sábado, 28 de abril de 2012

A MAIOR NECESSIDADE DO SER HUMANO: O AMOR!

O amor é a maior terapêutica que se conhece, principalmente o amor de Deus. O amor humano é também curativo, mas é limitado.  Os gregos foram os primeiros especialistas a estudar de modo sistemático e cientifico os fenômenos afetivos do amor. Daí vem as diferentes expressões do amor: 

- o amor INSTINTIVO.............Eros (gr)
- o amor AFETIVO...................Storge (gr)
- o amor FRATERNAL.............Phileo (gr)
- o amor DIVINO.....................Ágape (gr) 

AMOR INSTINTIVO – É o amor físico, amor sexual, paixão, etc. É um amor centrado no corpo,  baseado nas sensações e emoções. É natural o ser humano sentir esse tipo de amor,  porém, ele tem que estar ligado com o amor afetivo, caso contrário ele torna-se somente erótico, interesseiro, permissivo, leviano, irresponsável e descontrolado. Controla a pessoa toda, inclusive o raciocínio. 

AMOR AFETIVO – É o amor romântico, amor familiar, amor conjugal. Ele une almas, vidas, corações: cônjuges,  filhos,  pais, irmãos, avós,  sobrinhos, etc 

AMOR FRATERNAL – É amizade, afeição, amor ao próximo, amor filantrópico, amor social, amor comunitário, amor patriótico, amor altruísta, “calor humano”.

AMOR AGAPE – É o amor Divino. Deus é a personificação desse amor. Jesus é o perfeito exemplo desse amor. A perfeita descrição desse amor está descrito na Bíblia Sagrada na Primeira Epístola aos Coríntios 13.1-13.  Esse amor é um caminho sobremodo excelente! É um um amor  paciente,  benigno, que se  regojiza com a verdade, que tudo sofre, que tudo  crê, que tudo  espera,  que tudo suporta. Este amor não é invejoso, não é soberbo, não é leviano, não é indecente, não é interesseiro, não se irrita,  não suspeita mal, não se alegra com a injustiça. 

O amor humano é limitado. O ser humano necessita do AMOR AGAPE em  sua vida para amar o seu próximo. Corações estão carentes desse amor, pois o amor de muitos esfriou.  O amor cristão é possível somente em quem vive no poder de Cristo habitando no intimo ser.

Como nós temos nos comportado com relação ao amor? Amar é uma atitude do coração, da mente,  da vontade. Ele atua na personalidade humana. Cabe a cada um decidir: “amar” ou  “não amar” em suas diferentes expressões. 

De todas as virtudes o AMOR É SUPREMO!

“O AMOR NUNCA FALHA”. 

Isabel Lima
Copyright
FONTES:
- Apóstila: Pr. GILBERTO, Antonio. Psicólogo e Bel. em Teologia
- O Novo COMENTÁRIO DA BIBLIA: DAVIDSON: colaboradores A.M. Stibbs, E.F. Kevan: 3º. Ed.São Paulo: vida Nova, 1997.

terça-feira, 24 de abril de 2012

Voarei, ao encontro do Amado!

Aos olhos humano ela é dolorosa
Ao olhos de Deus ela é preciosa
Digo porém, ela é poderosa!

Ferroa sem piedade
É uma calamidade, saudades...
Muito sofrido, sem colorido.

Ás vezes chega  de mansinho
Bem devagarinho e suavemente
Apanha uma flor.

Também pode chegar de repende
Abruptamente...
E rapidamente cortar uma flor.

Seja da forma que for...
Estarei no Paraíso
Confortável, descansado...
Em um jardim encantado
Passeando...
De mãos dados com o Amado. 

Viver é um dom divino
Porém, não me desespero
Sei  que um dia eu subirei
E em seus braços "dormirei"
Sossegarei...

Talvez eu não a enfrentarei,
Pois transformado serei,
Como um anjo voarei,
Ao “encontro” do meu Rei!

"Dormindo" ou acordado,
Anseio estar com o Amado,
Haendel, bem que entendeu,
O “mestre dos efeitos” escreveu:
“Pra Sempre e sempre...
Aleluia, Aleluia!”
Amém.

Um paradoxo,
Quem diria?
Por isso, não chores...
Consolai-vos com estes versos
Agora, de um simples mortal
Mas um dia, imortal!


"Melhor é o fim das coisas do que o principio delas" (Ec 7.8)
"Onde está, ó morte o teu aguilhão" (I Co 15.55) 

Maria Isabel da Silva Lima
Todos os direitos reservados

quinta-feira, 19 de abril de 2012

POR QUAL RAZÃO, AS IRMÃS BRASILEIRAS HÃO DE FICAR ATRASADAS?


“As irmãs (...) precisam convencer-se de que podem fazer mais do que tratar dos deveres domésticos (...).


Palavras ditas por Frida Vingren em 1931, mas superatualizadas em pleno século XXI. Missionária sueca, exerceu importante papel na fundação das Assembleias de Deus no Brasil, uma mulher valente, à frente de seu tempo: “tinha o dom de ensinar e pregar como  ninguém, e por essa razão sofreu muita perseguição”, principalmente pela liderança pioneira masculina das Assembléia de Deus no Brasil. Gunnar seu  esposo era seu ardoroso defensor. Leia e reflita sobre sua fala de incentivo à todas mulheres cristãs brasileiras.

“DEUS MOBILIZANDO SUAS TROPAS” (Frida Vingren – 1931)

- “Mobilização é um movimento pertencente às guerras. É o acto de preparação das tropas para a lucta (...) quando a  guerra é declarada numa nação, chama-se o povo para a mobilização (...).

Despertemos-nos, para attender ao chamado do Rei, analistando-nos nas Suas fileiras. As irmãs das "Assembleías de Deus" que egualmente, como os irmãos tem recebido do Espírito Santo, e portanto, possuem a mesma responsabilidade de levar a mensagem aos pecadores precisam convencer-se de que podem fazer mais do que tratar de deveres domésticos. Sim, podem também quando chamadas pelo Espírito Santo sahir e annunciar o Evangelho. Em todas as partes do mundo, e especialmente no trabalho pentecostal, as irmãs tomam grande parte na evangelização. Na Suécia, paiz pequeno (...) existe um grande número de irmãs (...) trabalhando exclusivamente no Evangelho. Dirigem cultos, testificam e falam a palavra (...)Por qual razão, as irmãs brasileiras hão de ficar atrasadas? (...) Não há tempo a perder. Jesus vem em breve. O Senhor diz: “A quem enviarei, e quem á de ir por nós: Diremos nós: “Eis me aqui, envia-me a mim”.” (mantida a grafia da época).

Mensageiro da Paz, ano I, n. 3, de 1 de fevereiro de 1931 






segunda-feira, 16 de abril de 2012

Procuram-se Culpados!

Diante dos sonhos que falharam, diante dos desapontamentos, diante dos objetivos não alcançados, diante dos planejamentos  não concretizados, diante do casamento destruído, do filho viciado, do emprego perdido, etc, a tendência  é sempre procurarmos culpados.

A inclinação humana é sempre achar culpados ante as mudanças e variações das coisas: seja Deus, o cônjuge, os filhos, os pais, os amigos, os vizinhos, os irmãos da igreja, o Pastor, o chefe, os colegas, etc. Jesus preveniu-nos: “No mundo tereis aflições” (Jó 16.33), mas em nenhum momento Ele disse que diante das aflições deveriamos buscar culpados,  porém,   ordenou-nos sabiamente que houvesse “bom animo diante de tais aflições”.

Isso ocorreu com nossos primeiros pais, Adão e Eva,  e ocorre conosco. Há uma disposição para isentar-nos de culpas e acharmos culpados quando as coisas não saem do jeito "certo", do jeito desejado, sonhado... Adão ao desobedecer a Deus e  comer do fruto proibido e ser descoberto e interrogado por Deus, não assumiu a sua culpa e apontou o dedo para Eva, sua ajudadora: A mulher que tu me deste, ela me deu da árvore, e comi” (Gn 3.12). Não diferente de Adão agiu Eva, quando Deus a interrogou ela fugiu de sua  responsabilidade e culpou a serpente: “A serpente me enganou, e eu comi” (Gn 3.13). Realmente, a serpente a havia influenciado, mas ela  esqueceu-se que Deus a havia  dotado de “livre arbítrio ou direito de fazer  escolhas: de obedecer,  de desobedecer, de comer, de não comer, de dizer sim, de dizer não. Ela poderia  ter rejeitado o fruto, assim como Adão, mas optaram por comê-lo conscientes de que desobedeciam a Deus. 

Jesus, quando tentado no deserto fez uso de seu livre arbítrio para rejeitar todas as ofertas propostas por Satanás. (Mt 4.1-11). Aqui aprendemos uma lição:  o diabo nem sempre tem culpa de tudo que acontece em nossas vidas. O ser humano é dotado de liberdade como era Adão,  como era  Eva e como era Jesus. Liberdade para  escolher o seu próprio caminho. Adão e Eva, como seres livres, ouviram a voz da serpente e escolheram o caminho da desobediência,   Jesus, como um ser livre, rejeitou as propostas de Satanás   e escolheu o caminho da  obediência.

Dores, angústias, tristezas, provações, etc, fazem parte do caminhar  peregrino aqui nesta terra.  Em oração,  devemos pedir a Deus, que o seu Santo Espírito venha ajudar-nos diante das fraquezas, pois “Ele intercede  por nós com gemidos inexprimíveis. (Rm 8.26).

Diz a Palavra de Deus, “A sabedoria é Suprema” (Pv 4.7). Se temos falta dela, devemos pedi-la a Deus (Tg 1.5). A sabedoria leva a um crescer contínuo, “a vereda do justo, é como a luz da aurora, que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito” (Pv 4.18). Como cidadãos e  cristãos, em pleno desenvolvimento humano e espiritual, devemos pedir a Deus muita sabedoria,  sempre, para assumirmos  falhas,  erros e  parcelas de culpas diante dos acontecimentos da vida.

Repito, a tendência do ser humano  quando algo sai errado em sua vida, quando algo foge de seu controle, é sempre achar culpados, principalmente os que estão mais próximos. Nunca devemos esquecer que, muitas vezes,  a parcela de culpa do que acusa é igual ou ainda maior daqueles que são acusados,   daqueles  que são considerados como os maiores causadores das grandes dores e dos grandes males alheios.

Alguns tentam  enganar o próprio Deus, ao isentar-se de toda e qualquer culpa, e o pior, tentam enganar-se si  mesmo, já que Deus não se deixa enganar.  Fazem-se vitimas do destino, reclamam da vida: “ó céus, ó dor! Nada dá certo para mim”, mas nunca pararam para se autoavaliar, ter um olhar introspectivo, não mentir para si próprio. É muito difícil o ser humano olhar para dentro de si, dói na alma assumir mazelas interiores.

Enquanto nesta vida,  pessoas não assumirem diante de Deus, e muitas vezes diante daqueles nas quais elas apontam  o dedo como “culpados”, e principalmente diante delas mesmas, que  também têm defeitos e muitas vezes não são tão inocentes como pensam, sendo também causadores de males e decepção a outros que estão à sua volta,  Deus não poderá e não terá como trabalhar em suas vidas.

Jesus foi traído por um amigo, negado por outro, abandonado por todos, e em nenhum momento disse que estava na cruz por causa de A ou B. Que cada cristão possa ter o caráter de Cristo e não viver a apontar o dedo para outros, pois enquanto  apontarmos o dedo para o nosso próximo,  ainda existem  três dedos apontados em  nossa direção e um dedo apontado para Deus.

Que o Senhor Jesus nos ajude a seguirmos avante, libertos da escravidão do passado,  libertos da procura de culpados para as coisas que não aconteceram e não saíram como era sonhado ou idealizado em nossas vidas.

“Esquecendo-me das  coisas que atrás ficam e avançando para as que estão diante de mim, prossigo para alvo, pelo premio da soberana vocação em Cristo Jesus (Fp 3.13)

Isabel Lima
Copyright

O encontro do amor com o perdão

"O amor e o perdão se encontraram no último suspiro da cruz"


Maria Isabel da Silva Lima
Todos os direitos reservados