terça-feira, 30 de outubro de 2012

O ESPÍRITO SANTO ANTES E APÓS O PENTECOSTE - PARTE - I

Muitos erros e confusões existem em nossos dias no tocante às manifestações do Espírito Santo. Muitos equívocos têm sustentado pontos de vista errôneos à respeito desta doutrina.

O Espírito Santo pré-existiu como a Terceira Pessoa da Divindade, e nessa qualidade esteve sempre ativo. Atuou de forma marcante na criação (Sl 104.30), nas vida dos Patriarcas, dos Juízes, dos Reis, dos Profetas, capacitando-os a exercitarem importantes tarefas. Porém,  o período que antecedeu o dia de Pentecoste não foi a época de Sua atividade especial.

O Espírito Santo antes do dia de Pentecoste
Foi um período de preparação e espera, o Espirito Santo descia sobre  os homens apenas temporariamente, a fim de inspirá-los para um serviço especial, quando a tarefa terminava Ele os “deixava”. Ele não permanecia e nem habitava nos homens.

O Espírito Santo após o dia do Pentecoste
Período que se estende desde o dia do Pentecoste até os nossos dias, pode legitimamente ser chamado de dispensação do Espírito. Assim como no Antigo testamento, Deus aparecia aos homens,  e durante a vida de terrena de Jesus, Cristo habitou entre os homens, semelhantemente, após o dia do pentecoste Deus veio para habitar nos homens. Ele veio para permanecer. O dia de Pentecoste marcou o raiar de um novo dia nas relações entre o Espírito Santo e a  humanidade. Ele veio  para habitar na Igreja. Todo o trabalho eficaz que a Igreja tem feito  tem sido realizado no poder do Espírito.

Espírito Santo “batiza” o crente o Corpo de Cristo
Este ato tem lugar por ocasião da conversão, mediante o qual a pessoa se torna membro do corpo de Cristo, unindo-a esse corpo, fazendo com que ela seja um só com os demais crentes: “Pois todos nós fomos batizados em um Espírito, formando um corpo, quer judeus, quer gregos, quer servos, quer livres, e todos temos bebido de um Espírito” ( I Co 12. 13)

O Espírito Sela o Crente, tornando-o propriedade Sua
Este selo não é a evidência de falar em línguas estranhas, este selo é o Espírito Santo, que é dado ao crente como marca ou  evidência de que somos propriedade de Deus.  O Espírito Santo é o selo de propriedade que Deus põe sobre a minha e a sua vida,  é o carimbo divino, é a garantia da herança eterna: “Depois que ouvistes a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação; e tendo nele também crido, fostes selados com o Espírito Santo da promessa” ( Ef 1.13). O Espírito Santo produz no crente um caráter santo em sua personalidade. (II Co 3.18; Gl 5.22).

“Os crentes de Éfeso podiam compreender perfeitamente a ilustração do selo, pois Êfeso era porto de mar, com ativo negócio de madeiras. O comerciante em madeira vinha a Êfeso, selecionava e comprava sua madeira, e seleva-a com a marca reconhecida de que ela lhe pertencia. Frequentemente deixava sua compra no porto, juntamente com outras jangadas, para depois enviar um agente de confiança, que comparava o sinal do selo e levava a madeira que pertencia ao seu legítimo proprietário".

Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário