terça-feira, 21 de agosto de 2012

CANTARES DE SALOMÃO – PARTE III

"O homem sem oração é como uma árvore sem raizes"

CÂNTICO DOS CÂNTICOS, significa “o mais excelente dos Cânticos”. É a Expressão  maior da poesia que nasce entre um homem e sua mulher, é um Cântico Nupcial, mas de cunho Espiritual, tipifica o amor de Deus e  Israel, e o amor de Cristo e a Igreja. É um livro Santo, totalmente inspirado pelo Espírito Santo de Deus. Mostra-nos sobre a excelência do amor

O DIÁLOGO ENTRE OS NOIVOS: JESUS E A IGREJA
“Mostra-me a tua face, faze-me ouvir a tua voz, pois  a tua voz é doce, e o teu rosto formoso.” (Ct 2.14).

 Jesus, o noivo,  deseja ouvir a voz da noiva
Nosso Deus fala! Ele é um Deus comunicador. Temos o registro da primeira comunicação de Deus com o homem: “Deus os abençoou e lhes disse: frutificai e multiplicai-vos; enchei a terra...” (Gn 1.28-30).
Assim como Ele se comunicou com Adão e Eva, Ele ainda se comunica conosco, porém,  Ele deseja que também nos comuniquemos com ele: “Mostra-me a tua face, faze-me ouvir a tua voz, pois  a tua voz é doce, e o teu rosto formoso.” (Cr 2.14).

Existe a necessidade do diálogo
Não existe  noivos que não dialoguem entre si. Geralmente, a tendência é as mulheres falarem mais.  Muitas vezes o noivos preferem até que fiquemos um pouquinho caladas, rsrs. Mas, este  Noivo é diferente dos demais, Ele é especial, além dEle nos falar, Ele necessita também nos ouvir, Ele quer nos ouvir, Ele deseja nos ouvir: “De tarde, de manhã e ao meio dia oro e clamo, e ele ouve a minha voz” (Sl 55.17). O salmista falava com Deus ao acordar, no meio do dia e ao declinar o dia. Somos negligentes, acordamos e muitas vezes até nos esquecemos de falar com o nosso Amado. A primeira coisa que um cristão deveria fazer ao acordar seria falar com Jesus. Por mais problemas que tenhamos no decorrer dele,  nosso dia terminará bem:  “em paz nos  deitaremos e dormiremos”. (Sl 4.8).

Devemos ser constantes na oração
“Suba a minha oração perante a tua face como incenso” (Sl 141.2). O incenso simbolizava a oração tanto no Velho Testamento como no Novo. As nossas orações sobem ao céu como cheiro suave, assim com o perfume do fumo do incenso. Duas vezes por dia acendia-se o incenso sobre o altar: de manhã e também ao pôr-do-sol, e provavelmente ardia o dia todo, durante todo o tempo. Isso nos fala da constância da oração: “Orai sem cessar.” (I Ts 5.170

A oração muda situações adversas
“Mudou o Senhor a sorte de Jó, quando este orava pelos seu amigos”. (Jó 42.10)..
   
Patriarcas oravam
A notável oração intercessória do Patriarca Abraão pelo povo de Sodoma e Gomorra. “Agora que me atrevi a falar ao Senhor, ainda que sou pó e cinza”. (Gn 18.17-33)

Reis oravam
Davi com muito medo de Aquis, rei de Gate, orou e foi atendido por Deus: “Busquei ao Senhor, e ele me respondeu, livrou-me de todos os meus temores... Clamou este pobre, e o Senhor o ouviu; salvou-o de todas as suas angustias”. (Sl 34.4,6). Diante dos nossos medos também devemos orar.

Profetas oravam
A oração intercessória do profeta Neemias pelos  seus compatriotas: “A! Senhor, Deus dos céus, Deus grande temível...estejam atentos os teus ouvidos e os teus olhos abertos, para ouvires a oração  que do teu servo, que hoje faço perante ti, de dia e de noite, pelos filho de Israel, teus servos”. (Ne 1.5). Nós temos orado pelos nossos compatriotas? 

Apóstolos oravam
Paulo e Silas se encontravam presos: “Perto da meia noite Paulo e Silas oravam e cantavam hinos a Deus, e os outros presos o escutavam”. (At 16.25). Em tempos de tribulações é necessário buscarmos a Deus e milagres acontecerão.

Jesus orava
Jesus era perseverante na oração: “Despedida a multidão,ele subiu ao monte para  orar à parte” (Mt 14.23).“Em agonia, orava mais intensamente.” (Lc 22.44). 

