terça-feira, 29 de maio de 2012

"ONEOMANIA"- A "DOENÇA" DO CONSUMO

As maiores vítimas são as Mulheres!

“Pessoas que repetidamente estouram seus orçamentos comprando quase tudo o que veem pela frente, tenham ou não necessidade, podem ser uma das vítimas de uma doença chamada - Oneomania".

Oneomania, desejo impulsivo de comprar indiscriminadamente, uma “doença” que atinge as pessoas caracterizadas como “compradoras compulsivas”.  É um tipo de comportamento que o indivíduo é levado a realizar por uma força de coerção interna. É um gesto ou um ato que ele se sente impelido a fazer, mesmo que saiba ser inadequado ou prejudicial, mas está fora de seu controle.

A Necessidade de Comprar
O comprador compulsivo  sente uma necessidade desenfreada de comprar, se ele vai precisar desses produtos ou serviços, não importa,  no momento o que importa é comprar, enquanto está comprando, a pessoa sente alívio e prazer dos sintomas,  passada a eufórica da compra, o desejo de comprar volta rapidamente.

Causas do Consumo Compulsivo
Pessoas carentes,  com baixa estima, sentimento de vazio constante, angustiadas ou ansiosas, tentam preencher ou sufocar essas sensações através da compulsão de comprar. A oneomania também emerge para aliviar sentimentos de grande frustração, vazio e depressão. Também podem ser desencadeadas pelos reveses da vida, tais como: rompimento de namoro divórcio, perdas  afetivas ou materiais.

A Maioria das Vitimas da Oneomania são as Mulheres
Os compradores compulsivos, somam, em média, 3% da população, sendo que o maior número de vítimas está entre as mulheres, Segundo o neuropsicólogo Daniel Fuentes, a proporção é de quatro mulheres para cada homem com a doença. O Hospital das Clinicas de São Paulo,  fez uma pesquisa que em cada 10 mulheres, 3 compram compulsivamente, a maioria delas na faixa dos 18 aos 40 anos de idade.

As Dividas Exorbitantes dos Compradores Compulsivos
Compram exageradamente,  suas dividas chegam a 5 ou 10 vezes mais do que o seu salário: têm vários cartões de créditos, compram em vários locais diferentes, estouram cheques, assinam promissórias e vivem pedindo dinheiro emprestado. O caso fica mais grave ainda quando chegam ao estelionato, falsificando assinaturas e roubando, pelo simples prazer de comprar.

 Reações Físicas dos Oneomaniacos
Os compradores compulsivos,  no período que antecede o comportamento do consumo, têm reações físicas próprias da ansiedade:  batimentos cardíacos se aceleram, a sudorese aumenta, bem como a irritação e a agressividade. a ansiedade só diminui durante o ato de comprar, ou imediatamente após o mesmo. Pouco tempo depois, acontece o sentimento de culpa e o remorso.

O Sentimento de Culpa
O comprador compulsivo usufrui apenas o momento da compra, não o produto. Depois da compra desnecessária vem o sentimento de culpa, e ao chegar em casa, eles caem si, a pessoa percebe que a sua aquisição não passou de um comportamento compulsivo e não valoriza o que comprou, deixando o produto de lado sem utilidade. Novamente volta a necessidade de procurar novas ofertas.” Semeais muito, e recolheis pouco. Comeis, mas não vos saciais. Vestis-vos, mas ninguém se aquece. O que recebe salário, recebe-o num saco furado.” Ag 1:6

Procurar Tratamento Médico
A psicoterapia, o acompanhamento médico e a utilização dos remédios adequados trazem bons resultados, também foi criado um grupo conhecido como Devedores Anônimos para auxiliar as pessoas que sofrem da oneomania.


PODE UM CRISTÃO SER ONEOMANÍACO

 

Sim, é possível um cristão ser oneomaníaco,  comprar compulsivamente, assim como é possível um cristão ser glutão, invejoso, impuro, etc.

 

 Espírito Santo Ajuda nas Nossas Fraquezas

Jesus nos deixou o Consolador, o Espírito Santo, Ele sabe das nossas fraquezas, dos nossos pontos fracos, e naquilo em  que não  estamos conseguindo vencer sozinhos, Ele vem em nossa ajuda, “...o Espírito ajuda as nossas fraquezas. Não sabemos o que havemos de pedir como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nos com gemidos inexprimíveis.“ Rm 8.26 .

 

A Temperança é o Freio de Nossa Vida

O Espírito Santo implantou o seu Fruto em nossas vidas: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, temperança. (Gl 5:22,23).  Temperança ou autodomínio significa: capacidade espiritual de autocontrolar-se, É o freio de nossa vida (Tg 3:2). O crente temperante é aquele que exerce autocontrole sobre os desejos incontroláveis da carne.

 

Consumismo e Hedonismo

Hedonismo significa “Prazer”, é a teoria que sustenta que o melhor ou o mais proveitoso  que existe na vida é a conquista do prazer e a fuga à dor – Prazer - essência da “felicidade”. O hedonismo não  pergunta:  “É correto fazer isto”, mas pergunta: “Isto me trará prazer?” Há uma tendência hedonista para desculpar, disfarçar o pecado, diminuir a sua gravidade, e perder os parâmetros entre o certo e o errado.  O cristão não deve buscar o prazer a qualquer custo. “Todas as coisas me são licitas, mas nem todas convém...” I Co 6:12a.

Várias são as formas ilícitas na busca desenfreada pelo prazer: fornicações, glutonarias, bebedices, orgias e também consumismo indiscriminado, etc. Muitos cristão têm caído na “armadilha do vicio de consumir”,  “...Negue-se a si mesmo e siga a Jesus...”. Mc 8:33. Não se deixe dominar por esta “armadilha”.



Escrito por:
Isabel Lima


FONTES:
RAMOS, Sonia Pires.Consumismo Impulsivo. Revista Pentecostal.n. p. fev. 2.000.
Lições Bíblica, Jovens e Adultos:
O Fruto do Espírito. CPAD. 1o. Trimestre de 2005.
Verdade Pentecostal. CPAD. 1o. Trimestre de 1998.
Artigos da Internet:
Oneomania atinge principalmente as mulheres.
LEMOS, Maria Rita.“Devo, não nego”...
http://www.gazetadelimeira.com.br/jornaldamulher/ver_comportamento.php?codigo=53

terça-feira, 15 de maio de 2012

DE QUE LADO VOCÊ GOSTARÍA DE ESTAR?

Do lado de cá, limpando o chão molhado, ou do lado de lá, molhando o chão?

Ocorreu com Ana Clara, psicóloga, ao se dirigir para o hospital, para visitar  mais uma vez a amiga e irmã – Deise, sua empregada doméstica, mulher trabalhadora ao extremo  que se encontrava em seus últimos momentos de vida, quase inconsciente naquele leito, com apenas 62 anos de idade,  de pele negra,  muito meiga, carinhosa, caridosa, dedicada e honesta. Praticamente uma avó para sua filha Lara, que havia recebido todos os cuidados de Deise desde bebê.

A SITUAÇÃO CONSTRANGEDORA DA PACIENTE

No quarto do hospital Ana Clara observou que ao lado do leito de Deise, na outra cama havia uma outra paciente: uma Senhora. de meia idade, também de cor negra, e  que não recebia visitas,  com um olhar triste, muito triste... mas  consciente, e que ao tentar caminhar até o toallete, por várias vezes, havia molhava o chão por causa de incontinência urinária, e o fato a deixava envergonhada, quando olhava para Ana Clara e João Marco, o único filho de Deise.

A FUNCIONÁRIA PERDEU A PACIÊNCIA COM A PACIENTE

O fato acorreu novamente,  a paciente voltou a molhar o chão, a seguir foi acionada a equipe de limpeza do hospital, e após alguns minutos, para surpresa de Ana Clara, a porta do quarto se abriu abruptamente, e entrou um funcionária no quarto, gritando, brava e dizendo: ”Desse jeito eu irei pegar uma contaminação, eu não sou sua empregada...” A paciente sem dizer uma palavra,  olhou para Ana e João e abaixou os olhos, muito insegura diante de todo aquela situação constrangedora.

