terça-feira, 24 de julho de 2012

...MARAVILHOSAMENTE CUIDA DE MIM!

SALMO 139

A ONISCIÊNCIA DE DEUS - Deus sabe e conhece todas as coisas (Sl 139.1-6)
           
Deus conhece e cuida de nós. Deus conhecia o autor deste salmo, Davi, e conhece eu, conhece você., conhece nós. Ele sabe o seu nome, sabe onde você mora, sabe se é casado, se é solteiro, se é viúvo,  se é divorciado, se tem filhos, se tem emprego, se está desempregado, se tem saúde ou se está enfermo. Deus sabe tudo sobre eu e você: "Senhor, Tu me sondaste e me conheces.” (Sl 139.1)

Deus está atento a cada movimento nosso. Ele conhece tudo o que fazemos do começo ao fim do dia: está nos seguindo, examinando, guiando as nossas mais simples atividades.  “Tu conheces o meu assentar e o meu levantar. (Sl 139.2a)

Deus investiga minuciosamente nossa alma. Ele conhece, sonda, penetra e estuda nossos pensamentos, nossos sentimentos e nossos desejos. Deus  conhece a nossa alma, Ele conhece a nossa pessoa perfeitamente, melhor do que nós mesmos nos conhecemos. “De longe entendes o meu pensamento.” (Sl 139.2b)

Estamos cercados pelos cuidados de Deus. “Cercas  o meu andar e o meu deitar; e conhece todos os meus caminhos... Tu me cercaste em volta." (Sl 139.3,5). "O constante amor do Senhor cercará aquele que nele confia." (Sl 32.10) 

A ONIPRESENÇA DE DEUS - Deus está em todos lugares a um só tempo (Sl 139.7-12)

Não há como escapar do “Caçador Celestial”. “Para onde me irei do seu Espírito ou para onde fugirei da tua face.” (Sl 139.7). Deus nos “espia”o tempo todo. Jamais ficaremos fora do  alcance dos olhos de Deus. O seu maravilhoso olhar nos acompanha em todas as situações e direções. E certamente estou convosco todos os dias até a consumação dos séculos” (Mt 28.20b). Deus tem cuidado de cada filho seu. Ele cuida do filho fraco, do filho forte, do filho pobre, do filho rico, do filho branco, do filho negro, do filho culto, do filho inculto... “Na verdade reconheço que Deus não faz acepção de pessoas.” (At 10.34).


A ONIPOTÊNCIA DE DEUS - Ele é o Todo Poderoso e detêm toda a autoridade sobre todas as coisas e sobre todas as criaturas (Sl 139.13-16)

Deus conhece e cuida daqueles que estão para  nascer.  “Deus não somente vê o invisível e penetra no inacessível, como também é operante ali, o autor de cada detalhe do meu ser”. Deus cuida dos que estão no ventre materno e que não têm condições de se protegerem. “os teus olhos viram o meu corpo ainda informe (139.16a). Deus viu o nosso corpo ainda sem forma, sem feitio. Esta estrofe ressalta a nossa formação pré-natal por parte de Deus.Uma lembrança poderosa do valor que atribui a nós mesmo como embriões. Ele zela de modo criador e ativo no desenvolvimento da vida humana. Ele pessoalmente zela pela criancinha desde o momento da sua concepção. Sua atenção para o feto compreende um plano para a sua vida. Deus planejou nosso fim desde o começo. “Os dias de nossa vida foram planejados de antemão”. Deus cuida da criancinha quando nasce, cuida do menino, cuida do adolescente, cuida do jovem, cuida do adulto e cuida do idoso. DEUS - MARAVILHOSAMENTE CUIDA DE MIM!

“Fui moço e agora sou velho; mas nunca vi desamparado o justo, nem a sua descendência a mendigar o pão.” (Sl 37.25)

“Porque quando meu pai e minha mãe me desampararem, o Senhor me recolherá.” (Sl 27.10).

Que sejamos agradecidos como o Salmista. “Eu te louvarei, porque de um modo terrível e maravilhoso fui formado; maravilhosos são as tuas obras, e a minha alma o sabe muito bem.” (139.14.14)

“Graças te dou, visto que por modo assombrosamente maravilhoso me formaste.” (Tradução liberal do hebraico).


Isabel Lima
Copyrigh

Fontes:
Bíblia de Estudo Pentecostal
HOFF. Paul. O Pentateuco. ed. Vida.
KIDNER. Derek. Introdução e Comentário. Vida Nova.

segunda-feira, 23 de julho de 2012

DEUS SE COMUNICA CONOSCO!

O nosso Deus fala! Assim como Ele falava com o povo de Israe  ELE continua a falar conosco, sua Igreja. O nosso Deus não mudou: “Porque eu, o Senhor, não mudo” (Ml 3.6),  Ele continua a se comunicar conosco de formas e maneiras variadas. Basta estarmos atentos para ouvi-lO



DEUS SE COMUNICA CONOSCO:

1. Para dar-nos notícias de bênçãos
Deus se comunicou com Maria para dizer-lhe que ela seria a mãe do Salvador, o Messias: “Disse-lhe então o anjo: Maria, não temas...conceberás e darás a luz um filho, e por-lhe-as o nome de Jesus.”  (Lc 1.31)

2. Para desfazer mal-entendido
Deus se comunicou com José sobre a integridade de Maria: “...Ora, o nascimento de Jesus foi assim: estando Maria, sua mãe, desposada com José, antes que coabitasse, achou-se grávida pelo Espírito Santo. José seu marido, sendo justo e não querendo difamá-la, resolveu deixá-la secretamente. Projetando ele isto, em sonho lhe apareceu o anjo do Senhor, dizendo: José, filho de Davi, não temas receber a Maria tua mulher, porque o que nela foi gerado é do Espírito santo.” (Mt 1.18,19)

3. Para dar-nos livramento de morte
Deus se comunicou com José e Maria para livrar o menino Jesus da morte: “...o anjo do Senhor apareceu a José em sonhos, e disse: Levanta-te, toma o menino e sua mãe, e foge para o Egito. Fica-te lá até que eu te avise, pois Herodes há de procurar o menino para o matar.” ( Mt 2.13)

4. Para avisar-nos de castigo divino
Deus se comunicou com o justo Noé para avisá-lo sobre o dilúvio:  “Então disse Deus a Noé: o fim de todos seres humanos é chegado perante mim, pois a terra está cheia da violência dos homens, Destruí-los-ei justamente com a terra...eu trago o dilúvio sobre a terra, para destruir tudo o que tem vida debaixo dos céus; tudo o que há na terra expirará”. (Gn 6. 13,17)

Deus, também, se comunicou com o injusto rei Belsazar para avisá-lo sobre a sua destruição: “O rei Belsazar deu um grande banquete...mandou trazer os utensílios de ouro e de prata...que estava no templo de Jerusalém, para que bebessem neles o rei, os seus grandes, as suas mulheres e concubinas...Beberam o vinho,  e deram louvores aos deuses de ouro, de prata, de bronze, de ferro, de madeira e de pedra. Na mesma hora apareceram uns dedos de mão de homem, e escrevia, defronte dos castiçais, na caiadura da parede do palácio real...Esta é a escritura que se escreveu: Mene, Mene, Tequel, e Parsim. Esta é a interpretação: “contou Deus o teu reino, e o acabou. Pesado foste na balança, e foste achado em falta. Dividido foi o teu reino, e dado aos medos e aos persas”. (Dn  5.1,2,4, 25-28)

5. Para converter-nos
Deus se comunicou com Paulo para convertê-lo: “Saulo, Saulo, por que me persegues? Ele disse: quem és, Senhor? Respondeu o Senhor: eu sou Jesus, a quem tu persegues...Este é para mim um vaso escolhido, para levar o meu nome perante os gentios, os reis e os filhos de Israel. E eu lhe  mostrarei o quanto deve padecer pelo meu nome”. (At 9. 4,5,15) 

6. Para revelar-nos sobre a obra que ele tem em nossas vidas
Deus comunicou a Abraão que ele seria o fundador da nação escolhida, e, desta nação viria Jesus Cristo, o Salvador do mundo: “Ora, disse o Senhor a Abraão: sai da tua terra, da tua parentela, e da casa de teu pai, para a terra que eu te mostrarei. Farei de ti uma grande nação, e te abençoarei, e te engrandecerei o nome, e tu serás um benção. Abençoarei os que te abençoarem, e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; e em ti serão benditas todas as famílias da terra” (Gn 12.1-3)

Deus comunicou a Moisés que ele seria o líder e libertador do povo hebreu:
“Vem, agora, eu te enviarei a Faraó, para que tires do Egito o meu povo, os filhos de Israel. “ (Ex 3.10)

7. Para direcionar-nos em sua obra
Deus se comunicou com Paulo e Silas para direcioná-los na obra missionária: “Passando pela Frigia e pela província da Galácia, foram impedidos pelo Espírito Santo de anunciar a palavra na Ásia. Quando chegaram à Mísia, tentavam ir para a Bitínia, mas o Espírito de Jesus não lho permitiu...e Paulo teve, de noite, uma visão em que se apresentava um varão da Macedônia e lhe rogava, dizendo: passa a Macedônia e ajuda-nos!.” (At 16.6-9)

8. Para avisar-nos de sofrimentos, tribulações, aflições...
Deus se comunicou com Paulo, para avisá-lo que a sua ida à cidade de Jerusalém muito sofrimento o aguardava: “...um profeta de nome Ágabo...tomou o cinto de Paulo e, ligando os seus próprios pés e mãos, disse: Isto diz o Espírito Santo: Assim ligarão os judeus em Jerusalém o homem a quem pertence este cinto, e o entregarão nas mãos dos gentios.” (At 21.10,11)

9. Para alertar-nos quanto a vigiarmos
Deus Filho – Jesus – se comunicou com Pedro para avisá-lo sobre as artimanhas de Satanás: “Simão, Simão, Satanás vos pediu para vos peneirar como trigo. Mas eu roguei por ti, para que a tua fé não desfaleça. E tu, quando te converteres, fortalece teus irmãos...Digo-te Pedro, que não cantará hoje o galo antes que três vezes negues que me conheces.” (Lc 22.31,34)

10. Para avisar-nos de nossa partida
Deus se comunicou com Paulo para avisá-lo sobre a sua partida: “Quanto a mim, já estou sendo derramado como libação, e o tempo da minha partida esta próximo. Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé.” (II Tm 4.6,7)

Deus se comunicou com Pedro para avisá-lo sobre a sua partida: “Sabendo que brevemente hei de deixar este meu tabernáculo, como nosso Senhor Jesus Cristo já me revelou.” (II Pe 1.14)

Que dádiva, Deus se comunicar conosco! Que estejamos atentos para ouví-lO falar. A comunicação pode chegar até nós de formas e maneiras variadas. Que possamos  perceber, sentir e discernir a sua doce voz a nos falar mansamente...poderosamente.... “Antes, Deus fala uma e duas vezes...Em sonho ou em visão de noite, quando cai sono profundo sobre os homens, e adormecem na cama, então, abre os  ouvidos dos homens, e sela a sua instrução” (Jo 33.14,15).

Deus tem se comunicado conosco! E nós, temos nos comunicado com Ele?

(Isabel Lima)
Copyright:




quinta-feira, 12 de julho de 2012

OLHOS MAUS E OLHOS BONS

"A lâmpada do corpo são os olhos. Se os teus olhos forem bons, todo o teu corpo terá  luz. Se, porém, os teus olhos forem maus, todo o teu corpo estará em trevas" (Mt 6. 22,23).

OLHOS MAUS
Olhos que estão cheios de adultério (II Pe 2;14), impureza, inimizades, porfias, heresias, invejas, bebedices, etc (Gl 5. 19-21). Olhos de um cristão carnal, cuja vida é dominada pelas obras da carne.

Olhos que estão postos continuamente no outro, que repara no argueiro que está no olho do irmão, e não vê a trave que está no dele (Mt 7. 3). Olhos que veem somente horizontalmente, só o que está à sua volta. Geralmente, a tendência humana é ver no outro o que se é: se a individuo é  ganancioso, ele  pensa que todos também o são; se é invejoso, ele vê inveja por toda parte, se é desonesto, ele desconfia de tudo e de todos, etc. Olhos que só veem maldade em tudo e em todos, mesmo que o outro seja bom.  (Mt 20.15).

Porém, que o Espirito Santo de Deus possa ungir os nosso olhos e tirar de nós toda iniqüidade e purificar o nosso pecado, pois,  somente assim poderemos ver  o Rei, o Senhor dos Exércitos, assentado sobre um alto e sublime trono. (Is 6. 1-7).

