça, Projetos de Leis antibiblico, etc.  João Batista não era alienado e denunciou  Herodes quando este possuiu a mulher de seu irmão: “Não é lícito possuí-la”. (Mt 14.4).

8. Não causar dano ao patrimônio público e privado
“Portanto, tudo o que quereis que homens vos façam, fazei-o também a ele...”. (Mt 7.12). É exatamente o que está ocorrendo em nosso País, vândalos têm causado prejuízos incalculáveis em nossas cidades e sabe quem pagará a conta? O trabalhador contribuinte.

9. Não apoiar anarquistas, vândalos, baderneiros...
Não apoiar de forma nenhuma, pessoas que se dizem revoltadas com o Governo, isso não justifica o  vandalismo que está ocorrendo, também não ser contra  policiais que  agem dentro da Lei:  “Por isso os magistrados não são terror para as boas obras, mas para as más...Ela é ministro de Deus, agente da ira para castigar o que pratica o mal”. (Rm 13.1-3,4).

10. Orar pelas Autoridades constituídas
Para que tenhamos paz, tranqüilidade: “Exorto, pois, antes de tudo que se façam súplicas, orações, intercessões e ações de graça por todos os homens, pelos reis, e por todos os que exercem autoridade, para que tenhamos uma vida tranqüila e sossegada, em toda a piedade e honestidade. (I Tm 2.1,2)

Como bem disse o Pe. Anderson Alves: “Reivindicar tudo significa o mesmo que reivindicar nada,  pois se tudo é direito, nada é direito”.

Isabel Lima

Fonte: Internet:
. Movimento Passe Livre: http://pt.wikipedia.org/wiki/Movimento_Passe_Livre. Acesso em 24/06/2013 
. Princípios cristãos para manifestações democráticas.
Acesso em 24/06/2013 
. Ativista do Movimento Passe Livre diz que não negocia trajeto de manifestação:
. Movimento Passe Livre: http://pt.wikipedia.org/wiki/Movimento_Passe_Livre. Acesso em 24/06/2013 


“PARA SE CONSTRUIR UM PAÍS MELHOR NÃO É NECESSÁRIO DESTRUIR O QUE TEMOS AGORA"

Uma manifestação é uma forma de ação de protesto. Um protesto de um coletivo de pessoas, que consiste numa concentração e/ou um desfile, em geral com cartazes e com palavras de ordem contra ou a favor de algo ou alguém. As manifestações têm o objetivo de demonstrar em geral ao poder instalado seu  descontentamento. Os tópicos das manifestações são em geral do âmbito politico, econômico e social. 

“Manifestação”  é a palavra mais usada no Brasil nestes últimos dias, pois é o que mais temos visto por toda a parte..

“As Manifestações no Brasil estão sendo organizadas por grupos de profunda inspiração marxista”. A intenção é que o atual Governo seja mais radical, pois o  intuito principal  é a mudança do sistema, pois são anticapitalistas. Manifestantes bem intencionados,  que realmente clamam por mudanças em várias áreas, tais como: política, social, econômica, educacional, saúde, etc,  são usados por esses grupos radicais. “Brigam” por um “objetivo”, mas a intenção maior e final é chegar a outros “objetivos”.

Deixam muito claro em suas reivindicações que são anticapitalistas.   Dizem que o capitalismo é “opressor”, dizem também ser contra outras formas de opressão. Escreveu uma das lideres do Movimento em São Paulo: “Tem gente que não consegue nem mobilizar dez pessoas e leva uma faixa com dizeres horríveis, como coisas contra a legalização do aborto e outras”. O Movimento se coloca contra todo tipo de preconceito (racial, sexual, gênero etc.).  “Como esses grupos radicais não ganham suficientes votos, pretendem impor suas ideias por meio da força de alguns “heróis” e pela manipulação emotiva das grandes massas.” (Pe. Anderson Alves).

Multidões de manifestações,  bem intencionado, saíram às ruas pacificamente. Em quase todas as manifestações Brasil afora,  com raras exceções, o término foi: anarquia, caos, desordem, vandalismo, violência, etc.  “Atraem muita gente que realmente se manifesta de modo pacífico; porém, em certo momento, acabam utilizando métodos violentos para sofrer uma justa resposta das ordens de segurança e se apresentarem como vítimas do Estado repressor. O objetivo é desestabilizar os governos e todos os partidos políticos, através da manipulação popular. Depois das manifestações passam a ideia de que a violência não era intencional, mas que foram pessoas “infiltradas” que a promoveram”. (Pe. Anderson Alves). Por que será que as ações de violências, principalmente, nas grandes capitais, foram tão parecidas?

"Devemos ter um espírito crítico para averiguar se os violentos são “aproveitadores” e “infiltrados” nas manifestações, ou se são os seus mesmos organizadores, que se aproveitam do apoio popular para justificar assim suas ideias e métodos”. (Pe. Anderson Alves)

A nossa Carta Magna concede o direito dos cidadãos de se manifestarem, porém, pacificamente, sem anarquia, por isso, sou totalmente contra "manifestantes" deliquentes, vândalos, desordeiros, até porque tenho duas cidadanias:

1. Sou cidadã da Terra, isto é, sou cidadã do Brasil, e   como tal tenho direitos e deveres a serem cumprido. Artigo 5 inciso XVI da Constituição Federal de 1988: todos podem reunir-se pacificamente, sem armas, em locais abertos ao público, independentemente de autorização, desde que não frustrem outra reunião anteriormente convocada para o mesmo local, sendo apenas exigido prévio aviso à autoridade;

2. Sou cidadã do céu. Sou cristã protestante, e como protestante protesto contra tudo o não está de acordo com a Palavra de Deus, principalmente a violência. 

3. E sou também Educadora, com muita honra!  O educador no processo de ensino/aprendizagem tem a função de conduzir o Educando a aprender cidadania, valores. Um cidadão de bem e um educador nunca será a favor do vandalismo, ainda que os lideres deste Movimento os trate como “pessoas pobres” e outros como “pessoas revoltados" com o Governo, como educadora digo que são “vândalos”, desordeiros e não sabem o que é cidadania, valores e nem o que representa ser cidadão em uma República democrática. 

Não sou alienada e sei muito bem o que significa a palavra “corrupção”, “impunidade”, “injustiça”, etc. Porém, sei também que “um erro não justifica o outro". Sou sim, a favor de manifestações, mas pacíficas e democráticas.  As manifestações que têm como líderes este movimento de antidemocratas estão cometendo muita desordem em nosso País. 

Todo cristão, como um bom cidadão, pode participar de uma manifestação, desde que ele saiba exercer a sua cidadania, isto é, desde que ele saiba exercer o conjunto de direitos e deveres na qual está sujeito em relação à sociedade em que vive.

Isabel Lima

Fonte: Internet:
. Movimento Passe Livre: http://pt.wikipedia.org/wiki/Movimento_Passe_Livre. Acesso em 24/06/2013 
. Princípios cristãos para manifestações democráticas.
Acesso em 24/06/2013 
. Ativista do Movimento Passe Livre diz que não negocia trajeto de manifestação:
. Movimento Passe Livre: http://pt.wikipedia.org/wiki/Movimento_Passe_Livre. Acesso em 24/06/2013  


sexta-feira, 17 de maio de 2013

MARTA E MARIA – EM QUE “MUNDO” VIVEMOS?

Duas irmãs: Marta e Maria, amigas de Jesus e amadas pelo Mestre, porém, com temperamentos completamente diferentes. Marta era a mais velha, por isso o seu nome vem primeiro. Ao lermos a  Bíblia Sagrada,  em Lucas 10.38-10,  vemos as duas irmãs reagindo diante de fatos corriqueiros, de formas opostas.

Ao receber a visita de Jesus em sua casa,  veja como reagiu Marta e como reagiu Maria: Marta era dona de casa e era hospitaleira,  sempre preocupada com os afazeres domésticos, irrequieta. O amigo Jesus disse que ela “andava distraída em muitos serviços”,  em resposta a sua pergunta: "Senhor , não te importas de que minha irmã me deixe servir só?" (Lc 10.40).

Marta queria que Maria fosse igual a ela, reagisse como ela, se preocupasse como ela, fosse como "ela". E  nós, também queremos que as pessoas: familiares, amigos, irmãos, sintam como nós, pensem como nós, tenham os mesmos desejos que temos? Queremos que as pessoas sejam iguais a nós? Ou respeitamos, como Jesus respeitou as irmãs, o direito de cada uma ser singular, única...

Jesus, muito ético,  não iria questionar com Marta sobre o seu temperameto, porém,  a partir do momento que ela questionou com ele sobre o temperamento de sua irmã Maria: assentanda, e ouvindo o Mestre, enquanto ela, sozinha e atarefada servia os convidados, Jesus com muito amor e sinceridade respondeu a ela: “Marta, Marta, estás ansiosa e preocupada com muitas coisas” (Lc 10.41). Ele mostrou a ela que o “mundo” que ela havia escolhido para viver não era o melhor para a sua vida e nem para a vida de seus ente-queridos. Ela cobrava muito...

Como seres humanos temos muitas preocupações, por isso, Jesus como bom conhecedor da alma humana nos alertou:: “Não andeis ansiosos pela vossa vida, quanto ao que haveis de comer ou beber; nem pelo vosso corpo, quanto ao que haveis de vestir”. (Mt 6.25).
- "Pare por um momento, e...,"
Olhai as aves do céu...Observei como crescem os lírios do campo...De certo vosso Pai celestial bem sabe que necessitais... Mas buscai primeiro o seu reino e a sua justiça, e todas as coisas vos serão acrescentadas. (Mt 6.26,28,32,33). 
- Aquietai-vos filhos, aquietai-vos filhas, vem e descansem em mim: "Vinde a mim todos que estão cansados e sobrecarregados,  e eu vos aliviarei". (Mt 11.28)

Como nos preocupamos com o futuro!“Portanto, não andeis ansiosos pelo dia de amanhã, pois o amanhã se preocupa consigo mesmo”. Basta a cada dia o seu mal." (Mt 6.34)

Hoje, necessitamos entrar no “mundo” de Maria! Como ela, devemos nos aquietar, assentarmos-nos aos pés de Jesus e ouvirmos à sua Palavra.” (Lc 10.39). Maria não perdia a oportunidade de ouvir Jesus contar sobre coisas grandes e firmes que ela não sabia":  “Os cegos vêem, os coxos andam, os leprosos são limpos, os surdos ouvem, os mortos são ressuscitados e aos pobres é anunciado o evangelho.” (Mt 11.5). Maria, sábia e equilibradamente soube dosar muito bem entre a boa recepção e a comunhão.  

Outra situação em que podemos ver as duas irmãs reagirem com temperamentos contrastantes:    Diante da morte do irmão Lázaro, (Jo 11.1-44), vemos que as irmãs mandaram chamar Jesus, entretanto, "Jesus chegou já fazia quatro dias que Lázaro havia sido enterrado." (Jo 11.17).  Marta, muito agitada, “saiu-lhe ao encontro”. (Lc 11.20). Maria, porém, ficou em casa. Marta  com fé e esperança fala para Jesus: “Senhor, se tu estivesses aqui, meu irmão não teria morrido”. (Jo 11.21, 32). Ela cria no Cristo, no Messias, que Jesus era o Filho de Deus (Jo 11.27) e que Ele poderia ter curado o seu amado irmão.

Marta agitada, como sempre, foi chamar  Maria, que “levantou-se depressa e foi encontrar-se com Jesus”. “Quando Maria chegou ao lugar onde Jesus estava e o viu, caiu-lhe aos pés, dizendo: Senhor, se tu estivesses aqui, meu irmão não teria morrido”. (Jo 11.32). A atitude, a reação de Maria, tocou profundamente o coração e Jesus: “Jesus vendo-a chorar, e também chorando os judeus que com ela se encontravam, comoveu-se... Jesus chorou...”. (Jo 11.32,35). Quando nos prostramos aos pés do Jesusr e choramos expressando toda a nossa dor, tocamos o coração de Deus.

As irmãs Marta e Maria esperavam que Jesus chegasse “a tempopara curar seu irmão, entretanto, Jesus chegou na hora certa,  Ele não se atrasa! As irmãs que esperavam uma cura da parte do Messias, receberam o milagre de ter o irmão de volta ao lar. Que felicidade, que alegria! Elas podiam rever o rosto do irmão amado novamente, abraçá-lo, beijá-lo, conversar com ele novamente. Jesus superou todas as  expectativas de Marta, de Maria e de muitos judeus, quando disse ao defunto::  “Lázaro, vem para fora! O morto saiu..." (Jo 11.43, 44). Todos, ali,   esperavam o possível, Jesus, porém,  fez o impossível!

Marta cria no Filho de Deus, no Messias, cria em seu poder, ela era uma mulher convertida, presenciou um milagre sobrenatural, mas, ainda assim, continuava agitada, preocupada, ansiosa, inquieta com as coisas temporais e continuava distraida com as coisas eternas: “Seis dias antes da páscoa, Jesus chegou a Betânia, onde vivia Lázaro...,Ofereceram-lhe ali um jantar... (Jo 12.1, 2). E  como não podia ser diferente:  “Marta servia”.  Já Maria, não perdia a oportunidade de estar ao lado, pertinho do seu Amigo Jesus: “Então tomou uma libra de um nardo puro, um perfume muito caro, ungiu os pés de Jesus e os enxugou com os seus cabelos. E toda a casa se encheu com a fragrância do perfume”. (Jo 12.3), O perfume custava o equivalente a quase um ano de salário de um trabalhador. Maria deu tudo o que ela tinha para Jesus, deu o melhor de si, deu todo o seu "amor" para o Filho de Deus. E nós temos dado o melhor de nós para Jesus?

Como será que Marta teria reagido se ela soubesse que aquela semana seria a última semana de seu fiel e verdadeiro amigo – Jesus? Será que ela teria feito como sua irmã Maria: se assentando aos pés do Mestre,  ouvido suas Palavras,  ungido os seus pés  com um perfume caríssimo e o enxugado com os seus próprios cabelos? Apredendemos aqui que o "serviço nunca deve tomar o lugar da adoração e que a adoração nunca impede o serviço necessário".

Hoje, vivemos mais o mundo das “Martas”do que das o mundo das “Marias”.  A balança de Marta pendia para o serviço, para a boa recepção,  Está, não é a melhor parte!  Foi assim no passado: nos dias de Noé e de Ló e continua no presente: ”comemos, bebemos, casamos, compramos, vendemos, plantamos, edificamos... “Assim será no dia em que o Filho do homem se manifestar”. (Lc 17.26-30). Necessitamos vigiar! A balanaça de Marta pendia para o serviço, a boa recepção.

Em qual “mundo” estamos vivendo? Qual o mundo que nos preocupa mais: o mundo material, ou o mundo espiritual? É obvío, que como cidadãos da terra, necessitamos cuidar de nossos afazeres, necessitamos trabalhar, necessitamos termos responsabilidades, porém, o maior título de uma Mulher, o maior título de um ser humano, não é ser esposa(o), não é ser  mãe, não ser pai, não é ser  professor(a), não é ser psicólogo(a), não é ser pregador(a), não é ser dirigente de circulo de oração, etc. O maior título de uma Mulher, de um ser humano,  é ser - Filho de Deus! Poder dizer: Paizinho, Papai...(Ler artigo: Nobilíssimo título: Filhos de Deus! Textos Versáteis). Ainda somos cidadãos desta Pátria, mas o nosso coração não deve estar ligado, preocupado, ansioso demais com as coisas desta Pátria.

Portanto, como Maria assentemo-nos imediatamente aos pés do Senhor, ouçamos a sua voz e adoremos-O, pois Deus procura muitas “Marias”, verdadeiros adoradores,  que adorem o Pai em espírito e em verdade. Escolhamos, pois, a melhor parte, pensemos, busquemos uma Pátria melhor, a Pátria celestial! Pois,  aqui nesta terra somos forasteiros, peregrinos. A nossa Pátria é o céu, somos cidadãos do céu!

"Muitos pratos não eram requeridos; somente um seria o suficiente. Era a comunhão que Jesus valorizava e não a boa recepção".“Portanto, nós não atentamos nas coisas que se veem, mas nas que não se veem. Pois as que se veem são temporais, e as que não se veem são eternas..” (II Co 4.18)


Isabel  Lima
Copyright

sábado, 27 de abril de 2013

PERDAS...

No dia 27/04/2013,  escrevi este texto:

"Perdi o sono, 02h48min, horrível! Por outro lado, muito bom, pois a “perda” levou-me a lembrar de um homem que sofreu perdas sobre perdas, perdas irreparáveis, porém, que no "último ato”, com Deus, saiu-se vitorioso!


Lembrei-me do Patriarca Jó! De repente, Jó perdeu tudo: perdeu os bens, perdeu os dez filhos, perdeu a saúde, perdeu o apoio psicológico da esposa, perdeu o status, perdeu a compaixão dos "amigos", etc. Minha mente finita não consegue alcançar o sofrimento de Jó.

Ele sofreu perdas em quase todas as áreas de sua vida: física, financeira, social, emocional, psicológica...


Vejam o ápice do sofrimento de Jó: "...e saiu Satanás da presença do Senhor, e feriu a Jó de chagas malignas, desde a planta do pé até o alto da cabeça. Então Jó, tomando um caco de telha para com ele se rapar, assentou-se no meio da cinza". (Jó 2.7,80.

Porém, e apesar de todo este sofrimento, Jó não perdeu o que tinha de mais precioso em sua vida - A fé em um Deus vivo! Após todas estas tragédias, diz ele com uma fé inabalável: " Eu sei que o meu Redentor vive, e que por fim se levantará sobre a terra. E depois de consumida a minha pele, ainda em minha carne verei a Deus. Vê-lo-ei por mim mesmo, com meus próprios olhos, eu, não outros. Como o meu coração anseia dentro de mim!". (Jó 19.25-27).

O anseio de Jó em ver a face do seu Deus-Remidor sobrepujou todos os demais desejos de seu coração, sobrepujou as perdas, sobrepujou a cura..., Deus tinha um lugar único na vida de Jó, Ele estava acima de tudo e de todos, acima de sua própria vida.

Deus “apostou” em Jó como um servo íntegro, reto, temente a Ele e que se desviava do mal", e mesmo diante de tantas perdas Ele sabia que Jó não blasfemaria dEle. E assim sucedeu... Jó, mesmo diante de tamanho sofrimento, também “apostou” em Deus, ao declarar convicto: “Ainda que ele me mate, nele esperarei”. (Jó 13.15)..

Quais têm sido as nossas “perdas”? Deus pode apostar em nós? E nós, temos apostado em Deus, no nosso Remidor, no nosso Ajudador?

Ainda que soframos perdas em muitas áreas da nossa vida, sempre sairemos vencedores por meio de Cristo Jesus, mesmo que tenhamos que enfrentar uma "cruz".

“Pois estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, nem o presente, nem o porvir, nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor”. (Rm 8. 28,29)."

Tenham um excelente final de semana, na presença do Senhor, mesmo diante de tantas "perdas".

(Isabel Lima)


quinta-feira, 25 de abril de 2013

Nobilíssimo Título: FILHOS DE DEUS!

“Título é  uma designação atribuída a um individuo em razão das suas qualidades, que podem ser de natureza nobiliárquica, acadêmica, religiosa, profissional, eletiva ou honorífica”.(Wikipédia). Alguns títulos: professor,  pastor, médico, rainha, missionário, engenheiro, gari, gerente, diretor, fonoaudióloga, príncipe, porteiro, enfermeira, analista de sistema, segurança, rei, evangelista, fisioterapeuta, bispo, apóstolo, etc.

Títulos são gratificantes, e muitos dos citados acima são úteis para beneficiar o ser humano e conceder ao homem uma  qualidade de vida  melhor,  tanto física  quanto espiritualmente, outros, porém, são pura ostentação...

Porém, existe um “título”que está acima de todos os demais títulos. Título este que, não foi  conquistado  através de dons ou talentos pessoais,  através de anos a fios sentados em uma cadeira escolar, ou através da nobreza hereditária, etc. Para obter tal “titulo” foi necessário haver uma cruz, a cruz de Cristo! Através desta cruz nos foi  concedido o nobre título de sermos chamadoss “FILHOS DE DEUS”,  com direito de fazermos parte da nobilíssima família de Deus, e estarmos assentados em "lugares altos".  Privilégio único e sublime!

Filhos de Deus pela fé em Jesus Cristo. Filhos do Todo Poderoso, por pura GRAÇA e  por puro AMOR. Amor que transcende a imaginação humana. “Todavia, ao Senhor agradou moê-lo, fazendo enfermar” para que tenhamos salvação, amor, paz.... Através de seu Filho Amado, que foi oprimido, humilhado e ferido, Deus desculpou “homens indesculpáveis”..

Para sermos chamados “filhos de Deus”, Jesus pagou um preço altíssimo. Preço de sangue, porém, o amor é sofredor, o amor tudo suporta. (I Co 13.7). Este amor foi uma atitude do coração, da mente e da vontade de Deus para com a humanidade que estava perdida e “longe’ dEle. Deus nos queria aconchegados em seus braços!

“Do alto céus o Pai olhava tudo, cena cruel para um coração de Pai”. Ver seu Filho agonizando num cruento madeiro pela minha e pela sua vida para poder ouvi-lO chamar: “Meu filho!”; “Minha filha!”, esta é a maior expressão de amor de Deus para com a humanidade. “Sois filhos de Deus pela fé em Jesus Cristo”. (Gl 3.26)

O amor de Deus foi "tal', ao dar Jesus,  que nos  foi concedido o direito de ganharmos o céu, e podermos  sussurrar bem pertinho e docemente aos seus ouvidos:  Aba Pai! E como é confortador saber que Deus Pai tem impresso, gravado, em suas mãos o nome de cada filho seu: “Vê, nas palmas da minha mão te gravei;”. (Is 49.16)

Repito: muitos, por falta de oportunidades, talvez não conseguiram adquirir um titulo acadêmico, não conseguiram assentar-se em um banco de uma Universidade, outros não nasceram em uma família real, de sangue “azul”, porem,  o título de “Filho de Deus”, não se adquire em bancos escolares, através dos dons, pagamentos ou hereditariedade, este Título se adquire “abraçando” a fé, o Evangelho, as boas novas de salvação.

Não foi o sangue azul da nobreza que nos permitiu sermos chamados Filhos de Deus, mas, foi o sangue de Jesus,  vertido no calvário que nos deu acesso a este “titulo”.  Basta, simplesmente, crer, aceitar e decidir ter Jesus em sua vida, viver com Jesus uma vida de retidão diante de Deus e obedecer a sua Palavra. A partir desta decisão e dia  memorável de aceitação, passaremos a ser “nobres cidadãos dos céus”.

FILHOS DE DEUS – Título  honorífico, concedido por Deus  a nós cristãos. “O que é o homem, para que tanto o estimes, e ponhas nele a tua atenção, e cada manhã o visites... (Jó 7.17,18).   “O mesmo Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus. Se  nós somos filhos, logo somos também herdeiros, herdeiros de Deus e co-herdeiros com Cristo”. (Rm 8.16,17).

Hoje, através de Jesus, Deus pode nos dizer: “Filhos, Eu vos dei Jesus,  por amor de vós,  dei o meu Filho, meu único e amado Filho para que vós possais ser meus filhinhos...”.

Dádiva divina, sendo este o maior e mais  notável dos títulos, podermos ser chamado  “FILHOS DE DEUS!”.  Podermos chamar docemente: Papai, Paizinho, meu Pai...“Vede quão grande amor nos concedeu o Pai, que fôssemos chamados filhos de Deus. E somos mesmo seus filhos...” (I Jo 3.1)
  
Isabel Lima



sexta-feira, 5 de abril de 2013

A DUPLA TAREFA DE MARCO FELICIANO É GRANDE DEMAIS...

“Não é lúcido pregar no Congresso, e nem é lícito politicar na casa de Deus”. (Jornalista Raquel Sherazade)

Pois é, talvez se jornalista Raquel soubesse o transtorno que o Pastor Feliciano iria enfrentar como Pastor e como Político ela teria orientado ele melhor quanto a “politicar na casa de Deus”.

Em 2010 o Pastor neo-pentecostal (sem entrar em sua linha vertente pentecostal), apoiou o PT na busca desesperada pelos votos dos evangélicos. Tornou-se Deputado Federal por São Paulo, eleito pelo Partido Social Cristão. Em março de 2013,  Feliciano foi eleito presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM) da Câmara dos Deputados do Brasil, e,  é exatamente aqui, nesta Comissão de “Direitos Humanos”, que ele está sendo tolhido de seus direitos e sendo pressionado a deixar o comando da  mesma.

Alvo de protestos por parte de alguns, por ser considerado homofóbico, ao se opor ao casamento gay,  e racista,  por conta de uma frase escrita em seu twitter dizendo que: “A maldição que Noé lança sobre seu neto, Canaã, respinga sobre o continente africano, daí  a fome, pestes, doenças, guerras étnicas”.  Agora, o Deputado encontra-se numa “Via Crúcis”, sendo exposto na mídia,  achincalhado, xingado, ameaçado e “condenado” por uma minoria intolerante,  com o apoio de grande parte da mídia e de alguns cantores e artistas, como a atriz Fernanda Montenegro que deu um beijo na boca da artista Camila Amato em protesto contra a permanência do Deputado na CDHM. 

Cadê os cidadãos: cantores e artistas para protestarem contra os Deputados José Genoino e  João Paulo Cunha como membros da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara? “Justiça” e “Cidadania”...rsrs, duas palavras que não comungam com tais palavras como:  corrupção ativa, formação de quadrilha, peculato, lavagem de dinheiro e corrupção passiva.

Quanto ao Pastor:  "Tudo o que o homem semear, isso também ele ceifará" (Gl 6.7), Marco Feliciano encontra-se no auge de sua colheita: antes PT e Pastor aliados, agora o Pastor "massacrado". Até o próprio  Presidente do PT, Rui Falcão,  não apóia Feliciano na Presidência da CDHM. “Esta sendo ministrado uma importante lição aos evangélicos que começaram a chamar os petistas de companheiros”. Sábias palavras do jornalista Reinaldo Azevedo.

Talvez, o Pastor "fora de si” pensou que podia "pregar" na Câmara e cometeu o ato, digamos,  “não" lícito de politicar na igreja, apoiar petistas...  Eis o grande “pecado” do Pastor e Deputado!   “Pastor” e “Político”  caminham em direções opostas. O Pastor “trabalha” para Deus, o Político “trabalha” para o povo. Pelo menos é assim que deveria ser...

Moisés como Líder Espiritual  e Líder Civil do Povo de Israel
“Moises foi chamado por Deus para ser líder do povo de Israel,  essa função era de natureza espiritual (Ex 3.1-21), mas nas tribos semitas, o líder era também o juiz,  o arbitro entre as  questões do povo (I Sm 7.15-17), por isso, Moisés também exercia a função de legislador do povo de Israel, esta função era de natureza civil (Ex 18.9-16). 

Jetro, o sogro de  Moisés percebeu que as duas funções estavam pesadas demais para as forças de Moisés (Ex 18.17-19), e  também o povo não estava satisfeito, pois para receber a atenção nas suas causas, passavam o dia todo em pé, diante de Moisés desde a manhã até a noite (Ex 18.13,18). Jetro aconselha a  Moisés a exercer mais a liderança espiritual, como profeta de Deus. Ex 18.19-21, e julgar somente as causas graves, delegando  autoridade a homens de Deus para maior resultado e eficiência nos julgamentos das causas civis,  para que ele e o povo pudessem  suportar a tensão. (Ex 18.21-27).

Quanto à questão, sobre Ministros Evangélicos serem políticos
Temos aqui dois pareceres importantíssimos, do saudoso Pr. Valdir Nunes Bícego e do Pr. Antonio Gilberto.

 “Nenhum Ministro atuante deve envolver-se com a militância política, a não ser que, antes, renuncie ao seu Ministério, pois as duas funções simultâneas tornam-se incompatíveis.  A própria igreja católica frisa constantemente que Padres não podem postular-se a cargos políticos”. (Pr. Valdir Nunes Bícego).

“Quanto ao obreiro e a política, não deve aqui haver mistura. “Ninguém que milita se embaraça com negócios desta vida” (II Tm 2.4). Um obreiro realmente chamado por Deus em plena atividade ministerial, não deve jamais trocar sua chamada por qualquer outra coisa, mas caso venha a fazer isso, que deixe o exercício do ministério”. (Pr Antonio Gilberto).

Marco Feliciano: Pastor ou Político?
Deus dotou o homem com livre escolha, por isso, o Pastor e Deputado terá que decidir, ou pelo reino celeste ou pelo reino terrestre, ou exercer a Liderança espiritual ou a Liderança política, pois,  a dupla tarefa é grande demais para ser desempenhada por um só homem”. (Dr. H.B. Swete).

Eis a causa de todo o seu sofrimento, Marcos Feliciano! O "Pastor" e o  "Deputado" estão embaralhados, misturados...

"Que Deus te abençoe e te guarde. O Senhor faça resplandecer o teu rosto sobre ti, e tenha misericórdia de ti. O senhor sobre ti levante o seu rosto, e te dê a paz”. (Nm 7,24-26).

Escrito por Maria Isabel da Silva Lima


P.S.: Hoje, no Brasil, as minorias lutam por seus direitos, mas tentam “caçar” os direitos de outrem que opina, que se comunica, que se expressa, que pensa, que sente, que tem desejos, crenças e valores diferentes dos seus.  Esta sendo tolhido o direito de ser uma “pessoa” neste País, de ser um Ser Humano singular...