ANA CLARA E O FRUTO DO ESPIRITO EM SUA VIDA

Ana clara ao perceber o desconforto da paciente,   abriu a porta do quarto e pediu que à funcionária fizesse a gentileza de acompanha-lá  por um momento até o corredor,   pois queria lhe falar. Ambas saíram do quarto, e Ana deixou a porta do quarto entreaberta, e disse para a funcionário do hospital, num tom de voz firme, mas baixo, com  mansidão e também com muito amor:

- “Minha Senhora: observe a minha amiga, praticamente ela esta em seus últimos momentos de vida,  com todos aqueles aparelhos e inconsciente...”. A funcionária observou a amiga de Ana.

 “Agora, minha Senhora, observe aquela outra paciente, da cama ao  lado, com aquele cateter no pescoço, debilitada, olhar triste e constrangida, que não recebe visitas há dias, e que molhou o chão, não intencionalmente, na qual a Senhora teve que limpar por várias vezes hoje". A funcionária observou a paciente debilitada.

- “Agora, eu lhe pergunto:  de que lado a Senhora gostaria de estar:  do lado de lá, e apontou para o quarto): “MOLHANDO O CHÃO”  – ou do lado de cá – “LIMPANDO O CHÃO?”. Não  houve resposta...

A FUNCIONÁRIA “CRESCEU” COM ANA CLARA

No outro dia, menos de vinte horas após o ocorrido, Ana Clara reencontrou aquela funcionária no corredor do hospital, que a  cumprimentou,  e disse com voz firme, mansa e com um olhar de amor: “Eu sinto muito pela sua amiga”. A funcionaria pegou nas mãos de Ana e as apertou firmemente, forte, muito forte... e novamente saiu sem dizer uma palavra...


CONCLUSÃO
Realmente, é cansativo “limparmos o chão”, muitas vezes faltará o amor e a paciência necessária para com os “doentes”: os doentes ditatoriais, de ódio, de preconceito, de inveja, de injustiça,  de maledicência,  de calunia, de falsidade, etc. Porém, quando olhamos pela porta entreaberta,  ampliamos a nossa visão,  enxergamos além dos “doentes”- enxergamos a cena do calvário – Jesus Cristo! Ficamos impactados e nos retiramos mudos... Menos de 24 horas depois  retornamos diferentes: crescemos!   agora olhamos os “doentes” com um  olhar de compaixão, somos muito mais humanos, mais parecidos com Jesus Cristo. Concluímos: “Melhor é estarmos do lado de cá, limpando o chão, do que estarmos do lado de lá...".

- Ensina-nos Senhor a “limparmos o chão”, quantas vezes forem necessário, com amor  no coração, com a alegria da salvação,  com a paz que excede todo entendimento, com a longanimidade, a benignidade e a bondade que nos são necessárias no dia a dia,  aumentando a nossa fé, dando nos mansidão,   temperança, auto domínio, imprescindível, que é o freio de nossas vidas, para que possamos perceber qual excelente é estarmos do lado de cá: limpando o chão molhado”, mas não molhando o chão.

"Ensina-nos a contar os nossos dias de tal maneira que alcancemos coração sabio” 
(Sl 90.2).

(Os nomes acima são fictícios para preservação dos mesmos)

Escrito por:
Maria Isabel da Silva Lima
Copyright: proibida a cópia, reprodução, distribuição, exibição, criação de obras derivadas e uso comercial sem a prévia permissão do autor.

segunda-feira, 7 de maio de 2012

PROCURA-SE ALEGRIA!

O ser  humano procura um motivo para ser feliz, para viver feliz. Expectativas são colocadas em coisas e pessoas desejando alcançar a "verdadeira felicidade". Mas, onde encontrá-la se após alguns poucos momentos felizes, tem-se a sensação de ter encontrado apenas migalhas desta alegria?

O homem procura a alegria por toda parte, em pessoas e coisas,  e a causa é uma só: o coração do homem não suporta viver sem alegria. Mas, como encontrar a verdadeira alegria? O Sábio Rei Salomão procurou  a alegria através  da riqueza, do poder, da fama, das honrarias, do amor das mulheres, dos prazeres, porém,  em sua imensa sabedoria  chegou a triste conclusão: vi que tudo era vaidade e aflição de espírito”. (Ec 2.11)

Assim como Salomão, o homem procura a alegria por toda a parte, porém, encontra somente migalhas dessa alegria. Encontra uma alegria momentânea que se acende como uma “faísca”, mas vai-se embora tão rapidamente como veio. A vida do homem sem comunhão com Deus não tem sentido e não pode levar à verdadeira felicidade, ainda que ele possua tudo nesta vida. 

A ALEGRIA QUE  “MURCHA”.  É fato, o ser humano sente uma exagerada alegria quando encontra “algo” que satisfaça o seu coração: amor, jogos, baladas, dias festivos: copa do mundo, carnaval, Natal, Ano novo, etc. Estes são dias, horas de superalegria! Euforia total! Mas, esta  alegria é apenas um ato. “... o  fim da alegria é tristeza (Pv 14.13) “... Pega-se na flor, seu brilho fenece”. “Do riso dize:  está doido, e da alegria: de que serve esta?”  (Ec 2.2). Termina o “algo”, termina também a alegria, essa foi passageira, transitória e ligeira, restou o vazio... 

O REI SALOMÃO PROCUROU A VERDADEIRA ALEGRIA
A Bíblia relata a história do Rei Salomão, que procurou a verdadeira alegria em "algo" que pudesse satisfazer o vazio de seu coração: “amou muitas mulheres...” (I Rs 11.1,3). “Fiz para mim obras magníficas... Adquiri servos e servas... tive grandes manadas de vacas, ovelhas...Amontoei prata e ouro, e jóias... provi-me de cantores e cantoras, e das delicias dos filhos dos homens...engrandeci-me, e sobrepujei a todos os que houve antes de mim em Jerusalém...”(Ec 2.1-9).

No fim,  o Rei chegou a triste conclusão: Olhei para todas as obras que as minhas mãos fizeram, como também para o trabalho que eu trabalhando tinha feito, e vi que tudo era vaidade e aflição de espírito, e que proveito nenhum havia debaixo do sol.” (Ec 2.11). Ele encontrou apenas uma alegria breve e momentânea, proveniente das coisas terrestres, que não satisfez a sua alma e nem o seu espírito. O júbilo de Salomão foi breve (Jó 20.5). 

DEUS É A FONTE DE TODA ALEGRIA
Todo homem possui a alegria natural,  mas repito, esta é somente um "ato", pois diante das coisas boas da vida seu coração se alegra, porém,  diante das coisas indesejáveis seu coração se entristece.

Mas,  além dessa alegria natural, o homem que está em comunhão com Deus, ainda tem o privilégio de possuir um outro tipo de alegria, que é a “alegria espiritual, sobrenatural,  que a Bíblia chama de "gozo". Esta alegria é fruto da graça de Deus e da habitação do Espírito Santo em sua vida. “Mas o fruto do Espírito é amor, gozo, paz, .longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio.”(Gl 5.22,23).

Esse gozo é real, não depende de circunstâncias externas,  mas depende única e exclusivamente do seu relacionamento com Deus.  É um gozo indizível, inefável (I Pe 1.8), que é melhor que felicidade,  é como uma  “chama” sempre acesa em sua vida, duradoura e eterna. Permanece em todos momentos: bons ou ruins,  pois está fundamentado em Jesus Cristo e nada pode arrancá-lo ou roubá-lo de seu coração. Este gozo é continuo na vida daqueles que têm comunhão com Deus. É um mistério divino! Foge à compreensão humana. Muitos não conseguem entender, mas podem sentir o vazio deixado em suas vidas  pela perda dessa verdadeira alegria, que é resultado da falta de comunhão com Deus. O homem  perdeu a verdadeira alegria  porque ficou longe do seu Criador, que é a fonte de toda alegria.

Quando o Rei Davi adulterou e cometeu um assassinato, perdeu a alegria da salvação em sua vida,  mas humildemente clamou a Deus: “...não retires de mim o teu Espírito Santo. Torna a dar-me a alegria da tua salvação” (Sl 51.12a).    

JÓ SOFREU MUITAS PERDAS, MAS NADA ROUBOU A VERDADEIRA ALEGRIA DE SEU CORAÇÃO.
Jó diante das adversidades, das perdas dos bens, dos filhos, da saúde, do apoio da esposa, da calunia dos amigos: “rasgou o seu manto, e rapou a sua cabeça, e se lançou em terra, e adorou” (Jó1.20). A alegria natural foi se embora, mas a alegria espiritual, ah, esta ninguém conseguiu arrancar de seu coração,  nem as tragédias. Esta alegria vem do coração de Deus para o coração humano. Jó declarou confiante:  “Eu sei que o meu Redentor vive...”(Jó 19.25).  Ele  vislumbrou um futuro glorioso, pois tinha acesa a chama da alegria da salvação em seu coração ao contemplar o seu Deus-Redentor,  sua alegria na vida e na  morte. Disse ele ainda:  “Ainda que ele me mate, contudo nele esperarei...ele conhece o meu caminho” (Jó 13.15; 23.10). 

JESUS VEIO TRAZER NOVAS DE GRANDE ALEGRIA
Esta virtude do Fruto do Espírito,  este gozo,   foi conquistada  por Jesus Cristo, na Cruz do Calvário, para toda a humanidade. Ele levou-nos novamente a Deus. Muitos dariam toda a sua fortuna para ter este gozo eterno em suas vidas, mas esta alegria não se compra, não se vende e não se troca. O preço foi caríssimo – O Sangue do Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo – Esta alegria é oferecida gratuitamente a todos os que Nele crerem e o receberem em seus corações. Jesus veio revelar-se e “trazer novas de grande alegria, que será para todo o povo” (Lc 2.10). 

CONCLUSÃO 
Procura-se a alegria! Onde encontrá-la? Em Jesus! Ele  é o motivo da verdadeira alegria.  Eu me regozijo muito no Senhor; a minha alma se alegra no meu Deus. Pois ele me cobriu com vestes de salvação...”  (Is 61.10).

O homem que tem Deus em sua vida canta e regozija o seu coração em poder desfrutar desta alegria, deste gozo indizível, desta comunhão que hoje ele tem novamente com o seu Criador. Dádiva proporcionada a Humanidade através do Filho de Deus,  JESUS CRISTO! ALEGRIA DOS HOMENS!


Isabel Lima
Copyright.




sábado, 5 de maio de 2012

A TENTAÇÃO E SEUS ATRATIVOS


Tentação à  luz da Bíblia é algo que incita, que convida o homem a pecar. “Mas cada um é tentado, quando atraído é engodado pela sua própria concupiscência. Depois, havendo a concupiscência concebido, dá luz ao pecado; e o pecado, sendo consumado, gera a morte”. (Tg 1.14,15). A leitura do presente texto, mostrará algumas "coisas" que exercem um poder de atração intensa sobre os seres humanos:
  
O QUE É "PROIBIDO" ATRAI O SER HUMANO
Temos o exemplo de Adão e Eva. O Senhor disse a eles: "De toda a árvore do jardim comerás  livremente, mas da árvore da ciência do bem e do mal, dela não comerás." (Gn 2.16,17). "Vendo a mulher que aquela árvore era boa para se comer, e agradável aos olhos, e árvore desejável para dar entendimento, tomou do seu fruto e comeu, e deu também ao seu marido, que estava com ela, e ele comeu" (Gn 3.6). As coisas proibidas exercem ainda maior fascínio sobre o coração humano. “As águas roubadas são doces, e o pão comido às ocultas é suave” (Pv 9.17).
Conseqüências deste ato, vieram sobre a vida deles e também para a toda a humanidade, dentre elas, a morte, que passa a  penetrar no mundo.  A  morte espiritual e moral do casal ocorreram imediatamente: perderam a comunhão com Deus, e seus sentimentos, pensamentos e vontades foram afetados pelo pecado.  Desde a planta do pé até a cabeça não há nele coisa sã, senão feridas, e inchaços, e chagas podres, não espremidas, nem ligadas, nem nenhuma delas amolecidas” (Is 1.6), Posteriormente ocorreu a morte física, “és pó e ao pó voltaras” (G.3.19). O salário do pecado é a morte” (Rm 6.23).
  
A "VANTAGEM PESSOAL" ATRAI O SER HUMANO
Isso ocorreu na vida de Ló, sobrinho do Patriarca Abraão. "A terra não podia sustentá-los, para que habitassem juntos, pois os seus bens eram muitos... houve contenda entre os pastores de gado de Abraão e os pastores de gado de Ló." (Gn 13.6,7). Abraão com sua alma  nobre, deixaou que o sobrinho escolhesse que direção tomar: direita ou esquerda. Ló  “levantou os seus  olhos e viu toda a campina do Jordão, que era bem regada....então, Ló escolheu pra si toda a campina do  Jordão e partiu Ló para o Oriente” (Gn 13.10,11). Ló viu apenas a campina bem regada, de Sodoma, Deus viu como eram os moradores daquela cidade. As consequências do seu materialismo,  seu egoísmo, de amar as vantagens pessoais mais do que a vontade de Deus, o levou a perder a esposa, e a ter uma descendência ímpia: os moabitas e os amonitas.

 O QUE É "VALIOSO" ATRAI O SER HUMANO
Acã, soldado do povo de Israel, na época de Josué, na tomada de Jericó, ele transgrediu o mandamento de Deus quando roubou, mentiu e escondeu em sua tenda, uma capa babilônica,   prata e o ouro. O certo é que a cidade, os habitantes e tudo o que nela existia foi considerado "anátema" ou "maldito" e   deveria ser destruído,    com exceção de Raabe e sua família, e da prata e do ouro que eram  dedicados a Deus. A morte do réu e de toda a sua família no vale sinistro de Acor foi a conseqüência de sua cobiça. (Js 7.25).
  
O "PODER" ATRAI O SER HUMANO
Posição, status, fama, atraem o homem. Satanás tentou Jesus oferecendo a Ele o domínio sobre todos os reinos do mundo, porém, Jesus rejeitou a oferta do diabo preferindo a morte de cruz. Ele  optou ter um caminho de sofrimento com Deus do que ter poderes e glórias terrenas com o diabo. A intenção de Satanás era que Jesus  desobedecesse  a Deus e saísse do centro de sua vontade perfeita e soberana. Se Jesus tivesse cedido aos apelos do diabo, hoje, toda a humanidade  caminharia a passos largos para o inferno, condenada a morte eterna e sem salvação.
  
A "BELEZA" ATRAI O SER HUMANO
Aqui temos o exemplo do Rei de Israel, Davi, que atraído pela beleza de Bate Seba,  não resistiu a tentação e concretizou o ato do adultério com a esposa de Urias, um de seus soldados, e o mais corajoso do reino. (II Sm 11.2-4). Sobrevieram consequências trágicas para Davi, sua família e seu reino: conseqüências físicas: (Sl 6.2),  consequências emocionais (II Sm 12.10-14; 13.11-14,33; 18.14) e consequências espirituais  – perdeu a alegria da salvação. (Sl 51.12)
Davi derramou muitas lágrimas: “Tem misericórdia de mim Senhor, porque sou fraco; sara-me... Já estou cansado do meu gemido; toda a noite faço nadar a minha cama, molho o meu leito com as minha lágrimas, já os meus olhos estão consumidos pela mágoa e têm envelhecido...” (Sl 6.2,6,7) . O coração quebrantado de Davi tocou o coração do Pai (Sl51.17), houve muito choro, mas no fim brotou uma fé inabalável. (Sl 6.8-10).

CONCLUSÃO
Estamos em guerra! O cristão esta empenhado numa guerra espiritual travada  mediante o poder do Espírito Santo, contra: a carne, (nossa natureza humana corrompida pelo pecado), o mundo, e Satanás. O Diabo conhece o ponto fraco de cada um, e sabe como colocar atrativos no caminho do cristão, ele não chegará com um garfo nas mãos e com dois chifrinhos, mas ele chegará trazendo o que é proibido e gostaríamos de ter e não temos,  o que é vantajoso,   o que é valioso, o que é poderoso e o que é belo, para pecarmos contra Deus.  Muitos, sem pensar, cedem às tentações e trocam Jesus por um prato de lentilha, mas no fim chorarão amargamente. “Há caminho que parece direito ao homem, mas o seu fim são os caminhos da morte”. (Pv 16.25).


Escrito por:
Maria Isabel da Silva Lima
Copyright: proibida a cópia, reprodução, distribuição, exibição, criação de obras derivadas e uso comercial sem a prévia permissão do autor.




terça-feira, 1 de maio de 2012

ZAQUEU TINHA UM DESEJO FORA DO COMUM: CONHECER JESUS!

Um homem pecador,  de pequena estatura, publicano,  rico,  corrupto, repelido pela sociedade, mas que venceu todas as barreiras para conhecer o Senhor.

Zaqueu, um “pequeno homem”, morador da cidade de Jericó, muito rico, chefe dos cobradores de impostos,  detestado pelos judeus,  corrupto, pois cobrava do povo além do que deveria, por isso, era considerado pela sociedade como ladrão. (Lc 19.1-10), entretanto, este chefe dos publicanos,  tinha um desejo fora do comum: conhecer Jesus!

E nós, qual é o nosso maior desejo? Termos uma boa casa,  um belo carro, um bom emprego,  um namorado,  um esposo, filhos, saúde, viagem... O que mais temos desejado nesta vida? Será que não estamos necessitados de  “ver” o Senhor, de conhecê-lo melhor, assim como Zaqueu?
  
Alguns impedimentos não permitiam Zaqueu ver a Jesus.
Haviam duas coisas que impediam Zaqueu de ver o Senhor: a multidão à sua volta, e a sua pequena estatura.  Quais os impedimentos que nos levam a não vermos Jesus, a não conhecê-lo melhor? Necessitamos de um conhecimento continuo do Senhor. Conheçamos e prossigamos em conhecer o Senhor” (Os 6.2).

Focamos muito mais a nossa pessoa, a família, o trabalho, o lazer, o estudo  e até mesmo a obra de Deus, e perdemos o foco. O foco principal é Jesus! “...olhando firmemente para Jesus, autor e consumador da nossa fé” (Hb 12.2a).

A atitude de Zaqueu para ver Jesus.
Ele correu adiante da multidão e subiu em  uma árvore, um sicomoro, um tipo de figueira brava, para ver o Senhor. Ele venceu todas as barreiras: a barreira da grande multidão;  a barreira da pequena estatura; a barreira do ridículo. Imaginem a cena inédita: um pequeno homem, rico, cobrador de impostos, odiado pela sociedade, subindo em uma árvore para ver Jesus passar...rs

A humildade de Zaqueu
O evangelho é um paradoxo: quanto  mais Zaqueu subia naquela árvore, mais ele “descia”, mais ele se humilhava. “...e o que a si mesmo se humilhar será exaltado” (Mt 23.12).  O que importava para ele era ver o Senhor.  E, quanto mais Zaqueu chegava perto de Jesus, mais a sua visão ia se acharando e ele enxergava o Senhor melhor. Para vermos a Jesus precisamos descer, nos tornamos pequenos, crianças... “Em verdade vos digo que se não vos converteres e não vos tornardes como  crianças, de modo algum entrareis  no reino dos céus. (Mt 18.3,4).

Jesus também reagiu de modo fora do comum para com Zaqueu
Quando Jesus chegou àquele local olhou para cima e deparou com aquela cena  inédita! Jesus falou para Zaqueu: “Zaqueu, desce desce depressa” e convidou-se a si mesmo para ser hóspede de Zaqueu: “porque,  hoje, me convém pousar em tua casa” .  Naquele momento Jesus superou todas as expectativas de Zaqueu!

Jamais passou pela cabeça de Zaqueu, que era rejeitado pela sociedade, que  Jesus o aceitarei.  Zaqueu obediente e apressado desceu  da árvore e foi exaltado por Jesus. O pequeno homem recebeu Jesus com júbilo, com gozo, com a alegria da salvação, que somente Jesus podia proporcionar a ele.  “Qualquer que a si mesmo se humilhar será exaltado” (Lc 18.14b).

Um coração quebrantado toca o coração do Pai
Jesus, provavelmente, ficou impressionado com a atitude daquele homem pecador. Deus não fica impressionado ao ver cristãos em suas igrejas que ensinam, que cantam, que regem, que pregam, que dão os dizimos, as ofertas,  etc, O crente toca o coração do Pai quando tem um coração quebrantado, um coração humilde, que se submete às suas ordens, à sua Santa Palavra. “...a um coração quebrantado e contrito não desprezarás ó Deus”. (Sl 51.17b).

Jesus foi criticado pelo povo
Diziam que Jesus entrara para ser hospede de um pecador.(Lc 19.7). O povo conseguiu enxergar o exterior de Zaqueu, Jesus enxergeu o profundo, o escondido, o coração quebrantado daquele homem. Ele não atentou para a aparência de Zaqueu, para o seu pecado, mas atentou para uma alma carente de salvação. “...O Senhor não vê como vê o homem. O homem olha para o que está diante dos olhos, porém o Senhor olha para o coração” (I Sm 16.7).
Zaqueu, um agiota, odiado e repelido  pela sociedade, por seu povo, mas aceito por Jesus.  Deus não faz acepção de pessoas. “Na verdade reconheço que Deus não faz acepção de pessoas”(At 10.34)

Jesus veio romover todas as distinções étnicas, raciais, nacionais, sociais e sexuais
Para Deus não importa se você é pobre, rico, branco, negro, culto, analfabeto, agiota, prostituta, menino de rua, mendigo, etc. O olhar de Jesus alcança a todos. Todos vós sois filhos de Deus pela fé em Cristo Jesus...Desta forma não há judeu nem grego, não há servo nem livre, hão há macho nem fêmea, poís todos vois sois um em Cristo Jesus. (Gl 3.26-28)

Zaqueu foi transformado por Jesus
“O homem quando tem um encontro com Jesus, ele entra por uma porta e sai por outra”, dizia o saudaoso Pr. Valdir Nunes Bícego.
“E, levantando-se Zaqueu, disse a Jesus: Senhor, eis que eu dou aos pobres metade dos meus bens; e, se em alguma coisa tenho defraudado alguém, o restittuo quadruplicado” (Lc 19.8).  Esse foi o resultado do seu contato pessoal com Cristo.
Antes um roubador, agora um doador, antes um defraudador, agora um restituidor. Jesus agora era o seu bem maior!

Antes um pecador perdido, agora um pecador achado, salvo por por Jesus. “E disse-lhe Jesus: Hoje veio a salvação a eta casa, pois também este é filho de Abraão. Porque o Filho do Homem veio buscar e salvar o que se havia perdido” (Lc 19..9,10).

Conclusão
Zaqueu venceu todos as barreiras para conhecer o Senhor. Ele  “enxergou” Jesus não somente como os olhos fisicos, mas também com os “olhos espirituais". Ele conheceu o Senhor pessoalmente e espiritualmente,  e esse conhecimento foi continuo em sua vida e será também nas nossas. Conheçamos e prossigamos em conhecer o Senhor. ” (Os. 6.2). O foco principal deve ser Jesus. Enxerguemos Jesus pelos "olhos da fé"! Enxerguemos pois que Ele está pronto a receber  um coração  contrito e carente de sua presença. Jesus superará todas as  expectativas de um coração humilde e quebrantado. “...a um coração quebrantado e contrito não desprezarás ó Deus”. ( Sl 51.17b)

Maria Isabel da Silva Lima
Copyright