terça-feira, 10 de julho de 2012

NÃO TROQUE SUA "HERANÇA" POR UM PRATO DE LENTILHA

 Satanás conseguiu roubar do homem tudo o que o ele tinha de valor,  mas Jesus Cristo conquistou de volta   todo “patrimônio espiritual”  para  os filhos de Deus,  herdeiros legítimos do Pai Eterno. 

Jesus, Filho unigênito de Deus, e nós “feitos” filhos de Deus, temos uma herança em comum com Cristo. Herança válida somente depois de morte de Jesus Cristo: “Coube-me uma formosa herança” (Sl 16.6). "Eu vos dou...". Jesus nos deu: a salvação, a vida, o amor, o perdão,  a Palavra de Deus,  a autoridade, o poder, os dons espirituais, a glória, etc. Estas, são bênçãos espirituais que  acompanham tão grande salvação!

O homem quando desobedeceu a Deus e pecou, perdeu tudo o que ele tinha de valor, Satanás deixou o homem  “miserável, pobre, cego e nú”, porém, “Deus amou o mundo de tal  maneira que deu o seu filho unigênito”, Jesus,  o “valente de Jacó”,  que enfrentou Satanás e restituiu para o homem tudo o que foi roubado pelo inimigo. Na cruz, Jesus pagou um preço altíssimo para que cada filho de Deus tenha de volta toda a sua “herança incorruptível”:  “E, somos filhos, somos logo, herdeiros também, herdeiros de Deus e co-herdeiros de Cristo”. (Rm 8.17)

Muitos não valorizaram esta herança: Esaú desprezou a herança, o filho pródigo desperdiçou a herança,  o irmão do filho pródigo não usufruiu a herança, porém, Nabote  valorizou a sua herança: não doou, não trocou e não vendeu, foi fiel até a morte,  mas de sua herança ele não abriu mão.

Esaú desprezou a sua herança, ele vendeu o seu “direito de primogenitura” por um prato de lentilhas, A primogenitura dava a ele o direito de: liderar a adoração a Deus e chefiar a família; dupla porção da herança paterna, (2/3 da fazenda); direito à benção do concerto, conforme Deus prometera a Abraão. Mas, no ímpeto do cansaço e da fome, ele não teve autocontrole para dizer “não” a uma necessidade momentânea e desprezou bênçãos espirituais por um “guizado vermelho”.  “E Jacó cozera um guizado; e veio Esaú do campo e estava ele cansado. E disse Esaú a Jacó: Deixa-me peço-te, comer desse guizado vermelho, porque estou cansado.” (Gn 25.29,30)

Quão pouco Esaú valorizou a sua primogenitura,  menos do que um prato de lentilha. Por livre escolha, optou por trocar as bênçãos de Deus por prazeres momentâneos e efêmeros. Jacó ao contrário de seu irmão, desejou as bênçãos de Deus para sua vida e dele vieram as doze tribos de Israel, e da tribo de Judá veio o Salvador do mundo, Jesus Cristo, o Filho de Deus.

O Filho Pródigo desperdiçou a sua herança: “Um certo homem tinha dois filhos. E o mais moço dele disse ao Pai: Pai, dá-me a parte da fazenda que me pertence. E ele repartiu por ele a fazenda. E poucos dias depois, o filho mais moço, ajuntando tudo, partiu para uma terra longíngua e ali desperdiçou a sua fazenda, vivendo dissolutamente. E, havendo ele gastado tudo,  houve naquela terra uma grande fome, e começou a padecer necessidade.” (Lc15.11-24).

De repente o moço se viu sem o Pai, sem o irmão, sem um lar, sem alimento, sem  paz, sem alegria, sem  amor, sem  bondade, sem amigos e sem dinheiro.  O mundo somente usufruiu de sua herança, de sua vida, de seu amor, de sua bondade, de seus dons, de seus talentos, etc. Quando chegou o tempo da fome, o mundo não tinha "alimento" para dar ao filho pródigo,   chegou ao extremo de desejar comer as alfarrobas que os porcos comiam, mas ninguém lhe dava nada.