Cristãos necessitam orar
Para muitos cristãos orar e indiferente, são insensíveis,  quanto a oração, são apáticos, não se importam, não têm interesse, não há tempo, não há prioridade. Levam uma “vida cristã” a trancos e barrancos.  “Um homem sem oração é como uma àrvore sem raizes”. O crente que não ora fica um “crente seco”, como àrvores sem raizes, com o tempo elas secam. O  noivo, deseja ardentemente ouvir a nossa voz! A oração nos torna rubustecidos, exuberantes, saudáveis e inabaláveis como estas àrvores (foto). Elas têm raízes... 

“E orai em todo tempo” (Ef 6.18).
Em tempos de alegria, em tempos de tristeza, oremos:! Rendamos graças, supliquemos, intercedemos, pois “a oração de um justo é poderosa e eficaz” (Tg 5.16). Em todo o tempo é tempo de buscarmos a Deus. “Buscai a Senhor Deus enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto”. (Is 55.6).


Escrito por:
Maria Isabel da Silva Lima
Copyright
(A foto acima foi tirada da internet)

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Pensamento

"A morte nos deixa atribulados,  perplexos, desanimados... mas o Espirito Santo, o Deus Consolador, alivia a nossa angustia, "levanta" a nossa alma cansada, abatida... e assim,  protegidos, nos aconchegamos nos braços do Pai, e choramos..." (Isabel Lima)

terça-feira, 7 de agosto de 2012

CANTARES DE SALOMÃO - PARTE II

CÂNTICO DOS CÂNTICOS, significa “o mais excelente dos Cânticos”. É a Expressão  maior da poesia que nasce entre um homem e sua mulher. Salomão foi seu escritor e identifica-se com o noivo, a noiva é a Sulamita. É um Cântico Nupcial, mas de cunho Espiritual, tipifica o amor de Deus e  Israel, e o amor de Cristo e a Igreja. É um livro Santo, totalmente inspirado pelo Espírito Santo de Deus. Mostra-nos sobre a excelência do amor.

A NOIVA DE CRISTO É IMACULADA

- A pureza da noiva
A noiva, Sulamita, ouve a voz de Salomão, o noivo amado: “Abre-me, minha irmã, amada minha, pomba, minha imaculada.” (Ct 5.2). Ele a chama de “minha imaculada”, isto é, sem mancha, sem mácula, ela é moralmente pura, é um jardim fechado, fechado e trancado contra tudo o que poderia separá-la do noivo.
 “amor  livre” é um termo utilizado por muitos jovens que rejeitam o casamento e defendem a idéia que tanto como homens como mulheres têm direito ao prazer sexual. Quantos jovens cristãos hoje acreditam nestas mentiras de Satanás e se casam já manchados pelo pecado. A igreja, noiva de Cristo, também necessita desta pureza moral: “As obras da carne são  conhecidas, as quais são: prostituição, impureza, lascívia”. (Gl5.19).  Os pecados de ordem moral são: prostituição, impureza e lascívia, que é o oposto da santificação, na qual Deus Filho requer de sua noiva, a igreja:

- Prostituição – imoralidade sexual de todas as formas: quadros, filmes, internet, publicações, etc. Muitos cristãos estão manchando suas mãos, seus olhos, seus ouvidos,  com o pecado da prostituição.

- Impureza – pecados sexuais, atos pecaminosos, vícios, maus pensamentos, desejos do coração. O nosso Deus é Onisciente, Ele tudo sabe, Ele tudo vê..

- Lascívia – sensualidade: é a pessoa seguir suas próprias paixões e maus desejos a ponto de perder a decência: palavras, olhares, andares sensuais, roupas insinuantes, etc. Roupas que não fazem jus ao templo do Espírito Santo que em nós habita. Sempre que eu coloco uma roupa: seja blusa, calça, saia, vestido, olho no espelho e pergunto a mim mesma: estou glorificando a Deus com este meu vestuário?

- Santificação Jesus quer a sua noiva separada do mundo, apartada do pecado. Há uma “doutrina” ensinada por alguns cristãos de que "Deus só quer o coração". A  Bíblia não ensina tal doutrina: “O mesmo Deus de paz vos santifique completamente. E todo o vosso espírito, alma e corpo sejam conversados irrepreensível até a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo”. (I Ts 5.23). Deus requer que o do homem seja irrepreensível na sua totalidade: espírito, na qual temos comunhão com Ele;  alma:  pensamentos,  sentimentos e vontades e corpo, pois este é santuário do  Espírito Santo, lugar consagrado pela presença de Deus, lugar onde a presença de Deus é localizada. 

Nós, igreja, como noiva do Cordeiro devemos nos fechar para o pecado,  não abrir-lhe a porta, brechas necessitam serem tapadas,  devemos vigiar quanto aos pecados acima citados, de ordem moral, na qual derrubou e tem derrubado grandes homens de Deus, inclusive  homens que fazem parte da galeria dos heróis da fé. Que o Senhor Jesus, o Noivo amado, nos conceda de sua graça para que possamos fazer a nossa parte, lutando contra a nossa carne, um terrível gigante nesta área, para que não caiamos nesta terrível armadilha. “Sede sóbrios, vigiai, O vosso adversário, o diabo, anda ao derredor, rugindo com oleão, buscando a quem possa tragar”. (I Pe 5.8).

 O Noivo  irá apresentar ao Pai uma noiva pura
“...Cristo amou a igreja, e si mesmo se entregou por ela, para a santificar, purificando-a com a lavagem da água, pela palavra, a fim de apresenta-la a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreenvel.” (Ef 5.52,26)

- A noiva necessita desta pureza para ver o Noivo
“Sede vos também santos em todo o vosso procedimento,...sede santos porque eu sou santo”. (I Pe 1.15,16).  “Quem é santo, santifique-se mais ainda.” (Ap 22.11)
Nos cristãos necessitamos proceder com pureza, sem a mancha do pecado em nossas vidas, pois “sem a santificação ninguém verá o Senhor”. (Hb 12.14a).

                                                          
Escrito por:
Maria Isabel da Silva Lima
Copyright

Fontes:
Bíblia de Estudo Pentecostal
PEARLMAN, Myer. Conhecendo as Doutrinas da Bíblia. ed.  Vida.

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

O ATLETA CRISTÃO

A vida cristã comparada a uma corrida.

São muitos os atletas, são muitos os competidores! Temos o exemplo da corrida de São Silvestre em São Paulo, há uma mistura entre atletas e “atletas”. Muitos, simplesmente,  correm por correr, para se exercitar,  para brincar. Assim,  também é na vida cristã, há  cristãos e “cristãos”. Há  uma mistura entre os verdadeiros cristãos e os que simplesmente brincam de ser cristãos. Alguns desistirão da corrida da fé diante do primeiro obstáculo, outros serão eliminados na corrida, ainda outros correrão apenas para obter lucros, mas ainda restará os verdadeiros “atletas”,  àqueles que correrão a corrida pela fé. Pela fé no Filho de Deus, independente das circunstâncias,  correrão de maneira tal que alcançarão o prêmio. O prêmio da salvação em Cristo Jesus!

Tipos de Atletas

- Atleta Fraco
Inicia a corrida até bem, mas, se esquecem que na corrida haverá adversários que estarão torcendo contra, muitos sem força desistirão, desanimarão..., porém, este não foi o caso do maratonista Wanderley Cordeiro de Lima. 

Jogos olímpicos de Atenas, 2004:  O maratonista brasileiro, Wanderley liderava a corrida, quando de repente foi atacado e derrubado no chão por um fanático religioso. Apesar do adversário tentar tirá-lo da prova,  Wanderley ajudado por uma "mão amiga" o levantou e o ajudou a  retornar à prova,   garantindo assim a  sua medalha de bronze, chegando em terceiro lugar, porém,  não desistiu da corrida e foi aplaudido de pé quando entrou no estádio.

Assim será a corrida do crente para o céu, o adversário tentará tirar-nos da corrida, é necessário constante atenção, oração, leitura da Palavra de Deus, frequência aos cultos, etc. “Sede sóbrios, vigiai, porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar.” (I Pe 5.8)

Porém, caso sejamos "derrubados” pelo inimigo como o atleta mencionado acima, sejamos forte como ele,   e não fiquemos prostrados, mas clamemos pelas misericórdias do Senhor e o  Espírito Santo virá  em nosso socorro, estenderá a sua "mão amiga" e nos levantará. “Os passos de um homem bom são confirmados pelo Senhor, e ele deleita-se em seu caminho. Ainda que caia não ficará prostrado, pois o Senhor o sustem com a suas mãos”. (Sl 37.24)

Assim, voltaremos a correr a carreira que nos está proposta,  cruzaremos a linha de chegada e receberemos a nossa coroa,  não de louro, mas a que o Senhor nos prometeu. “As aflições deste tempo presente, não são para comparar com a glória que em nós há de ser revelada” (Rm 8.18)

- Atletas passageiros
São aqueles que iniciam a corrida com entusiasmo, emocionados, alegres, porém, não têm noção do que é a corrida, e o quanto ela é árdua. No primeiro obstáculo este atleta sairá da corrida. Quando  perceber que o percurso é longo, cheio de curvas, subidas e descidas, desanimará.  Não terá estrutura para continuar.  “não tem raiz em si mesmo, é de pouca duração; e chegada a angustia e a perseguição por causa da palavra, logo se ofende”. (Mt 13.21). Não esta firmado na base, em Jesus. “No mundo tereis aflições...” (Jó.16.33). “Quem nos separará do amor de Cristo? (Rm 8.35-39).

- Atletas mercenários
Somente correm visando bens materiais: dinheiro, casas, carros. Não correm por amor, mas por ganância. Não conseguirão terminar a corrida, pois as “coisas efêmeras” tiram o seu foco da linha de chegada. Terminarão desviando-se do caminho proposto. “ mas os cuidados deste mundo, e a sedução das riquezas sufocam a palavra, e fica infrutífera.” (Mt 13.22)

- Atletas fiéis
São os que permanecerão na corrida até o fim, têm consciência das dificuldades: além do adversário, existem outros atletas  preparados na competição. Porém estes têm consciência de seu preparo: treinam diariamente, pois têm objetivo: cruzar a linha de chegada, ganhar o premio e  receber a sua coroa. Nós, cristãos,  também temos consciência das muitas dificuldades desta competição, por isso, é necessário haver preparo espiritual.

O “atleta fiel” renunciará as coisas que podem eliminá-lo da corrida. Ele ”correrá de tal maneira que alcançará o prêmio” (Co 9.24). Haverá esforço, dedicação, amor, fidelidade, dará o máximo de si nesta "corrida de fé".

Atletas antigamente lutavam para alcançar uma coroa corruptível
Coroa feita de folhas de louro, com que coroavam os heróis nos jogos de Corinto realizados a cada três anos. Hoje, os  atletas do século XXI,  lutam para alcançar uma medalha: de ouro, prata ou bronze,  e  bens materiais. Mas, somente nós, os “atletas cristãos”, lutamos para alcançar uma coroa incorruptível, “onde nem a traça e a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam nem roubam”, (Mt 5.19). “Pois eu assim corro, não como a coisa incerta; assim combato, não como batendo no ar”. (I Co 9.26)

O apóstolo Paulo corria com certeza do prêmio
Não correu em vão, “antes subjugou o meu corpo e o reduziu servidão”.(I Co 9.27a), exerceu o autodomínio, para viver uma vida santificada,   e suportou sofrimentos por amor de Cristo. “Trago em meu corpo as marcas do Senhor Jesus”. (Gl 6.17)

O Atleta pode ser reprovado
Paulo disse: “para que, pregando aos outros, eu mesmo não venha de alguma maneira a ficar reprovado”. (I Co 9.27). Que também,  nós,  cristãos, não venhamos de maneira a perder o nosso premio, ou seja, a herança da nossa salvação. “Deixemos todo o embaraço e o  pecado que tão de perto nos rodeia e corramos com paciência, a carreira que nos esta proposta”. (Hb 12.1).

O Atleta dever olhar para o alvo – “Jesus”
Não olhar para outros "atletas", para impedimentos, obstáculos, estorvos, dificuldades, perturbações, atrapalhações, etc. Olhar somente para o alvo.  “Olhando firmemente para Jesus, autor e consumador de nossa fé”. (Hb 12.2).

Paulo “combateu o bom combate”. (II Tm 4.7). 
Assim é a corrida cristã. Como Paulo, necessitamos correr a corrida, combatendo contra a carne, contra o mundo, contra Satanás, contra erros religiosos, contra falsos irmãos, contra a imoralidade, contra falsos ensinos, contra o pecado, contra  falso evangelho... Vencer, e  guardar a fé! Paulo completou a corrida em meio às provações, dificuldades e tentações, mas  permaneceu fiel ao Senhor durante toda a corrida. “Sê  fiel até a morte e dar-te-ei a coroa da vida”. (Ap 2.10)

Nesta corrida da fé, todos os que conseguirem cruzar a linha de chegada serão vencedores. Juntos, atletas e Juiz, arvorarão a bandeira de nosso verdadeiro Pais: a Bandeira do Céu, cujo lema será: Salvos por nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.  Por isso, como cidadãos do  céus,  o objetivo não é iniciar a corrida, mas terminar a corrida com êxito e guardar a fé. “Desde agora, a coroa dão justiça me está guardada, a qual o Senhor, justo juiz, me dará naquele Dia; e não somente a mim, mas a todos os que amarem a sua vinda.” (II Tm 4.8).


Isabel Lima
Copyright
(Texto revisado em 07/07/2013)