OLHOS BONS
Olhos que estão cheios de amor,  gozo,  paz,  bondade,  longanimidade,  benignidade,  bondade,  fé,  mansidão,  temperança (Gl 5.22,23). Olhos de um cristão cheio das virtudes do Espírito Santo. Olhos que estão postos continuamente no Senhor (Sl 25.15).

Olhos que olham para cima, para os céus, e veem àquele que deu a sua vida no cruente madeiro, para que ele hoje tenha uma olhar igual ao de seu Salvador.

Olhos que veem brilho no irmão, não repara o cisco nos olhos do outro: se o outro é invejoso, se é fofoqueiro, se é vaidoso, se é rico, se é pobre, se é feio, se é bonito, etc, isso  é o menos importante, o importante é o Senhor! Assim como Pedro, quando olhamos para o Senhor, conseguimos andar por sobre as águas, mas, quando desviamos o nossos olhos do Mestre e observamos o vento forte, começamos a afundar (Mt 14.29, 30).  O foco é Jesus! Olhando firmemente para Jesus, autor e consumador de nossa fé (Hb 12.2).

Fixemos, pois, o nosso olhar em Jesus: exemplo de amor, de fé, de humildade, de fidelidade,  e a nossa visão irá se aclarando mais e mais até ser dia perfeito. ( Pv  4.18).

Que o nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo faça resplandecer o seu rosto sobre nós, para que sejamos irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis no meio duma geração corrompida e perversa, entre as quais resplandeceremos como astros no mundo. (Fp 2.15). Como nós, cristãos, estamos enxergando?

Isabel Lima 


terça-feira, 10 de julho de 2012

NÃO TROQUE SUA "HERANÇA" POR UM PRATO DE LENTILHA

Satanás conseguiu roubar do homem tudo o que o ele tinha de valor,  mas Jesus Cristo conquistou de volta   todo “patrimônio espiritual”  para  os filhos de Deus,  herdeiros legítimos do Pai Eterno. “Se fiel até a morte e dar-te-ei a coroa da vida” (Ap 2.10).

Quando o homem desobedeceu a Deus, perdeu a comunhão com Ele, porém,  sem Deus o homem é simplesmente um “miserável, pobre, cego e nú”. Satanás roubou tudo o que homem tinha de valor, mas “Deus amou o mundo de tal  maneira que deu o seu filho unigênito” – Jesus -  o “valente de Jacó”,  que enfrentou Satanás e deu ao homem, de volta, tudo o foi roubado pelo inimigo. Na cruz, Jesus pagou um preço altíssimo para que cada filho de Deus tenha de volta toda a sua “herança incorruptível”:  “E, somos filhos, somos logo, herdeiros também, herdeiros de Deus e co-herdeiros de Cristo” (Rm 8.17).
Jesus, Filho unigênito o de Deus, e nós “feitos” filhos de Deus, temos uma herança em comum com Cristo. Herança válida somente depois de morte de Jesus Cristo: “Coube-me uma formosa herança” (Sl 16.6):  herança da salvação, de vida, de amor, de perdão,  da Palavra de Deus, de glória, de autoridade, de poder, de dons espirituais, do pão do céu, da água da vida... Bênçãos, que acompanham tão grande salvação.
Muitos não valorizam esta “herança”, na qual Jesus Cristo conquistou na cruz do calvário para os seus: Esaú desprezou a herança, o filho pródigo a desperdiçou, o irmão do filho pródigo não usufruiu, porém, Nabote  valorizou a sua herança: não doou, não trocou e não vendeu a sua herança, foi fiel até a morte,  mas de sua herança ele não abriu mão.

Esaú desprezou a sua herança
Esaú vendeu o seu “direito de primogenitura” por um prato de lentilhas, A primogenitura dava a ele o direito de:
- Liderar a adoração a Deus e chefiar a família;
- Dupla porção da herança paterna, (2/3 da fazenda);
- Direito à benção do concerto, conforme Deus prometera a Abraão.
Mas no ímpeto do cansaço e da fome, ele não teve o autocontrole, o domínio suficiente, para dizer “não” a uma necessidade momentânea, e desprezou bênçãos espirituais por um “guizado vermelho”,  “E Jacó cozera um guizado; e veio Esaú do campo e estava ele cansado. E disse Esaú a Jacó: Deixa-me peço-te, comer desse guizado vermelho, porque estou cansado.” (Gn 25.29,30)
Quão pouco Esaú valorizou a sua primogenitura: menos do que um prato de lentilha. Por livre escolha, optou por trocar as bênçãos de Deus por prazeres momentâneos e efêmeros.  Jacó ao contrário de seus irmão, desejou as bênçãos de Deus para sua vida e dele vieram as doze tribos de Israel, e da tribo de Judá veio o Salvador do mundo: Jesus Cristo, o Filho de Deus.

O Filho Pródigo desperdiçou a sua herança
“Um certo homem tinha dois filhos. E o mais moço dele disse ao Pai: Pai, dá-me a parte da fazenda que me pertence. E ele repartiu por ele a fazenda. E poucos dias depois, o filho mais moço, ajuntando tudo, partiu para uma terra longíngua e ali desperdiçou a sua fazenda, vivendo dissolutamente. E, havendo ele gastado tudo,  houve naquela terra uma grande fome, e começou a padecer necessidade.” (Lc15.11-24).
De repente ele estava “miserável, pobre, cego e nu”: sem o Pai, sem o irmão, sem a casa do Pai, sem a paz, sem a alegria, sem o amor, sem a bondade, sem os amigos e sem dinheiro. O mundo somente usufruiu  de sua herança, de sua vida, de seu amor, de sua bondade, de seus dons, de seus talentos, etc, agora resta somente a “pobreza”...
Quando chegou o tempo da fome, o mundo não tinha alimento para dar ao filho pródigo,   chegou ao extremo de desejar comer as alfarrobas que os porcos comiam, mas ninguém lhe dava nada.  Não diferente acontece com os cristãos que partem da  casa do  Pai, enquanto eles tiverem “algo” para oferecer ao mundo, o mundo será seu amigo, quando acabar a sua "herança",  acabará também  os “amigos”, as mulheres, todos os deixarão, restará somente a pobreza e a solidão.

O irmão do Filho Pródigo não usufruiu de sua herança
“Respondendo ele, disse ao pai: Eis que te sirvo há tantos anos...e nunca me deste nem um cabrito para alegrar-me com meus amigos” (Lc 15.29). Nunca o moço havia tomado posse da herança que lhe pertencia por direito e em dobro por ser o filho primogênito. “Filho, tu sempre estas comigo, e todas as minhas coisas são tuas”. O Pai o chamou de “filho”, literalmente “criança”, uma palavra terna, e explicou que a herança também pertencia a ele. Faltava ao filho mais velho dialogar com o Pai, para conhecer tudo o que lhe pertencia por direito.  O Pai quer ouvir a voz de seus filhos: “Mostra-me a tua face, e faze-me ouvir a tua voz, pois tua voz é doce e o teu rosto formoso” (Ct 2.14). O Pai quer ter mais comunhão com o filho, e quer que ele usufrua de sua herança.
Assim também acontece com muitos cristãos,  não usufruem da herança  que Jesus conquistou para ele na cruz do calvário. O cristão é herdeiro de Deus e co-herdeiro com Cristo: temos a paz, a vida, a graça, a Palavra, a glória, a salvação, o pão do céu, o amor, o poder, etc. Chegamos a o fim da vida e não conseguirmos usufruir de toda a herança de Deus para nós.

Nabote valorizou a sua herança
“Tendo Nabote, o jezreelita, uma vinha que em Jesreel estava junto ao palácio do Acabe, rei de Samaria, disse este a Nabote, dizendo: Dá-me a tua vinha, para que me sirva de horta, porque esta vizinha, ao da minha casa. E te darei por ela outra vinha melhor, ou, se for do teu agrado,  dar-te-ei por ela o seu valor em  dinheiro. Porém Nabote disse a Acabe: Guarde-me o Senhor de que eu te dê a herança de meus pais”.  (I Rs 21.1,2)
Diferente de Esaú, do filho pródigo e de seu irmão, Nabote valorizou, não desperdiçou, usufruiu de sua vinha, a herança que ele havia recebido de seus pais, e não doou, não trocou e não vendeu para o Rei de Israel.
Jezabel, esposa do Rei Acabe, matou Nabote e tomou a sua herança para o marido, ele morreu, mas não doou, não trocou e não vendeu a herança que ele havia recebido.

Conclusão
Assim como Nabote, que saibamos valorizar a herança que Deus nos deixou através de seu Filho Jesus Cristo.
“Sede sóbrio, vigiai. O vosso adversário, o diabo, anda em derredor, rugindo como leão, buscando a quem possa tragar”. (I Pe 5.8).
Não desprezemos,   não desperdicemos a herança celestial que o Pai nos deixou. Usufruamos e valorizemos tal herança, são bênçãos, que acompanham tão grande salvação. “Se fiel até a morte e dar-te-ei a coroa da vida” (Ap 2.10)
Satanás roubou a  "herança" do homem, mas Jesus conquistou de volta   todo o “patrimônio espiritual”  para  os filhos de Deus,  herdeiros legítimos do Pai Eterno. “A herança de Deus é tudo, chegamos no fim da vida e não conseguimos usufruir de tudo o que Deus tem para nós” dizia o saudoso Pastor Valdir Bícego”. “Venho sem demora. Guarda o que tens, para que ninguém tome a tua coroa” (Ap 3.11)


Escrito por:
Maria Isabel da Silva Lima
Copyright: proibida a cópia, reprodução, distribuição, exibição, criação de obras derivadas e uso comercial sem a prévia permissão do autor.

quinta-feira, 5 de julho de 2012

O ATLETA CRISTÃO

A vida cristã comparada a uma corrida.

São muitos os atletas, são muitos os competidores! Temos o exemplo da corrida de São Silvestre em São Paulo, há uma mistura entre atletas e “atletas”. Muitos, simplesmente,  correm por correr, para se exercitar,  para brincar. Assim,  também é na vida cristã, há  cristãos e “cristãos”. Há  uma mistura entre os verdadeiros cristãos e os que simplesmente brincam de ser cristãos. Alguns desistirão da corrida da fé diante do primeiro obstáculo, outros serão eliminados na corrida, ainda outros correrão apenas para obter lucros, mas ainda restará os verdadeiros “atletas”,  àqueles que correrão a corrida pela fé. Pela fé no Filho de Deus, independente das circunstâncias,  correrão de maneira tal que alcançarão o prêmio. O prêmio da salvação em Cristo Jesus!

Tipos de Atletas

- Atleta Fraco
Inicia a corrida até bem, mas, se esquecem que na corrida haverá adversários que estarão torcendo contra, muitos sem força desistirão, desanimarão..., porém, este não foi o caso do maratonista Wanderley Cordeiro de Lima. 

Jogos olímpicos de Atenas, 2004:  O maratonista brasileiro, Wanderley liderava a corrida, quando de repente foi atacado e derrubado no chão por um fanático religioso. Apesar do adversário tentar tirá-lo da prova,  Wanderley ajudado por uma "mão amiga" o levantou e o ajudou a  retornar à prova,   garantindo assim a  sua medalha de bronze, chegando em terceiro lugar, porém,  não desistiu da corrida e foi aplaudido de pé quando entrou no estádio.

Assim será a corrida do crente para o céu, o adversário tentará tirar-nos da corrida, é necessário constante atenção, oração, leitura da Palavra de Deus, frequência aos cultos, etc. “Sede sóbrios, vigiai, porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar.” (I Pe 5.8)

Porém, caso sejamos "derrubados” pelo inimigo como o atleta mencionado acima, sejamos forte como ele,   e não fiquemos prostrados, mas clamemos pelas misericórdias do Senhor e o  Espírito Santo virá  em nosso socorro, estenderá a sua "mão amiga" e nos levantará. “Os passos de um homem bom são confirmados pelo Senhor, e ele deleita-se em seu caminho. Ainda que caia não ficará prostrado, pois o Senhor o sustem com a suas mãos”. (Sl 37.24)

Assim, voltaremos a correr a carreira que nos está proposta,  cruzaremos a linha de chegada e receberemos a nossa coroa,  não de louro, mas a que o Senhor nos prometeu. “As aflições deste tempo presente, não são para comparar com a glória que em nós há de ser revelada” (Rm 8.18)

- Atletas passageiros
São aqueles que iniciam a corrida com entusiasmo, emocionados, alegres, porém, não têm noção do que é a corrida, e o quanto ela é árdua. No primeiro obstáculo este atleta sairá da corrida. Quando  perceber que o percurso é longo, cheio de curvas, subidas e descidas, desanimará.  Não terá estrutura para continuar.  “não tem raiz em si mesmo, é de pouca duração; e chegada a angustia e a perseguição por causa da palavra, logo se ofende”. (Mt 13.21). Não esta firmado na base, em Jesus. “No mundo tereis aflições...” (Jó.16.33). “Quem nos separará do amor de Cristo? (Rm 8.35-39).

- Atletas mercenários
Somente correm visando bens materiais: dinheiro, casas, carros. Não correm por amor, mas por ganância. Não conseguirão terminar a corrida, pois as “coisas efêmeras” tiram o seu foco da linha de chegada. Terminarão desviando-se do caminho proposto. “ mas os cuidados deste mundo, e a sedução das riquezas sufocam a palavra, e fica infrutífera.” (Mt 13.22)

- Atletas fiéis
São os que permanecerão na corrida até o fim, têm consciência das dificuldades: além do adversário, existem outros atletas  preparados na competição. Porém estes têm consciência de seu preparo: treinam diariamente, pois têm objetivo: cruzar a linha de chegada, ganhar o premio e  receber a sua coroa. Nós, cristãos,  também temos consciência das muitas dificuldades desta competição, por isso, é necessário haver preparo espiritual.

O “atleta fiel” renunciará as coisas que podem eliminá-lo da corrida. Ele ”correrá de tal maneira que alcançará o prêmio” (Co 9.24). Haverá esforço, dedicação, amor, fidelidade, dará o máximo de si nesta "corrida de fé".

Atletas antigamente lutavam para alcançar uma coroa corruptível
Coroa feita de folhas de louro, com que coroavam os heróis nos jogos de Corinto realizados a cada três anos. Hoje, os  atletas do século XXI,  lutam para alcançar uma medalha: de ouro, prata ou bronze,  e  bens materiais. Mas, somente nós, os “atletas cristãos”, lutamos para alcançar uma coroa incorruptível, “onde nem a traça e a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam nem roubam”, (Mt 5.19). “Pois eu assim corro, não como a coisa incerta; assim combato, não como batendo no ar”. (I Co 9.26)

O apóstolo Paulo corria com certeza do prêmio
Não correu em vão, “antes subjugou o meu corpo e o reduziu servidão”.(I Co 9.27a), exerceu o autodomínio, para viver uma vida santificada,   e suportou sofrimentos por amor de Cristo. “Trago em meu corpo as marcas do Senhor Jesus”. (Gl 6.17)

O Atleta pode ser reprovado
Paulo disse: “para que, pregando aos outros, eu mesmo não venha de alguma maneira a ficar reprovado”. (I Co 9.27). Que também,  nós,  cristãos, não venhamos de maneira a perder o nosso premio, ou seja, a herança da nossa salvação. “Deixemos todo o embaraço e o  pecado que tão de perto nos rodeia e corramos com paciência, a carreira que nos esta proposta”. (Hb 12.1).

O Atleta dever olhar para o alvo – “Jesus”
Não olhar para outros "atletas", para impedimentos, obstáculos, estorvos, dificuldades, perturbações, atrapalhações, etc. Olhar somente para o alvo.  “Olhando firmemente para Jesus, autor e consumador de nossa fé”. (Hb 12.2).

Paulo “combateu o bom combate”. (II Tm 4.7). 
Assim é a corrida cristã. Como Paulo, necessitamos correr a corrida, combatendo contra a carne, contra o mundo, contra Satanás, contra erros religiosos, contra falsos irmãos, contra a imoralidade, contra falsos ensinos, contra o pecado, contra  falso evangelho... Vencer, e  guardar a fé! Paulo completou a corrida em meio às provações, dificuldades e tentações, mas  permaneceu fiel ao Senhor durante toda a corrida. “Sê  fiel até a morte e dar-te-ei a coroa da vida”. (Ap 2.10)

Nesta corrida da fé, todos os que conseguirem cruzar a linha de chegada serão vencedores. Juntos, atletas e Juiz, arvorarão a bandeira de nosso verdadeiro Pais: a Bandeira do Céu, cujo lema será: Salvos por nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.  Por isso, como cidadãos do  céus,  o objetivo não é iniciar a corrida, mas terminar a corrida com êxito e guardar a fé. “Desde agora, a coroa dão justiça me está guardada, a qual o Senhor, justo juiz, me dará naquele Dia; e não somente a mim, mas a todos os que amarem a sua vinda.” (II Tm 4.8).


Isabel Lima
Copyright
(Texto revisado em 07/07/2013)