Não diferente acontece com os cristãos que “partem” da  casa do Pai, enquanto eles tiverem “algo” para oferecer ao mundo, o mundo será seu amigo, quando acabar a "herança",  acabará também  os “amigos”, as mulheres, as festas, etc. Assim como o filho pródigo,  restará somente a pobreza,  a solidão, a fome. Restará somente retornar à casa do Pai.  E foi exatamente o que ele fez, pois, caindo em si e arrependido, voltou para os braços do Pai. O Pai vendo-o se moveu de intima compaixão. Entretanto, diferente foi a atutude de seu irmão mais velho, o primogênito,  que como uma criança enciumada foi queixar-se com o Pai: “Respondendo ele, disse ao pai: Eis que te sirvo há tantos anos...e nunca me deste nem um cabrito para alegrar-me com meus amigos” (Lc 15.29).

O irmão do Filho Pródigo não usufruiu de sua herança
Nunca, o filho primogênito havia tomado posse da herança que lhe pertencia por direito e em dobro por ser o filho mais velho. O Pai respondeu: Filho [literalmente "criança"], tu sempre estas comigo, e todas as minhas coisas são tuas.   Faltava ao filho mais velho dialogar com o Pai, para conhecer tudo o que lhe pertencia por direito.  O Pai quer ouvir a voz de seus filhos: “Mostra-me a tua face, e faze-me ouvir a tua voz, pois tua voz é doce e o teu rosto formoso” (Ct 2.14). O Pai quer ter mais comunhão com o filho, e quer que ele usufrua de sua herança.

Há cristãos que  não usufruem de sua herança na qual foi conquistada por Jesus na cruz do cálvário. O cristão é herdeiro de Deus e co-herdeiro com Cristo. Temos uma herança na casa do Pai, devemos tomar posse dela!

Nabote valorizou a sua herança
“Tendo Nabote, o jezreelita, uma vinha que em Jesreel estava junto ao palácio do Acabe, rei de Samaria, disse este a Nabote, dizendo: Dá-me a tua vinha, para que me sirva de horta, porque esta vizinha, ao da minha casa. E te darei por ela outra vinha melhor, ou, se for do teu agrado,  dar-te-ei por ela o seu valor em  dinheiro. Porém Nabote disse a Acabe: Guarde-me o Senhor de que eu te dê a herança de meus pais”.  (I Rs 21.1,2)

Hoje, muitos estão trocando a sua herança por um prato de lentilha: por um namorado, por dinheiro, por status, por poder, por sexo, por vaidade, por algum capricho, porém,  no fim chorarão amargamente: "Ninguém seja devasso, ou profano, como foi Esaú, que por uma refeição vendeu o seu direito de primogenitura. Depois...querendo ele herdar a benção, foi rejeitado. Não achou lugar de arrependimento, embora com lágrimas o tivesse buscado". (Hb 12.16,17).

Diferente de Esaú, do filho pródigo e de seu irmão, Nabote valorizou a sua herança!  Jezabel, esposa do Rei Acabe, matou Nabote e tomou a herança dele para o esposo,  portanto, ele morreu, mas não doou, não trocou e não vendeu a herança que ele havia recebido. Com Satanás não tem acordo! Assim como Nabote, que saibamos valorizar a herança que Deus nos deixou através de seu Filho Jesus Cristo. “Sede sóbrio, vigiai. O vosso adversário, o diabo, anda em derredor, rugindo como leão, buscando a quem possa tragar”. (I Pe 5.8).

Não desprezemos,   não desperdicemos a "herança celestial" que  Deus Pai nos deixou. Usufruamos e valorizemos tal herança, são bênçãos que acompanham tão grande salvação. “Se fiel até a morte e dar-te-ei a coroa da vida” (Ap 2.10). 

Satanás roubou a nossa "herança",  mas Jesus conquistou de volta todo o nosso “patrimônio espiritual”, somos herdeiros legítimos do Pai Eterno. “A herança de Deus é tudo, chegamos no fim da vida e não conseguimos usufruir de tudo o que Deus tem para nós. O testamento já foi assinado, temos que entrar na presença de Deus e receber as suas bençãos em nossa vida", dizia o saudoso Pastor Valdir Nunes Bícego. “Venho sem demora. Guarda o que tens, para que ninguém tome a tua corôa”. (Ap 3.11)


Isabel Lima
Copyright

2 comentários: