quinta-feira, 22 de novembro de 2012

ADORADOR, DEUS PROCURA VOCÊ!

O homem é um adorador por excelência! Ele sente a necessidade de Deus, ele procura Deus em todas partes e em todos lugares, entretanto, devido  a esta necessidade de encontrar Deus, e esta sede de Deus, ele apressado,  pega  atalhos que não o levarão ao verdadeiro Deus, mas sim, que o levarão a outros deuses.

Existe um ditado que diz: “Todos os caminhos levam a Deus," no entanto, isso não é uma verdade,  pois somente. Jesus leva o homem a Deus! “Eu sou o caminho, a verdade e vida. Ninguém vai Pai, senão por mim”. (Jo 14.6).

Jesus conduz o homem a Deus e preenche o vazio de sua alma. Jesus quer ocupar o lugar do seu coração que pertence somente a ele,  nada e ninguém consegue preencher este vazio: nem o cônjuge, nem os filhos, nem o dinheiro, nem a beleza,  nem a inteligência, nem os cursos  acadêmicos, etc. Somente Jesus completa esta lacuna da alma que necessita de um Deus verdadeiro para adorar.

Jesus quer entrar, hoje, em seu coração: “Eis que estou a porta, e bato. Se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo.” (Ap 3.10). Jesus é gentil, e um gentleman! Ele não invade a usa vida, como Satanás o faz. Ele, suave e delicadamente bate à porta do seu coração, você ouvirá a sua voz, mas terá o livre arbítrio de abrir ou não, pois somente entra em sua “casa” quem é convidado, quem você permite. Portanto, convide e permita  Jesus  entrar em sua “casa”, hoje,  e Ele te dará descanso, refrigério, para a sua alma cansada e abatida, te levará à pastos verdejantes, não precisa temer! Ele estará do seu lado, te consolará, prepararás uma mesa perante os teus inimigos e ungirá a sua cabeça com óleo precioso, que descerá sobre a sua vida e cicatrizará todas as suas feridas, e a bondade de Deus e o seu amor te seguirão todos os dias de tua vida (Sl 23).

Adorador, Deus procura você! Ele procura “verdadeiro adoradores, que o adorem em espírito e em verdade”.  (Jó 4.22-24). “Adore o “Rei eterno, imortal, invisível, ao único Deus, seja honra e glória para todo sempre. Amem”. ( I Tm 1.17)

Você, meu caro amigo,  leitor e  adorador, que  leu esta mensagem, sinta Deus te procurando, e  hoje, te achando...

Isabel Lima

terça-feira, 20 de novembro de 2012

CONSCIÊNCIA HUMANIZADA

Para Deus, não há distinção entre  negros e brancos, homens e mulheres, pobres e ricos, altos e baixos,  gordos e magros,  sábios ou tolos, etc. Para Deus existe eu, existe você, existe nós - Seres Humanos - criados à sua imagem e semelhança, “coroado  de glória e de honra”. “O Senhor  não vê como vê o homem. O homem olha para o que esta diante dos olhos, porém Deus olha para o coração.” (I Sm 16.7).

A óptica humana é completamente diferente da óptica divina. A  visão humana é limitada,  alcançamos somente o óbvio, enquanto a visão Divina  alcança o “infinito”, alcança o coração, alcança a alma humana...

Que possa haver em nós, principalmente os cristãos, o mesmo sentimento que houve em Cristo Jesus (Fp 2.5): homens humanizados, homens que enxergam o seu próximo como "Seres Humanos" e sejam  simplesmente “humanos”,  para com o seu semelhante, para com o seu irmão...

 “Todos vós sois filhos de Deus pela fé em Cristo Jesus,... Desta forma não há judeu nem grego, não há servo nem livre, não há machos e nem fêmeas, pois todos vós sois um em Cristo Jesus (Gl 3.26,28).

Que possamos nos completar como irmãos, nos respeitar como bons cidadãos e fazer valer o direito do branco, do negro, do pobre, do rico, do gordo, do magro, do alto, do baixo... Que possamos enxergar “além” do que os nossos físicos conseguem visualizar, que possamos enxergar com os “olhos” do nosso coração, e somente assim conseguiremos  valorizar esta "bela pintura", esta obra prima do Criador -  O Homem – Um Ser Humano - que necessita ser respeitado como pessoa, como cidadão, como gente, como "humano"!   Que os homens tenham harmonia e uma Consciência cada dia mais Humanizada!

Jesus veio remover todas as  todas as distinções étnicas, racionais, nacionais, sociais e sexuais.Que possamos aprender com o nosso Mestre!

Maria Isabel da Silva Lima

TEMPO DE RESTITUIÇÃO NA VIDA DE MEFIBOSETE - PARTE II

Tempo de Restituição na vida de Mefibosete

Havia um pacto, um pacto de amor, feito a muitos anos entre dois amigos: Jônatas, pai de Mefibosete e Davi, agora,  o Rei de Israel. (I Sm 20.14). Mefibosete nada sabia sobre este juramento, mas o Rei Davi jamais se esqueceu deste pacto:  “Usar da   benevolência a qualquer remanescente da família de Saul, por amor de Jônatas”.

Davi agora próspero, lembra-se do solene juramente e pergunta a um dos servos da casa de Saul: “Não há ainda alguém da casa de Saul a quem eu possa mostrar a bondade de Deus?” (II Sm 9.2). Ziba, o servo, responde ao rei: “Ainda há um filho de Jônatas, aleijado de ambos os pés”. (II Sm 9.3).

- Davi manda buscar Mefibosete
Davi não se importou com o detalhe do moço ser “aleijado”, mas mandou trazer o moço de Lo Debar,  ele o trouxe de volta para o palácio (II Sm 5), acalmou o coração do moço, dizendo “Não temas”.  (II Sm 9,7).

Mefibosete obedeceu humildemente ao chamado do Rei
Com muita humildade e “envergonhado” Mefibosete compareceu à presença do Rei Davi. Temeroso, chegou perante o Rei e o ouviu falar sobre um “PACTO”, uma aliança que havia entre ele e seu pai, e que  agora iria beneficiá-lo. Tudo o que ele havia perdido seria restituído.

Ele, um “deficiente”, um “perdedor”,   quem era ele para ser agraciado com tamanha bondade? Ele era somente um jovem  coxo, sem saúde, sem família, sem bens, sem status, sem estima, que vivia longe de Jerusalém, longe do Rei, vivia no deserto, em uma terra seca, inóspita, terra árida, onde havia muita miséria,  muito sofrimento, muita pobreza e muitos doentes... Mefibosete se achava indigno de tal beneficência.

Entretanto, Davi toca o  coração de Mefibosete quando pronuncia alegre e suavemente o seu nome: “Mefibosete!”   (II Sm 9.6), Ele humildemente prostrado,  com  o rosto em terra  responde ao rei Davi: “Teu servo”  (II Sm 9.6). O coração do Rei exultou, O “servo” mesmo não se achando merecedor, aceitou a benevolência, que era resultado de um pacto solene de um juramento de amor.

- Davi acolheu Mefibosete como um  filho
Agora Mefibosete ganhara uma “nova’ família: um novo pai, novos irmãos, novos tios, novos sobrinhos:  “Assim mefibosete comeu à mesa de Davi como um dos seus filhos” ( II Sm 10.11).

- Davi restituiu a Mefibosete os bens de sua família
Tudo o que pertencia a Saul e a toda a sua casa, Davi restituiu a  Mefibosete (II Sm 9.7,9). Mefibosete agora tinha pessoas para o servir. (II Sm 9.12).

- Davi restitui a Mefibosete o status, a honra, a dignidade
Sua posição social foi recuperada, fez o moço  assentar-se à sua mesa, junto com os príncipes, como um dos filhos do Rei,. Ele voltara a conviver no palácio com o Rei, com os príncipes,  com os nobres.

Mefibosete tinha consciente que era indigno de tanta bondade,  sabia que a casa de seu pai era digna de morte,  porém ao invés da morte, veio “vida”, a bondade, a esperança, o amor do coração generoso  de um bondoso Rei. ( II Sm 19.28).

A estima de Mefibosetei  é valorizada
Agora Mefibosete “se cuidava”: cuidava dos pés doentes,  cuidava de sua  barba,  lavava as suas vestes, etc. (I Sm 19. 24). A estima era outra, não mais um “cão morto”, mas um “príncipe” entre os príncipes, “Filho” do Rei!

Mefibosete, sou eu, é você, somos nós...
Mefibosete nasceu “perfeito”, mas perdeu esta perfeição ao cair do colo de sua babá, não diferente foi o homem que Deus criou, Ele o  criou  reto, santo, perfeito: “Façamos o homem a nossa imagem, conforme a  nossa semelhança”. (Gn 1.6). Porém,  “os homens buscaram muitas astúcias” (Ec 7.29). O homem também “caiu”  e perdeu esta semelhança com o seu Criador.

O Homem perdeu semelhança com Deus quando o desobedeceu
Por livre arbítrio, o homem desobedeceu a Deus, e, perdeu a perfeição, a santidade, na qual fora criado. Nós, seres humanos, nos tornamos “deficientes”, “morremos” (Gn 2.16.17), nos separamos do nosso Criador, ficamos longe de Deus, “envergonhados”. Assim com Mefibosete, nos vimos num “deserto”,  numa terra assolada, sozinhos,  doentes, temerosos, sem comunhão com Deus, sem paz, sem esperança, sem amor, sem salvação, sujos, imundos, “doentes” pelo pecado: “Desde a planta do pé até a cabeça não há nele coisa sã, senão feridas, contusões e chagas podres, não espremidas, nem atadas, nem amolecidas com óleo”. (Is 6.6).  Perdemos tudo! Ficamos “miseráveis, pobres, cegos e nus”.

Pacto de Amor entre Deus e a Humanidade
Mas, Deus,  por sua infinita bondade, por puro amor, nos procurou, nos buscou de Lo Debar e não se importou  com as nossas imperfeições, nos chamou pelo nosso nome: Isabel!  Maria! Marta! Leonardo, Vinícius! Ruth! Wilson! José! Raquel!... Fomos tocados e humildemente,  atendemos o seu chamado,  fomos ao encontro do “Rei”, nos prostramos,  e fomos beneficiados por Ele por causa de um PACTO DE AMOR. Um pacto de amor entre Deus e a Humanidade! Não éramos dignos, não somos dignos de usufruirmos de “tal” pacto, pois continuamos “deficientes”, imperfeitos, mas o amor de Deus nos acolheu, cobriu  todas as nossas imperfeições, todas as nossas transgressões, nos limpou, “nos cobriu com vestes de salvação, com o manto de justiça” (Is 61.10).  Amor imensurável! Uma dádiva  para o ser humano, através de Jesus Cristo: “Porque Deu amou o mundo de tal maneira, que deu o seu filho unigênito,  para que todo aquele que  nele crê não pereça,  mas tenha a vida eterna”. ( Jo 3.16).

Éramos dignos de morte, mas imerecidamente ganhamos a “vida”.
Hoje, “feitos’ filhos de Deus, temos sidos abençoados, “com todas as bênçãos espirituais nos lugares celestiais em Cristo” (Ef 1.3), Temos um Pai, fazemos parte de uma nova família, a família de Deus, temos riquezas: comunhão,  paz,  perdão,  bondade,   amor,  salvação... Deus nos restituiu tudo o que havíamos perdido. Agora, estamos assentados, mesmo “coxos’, “deficientes” e imperfeitos, à mesa com o Rei Jesus! Hoje, através de Jesus Cristo, podemos dizer: “Aba, Pai”, Paizinho! Logo somos também “herdeiros de Deus e co-herdeiros de Cristo”). (Gç 4.6).  Fomos chamados de Lo Debar, de um lugar sem pastor, sem pastor, para pastos verdejantes, Estamos em “Jerusalém’, de volta ao Palácio Real, estamos assentados  à mesa com o Reis dos reis e Senhor dos senhores – Jesus Cristo,  o Filho de Deus! Nosso bom Pastor! Aleluia!


Maria Isabel da Silva Lima
Copyrigh
Fonte:
Bíblias: Estudo Pentecostal, Vida Nova,  Thompson, Explicada
O Novo comentário da Bíblia. ed. Vida Nova.
HALLEY, H. Henry. Manual Bíblico. ed. Vida Nova.


TEMPO DE PROSPERIDADE E TEMPO DE PERDAS NA VIDA DE MEFIBOSETE - PARTE I

Tempo de Prosperidade na vida de Mefibosete

Mefibosete, seu nome significa  “vergonha destruidora”, ele pertencia a tribo de Benjamim.

- Mefibosete tinha uma família
Tinha avô, tinha pai, irmãos, tios, primos, etc.

- Mefibosete tinha saúde
Nasceu com saúde, fisicamente perfeito.

- Mefibosete tinha bens
Sua família, como toda família de pessoas nobre, tinham prosperidade: terras, casas, servos, riquezas, etc.

Mefibosete tinha status
Nasceu rico, em um palácio, numa família real: era neto de Rei e filho do príncipe  herdeiro do Trono de Israel, provavelmente, um futuro brilhante o aguardava. Mas os tempos mudam na vida das pessoas: “Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo propósito debaixo do céu: Há tempo de nascer, e tempo de morrer...tempo de chorar e tempo de irir... tempo de buscar e tempo de perder...Tudo fez formoso a seu tempo’. ( Ec 3. 1-11). Agora,  na vida de Mefibosete, chegou o tempo das perdas...


Tempo de perdas na vida de Mefibosete

- Perdeu a Família
Na guerra contra os filisteus perdeu parte de sua família: perdeu seu avô, o rei Saul, perdeu seu pai, Jônatas, seus dois tios: Abinadabe e Malquisua. Tempos depois, os gibeonitas enforcaram mais sete pessoas de sua família. (II Sm 21.1-14).

- Perdeu a Saúde
Ficou coxo muito pequeno, devido a um queda:  “Era da idade de cinco anos quando as noticias de Saul e Jônatas chegaram de Jezreel. A sua ama o tomou, e fugiu, mas apressando-se ela a fugir, ele caiu, e ficou coxo” (II Sm 4.4) .

-  Perdeu os status
Saiu do palácio e foi levado para uma cidade chamada Lo Debar (Lugar sem pasto), na cidade de Manasses, da outra banda do Jordão,  lugar bem longe, onde havia sequidão e miséria, os habitantes eram todos mendigos ou doentes

-  Perdeu os bens
Saul, seu avô, reinou 40 anos sobre Israel, agora o reino passou para as nas mãos de Davi, assim também como os terrenos, casas, servos, servas, riquezas e tudo  mais... f(II Sm 7,9,10). A casa de Saul se enfraqueceu e a casa de Davi se fortaleceu no poder. (II Sm 3.1) Agora, Mefibosete, um descendente da família real,  vivia em Lo Debar de favor,  na casa do Maquir, um rico proprietário.

- Perdeu a estima 
As perdas sofridas, as mortes, a doença, o deserto, deixou o moço profundamente  complexado. Seu estado psicológico e emocional ficaram abalados. Haja  alma humana para suportar tantas perdas, para suportar tamanha dor.  Se via como um “cão morto” (II Sm 9.8), um insignificante. Mas, Deus decidiu mudar o “cativeiro” do  jovem Mefibosete, e usou seu servo, o Rei Davi, para abençoa-lo. Deus haveria de restituir tudo que ele havia perdido. Chegou o tempo de cantar, de abençoar, de rir, de se alegrar!

Continua...

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

QUANTOS DE NÓS, AINDA, SOMOS ANALFABETOS FUNCIONAIS?


14 DE NOVEMBRO - DIA NACIONAL DA ALFABETIZAÇÃO

Como EDUCADORA , este é um dia especial!


O QUE É UM ANALFABETO FUNCIONAL?

1) É a denominação dada à pessoa que, mesmo com a capacidade de decodificar minimamente as letras, geralmente frases, sentenças, textos curtos e os números, não desenvolve a habilidade de interpretação de textos e de fazer as operações matemáticas.

2) Também é definido como analfabeto funcional o individuo maior de quinze anos e que possui escolaridade inferior a quatro anos, embora essa definição não seja muito precisa, já que existem analfabetos funcionais com nível superior de escolaridade.


QUAIS DOS NÍVEIS NOS ENCAIXAMOS?

Nível 1 – ALFABETIZAÇÃO RUDIMENTAR: leem e compreendem títulos de textos e frases curtas; sabem contar, têm dificuldades com a compreensão de números grandes (Ex. 123.000.000.000,00) e em fazer as operações aritméticas básicas (somar, subtrair, multiplicar e dividir.

Nível 2 - ALFABETIZAÇÃO BÁSICA: leem textos curtos, mas só conseguem extrair informações esparsas no texto e não conseguem tirar uma conclusão a respeito do mesmo; e também conseguem entender números grandes, conseguem realizar as operações aritméticas básicas, entretanto sentem dificuldades quando é exigida uma maior quantidade de cálculos, ou em operações matemáticas mais complexas.

Nível 3 - ALFABETIZAÇÃO PLENA: compreende aqueles que detêm pleno domínio da leitura, escrita, dos números e das operações matemáticas (das mais básicas às mais complexas).


SERÁ QUE SOMENTE O TIRIRICA É ANALFABETO FUNCIONAL NO BRASIL?
Muitos brasileiros riram às custas do Deputado eleito,  Franscisco Everdo Oliveira Silva (PR),  o Tiririca. Segundo o Instituto de Medicina Social e de Criminologia, ele foi apontado como analfabeto funcional, havendo dificuldade de interpretar textos, compreender números e ter um vocabulário pobre, etc. Entretanto, devido a sua dedicação, e para surpresa de muitos, ele foi eleito um dos melhores Deputados do ano.

APENAS 25% DA POPULAÇÃO DO BRASIL SE ENCAIXAM NO NÍVEL 3 DA ALFABETIZAÇÃO PLENA
Apenas 1 (um) a cada 4 (quatro) brasileiros  são plenamente alfabetizados,  ou seja,   25% da população - 50 milhões - se encaixam no nível 3,  o restante - 150 milhões de brasileiros - se encaixam como analfabetos e nos níveis 1 e 2 de alfabetização.

“Um País é pobre, educacionalmente, quando os seus cidadãos "manquejam" sobre o caminho das letras”. (Isabel Lima)


FONTE:

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

ONDE ESTÃO OS MORTOS?

Esta é a grande pergunta que inquieta a   humanidade, independente da sua cultura ou de sua religião, seja o homem pagão, ateu, cristão, etc,  todos têm sede de saber sobre o que acontecerá após a morte. “Morrendo o homem, tornará a viver?” (Jó14.14).  Esta pergunta básica que muitos não conseguem responder, poderemos encontrar a sua resposta na Palavra de Deus, a regra de fé e vida de todo cristão.

Ao estudarmos a  Escatologia, “Doutrina das últimas coisas”, o mistério é descortinado à luz da Bíblia,  traz consolo e esperança aos corações tristes, pois temos a certeza que um dia reencontraremos novamente nossos entes queridos que já “dormem” nos braços do Senhor.  (I Ts 1.14)

Porém, neste período intermediário,  entre o falecimento e a ressurreição, onde se encontram os mortos?

O lugar temporário dos mortos
Hoje, quando o homem morre, ele ainda não segue diretamente nem para céu e nem para o inferno,  Ele vai para um lugar temporário: chamado Sheol/Hades ou Paraíso, entretanto, nem sempre foi desta forma.

ANTES DA RESSURREIÇÃO DE CRISTO

1. Mortos Justos
  Corpo (parte material/homem exterior),  seguia para a sepultura
  Espírito e a alma: (parte imaterial/homem interior) desciam para o “Seio de Abraão.
2. Mortos Ímpios
. Corpo – seguia para a sepultura
.   Espírito e a alma – desciam para o Sheol/Hades (Lc 16.22,23)
Obs.: Havia um grande abismo entre os mortos justos e os mortos injustos: "Parábola do rico e Lázaro".  (Lc 16.26).

APÓS A RESSURREIÇÃO DE CRISTO

1. Mortos Justos
. Corpo – segue para sepultura
. Espírito e alma – sobem para o Paraíso, e aguardam a primeira ressurreição (Ap 20.6) no dia do arrebatamento da Igreja, quando os mortos justos serão ressuscitados, para a vida eterna (Dn 12.2/Jó 5.29).

Jesus, após a sua morte esteve três dias e três noites no seio, no coração da  terra (Mt 12.40), nesta descida ao Hades, Cristo efetuou uma grande e permanente mudança na região que ficava os salvos, Ele transferiu os mortos justos, do Sheol ou Hades para a regiãos celestiais, isto é, o Paraíso (Ef 4. 8-10; Mt 16.18).

2. Mortos Ímpios -
. Corpo segue para a sepultura
. Espírito e a alma – Contínua descendo para o Shel/Hades, aguardando a segunda ressurreição, para vergonha e desprezo eterno (Dn 12.2), no Juízo Final, o Grande Trono Branco, o último julgamento do humanidade. (Ap 20.11-15), isso acontecerá depois do Milênio (Ap 20.5). 

Alguns Esclarecimentos:

- O homem é ser um ser tríplice  (I Ts 5.23)
Ele compõe-se de duas substancias: material e imaterial
- material: corpo – homem exterior
- imaterial: espírito e alma - homem interior
“Ainda que o nosso homem exterior se corrompa, o interior, contudo, se renova de dia em dia”. (II Co 4.16)

- A morte é uma realidade
Todos os seres humanos estão sujeitos à morte. A morte é resultado do pecado (Gn 2.16,17/I Co 15.21/ Tg 1.15).  No grego a palavra morte é “thanatos”, que significa “separação”.  A morte separa as partes material (corpo) da parte imaterial (espírito e alma) do ser humano.

- O Sheol/Hades – O mundo invisível dos mortos ímpios
É a habitação provisória dos mortos. Tanto o Velho como o Novo Testamento falam desde “inferno”, sendo em hebraico Sheol e em grego Hades. Ambas as palavras significam o “mundo invisível” dos mortos, é o lugar temporário para onde vai a alma e o espírito dos mortos ímpios,  aguardando o seu destino final (morte eterna). O Apóstolo Paulo descreve esse lugar como “as regiões inferiores da terra” (Ef 4.9). É um lugar de tormento (Lc 16.25)

- O Seio de Abraão - Era o lugar dos justos
É um compartimento do Sheol/Hades, hoje está vazio. O Sheol é dividido em três compartimento: Lugar dos justos,   lugar dos injustos e o Grande que abismo, que tem um poço, que é a prisão dos anjos caídos e dos espíritos maus (II Pe 2.4; Jd 6; Ap 9.1-6)

- O Paraíso
É uma palavra de origem persa e significa uma espécie de Jardim. O Apóstolo Paulo foi arrebatado até ao terceiro céu, isto é, ele foi ao Paraíso. (II  Co 12.1-4), nas regiões celestiais. O Paraíso esta na presente de Cristo (II Co 5.8; Fp 1.23)  O Paraíso é um lugar de consolo (Lc 16.25), de almas conscientes e de posse das faculdades mentais (Ap 6. 9,10).

- As ressurreições
A Bíblia confirma que “há de haver ressurreições tanto de justos como de injustos (At 24.15). A Primeira Ressurreição abrangerá os mortos desde a época de Adão até o Arrebatamento da Igreja. A segunda ressurreição abrangerá os mortos de todas as épocas, desde Adão ate o grande dia do Juízo Final. As duas ressurreições estão separadas entre si, por um período de tempo de pelo menos  mil e sete anos (1007). Haverá o arrebatamento da Igreja em seguida, um período de sete anos da Grande Tribulação, após isso vem a Dispensação Milenar (1000 anos), e após o Milênio que /haverá o Grande Trono Branco (Juízo Final), onde se dará a segunda ressurreição.

Um dia todos morremos, ou seremos transformados, caso estejamos vivos no arrebatamento da Igreja, Porém, assim como temos a certeza da morte, temos que ter  a convicção da ressurreição. É promessa de Jesus Cristo, Reis dos Reis e Senhor dos Senhores,. Ele foi preparar-nos um lugar (Jó 14.2). Portanto,  consolai-vos uns aos outros com estas palavras.” (I Ts 4.18).

Maria Isabel da Silva Lima
Fontes:
Bíblia de Estudo Pentecostal
OLSON. N.Lawrence. O Plano Divino através dos Séculos. CPAD. 180. ed.. 1998
PEARLMAN. Myer. Conhecendo as Doutrinas da Bíblia. ed. Vida. 1970
GILBERTO. Antonio. Apostila. Escatologia Bíblica, Deus revela o futuro.
BICEGO. Valdir Nunes. Apostila: Escatologia, Doutrina das Ultimas Coisas
.