terça-feira, 1 de maio de 2012

ZAQUEU TINHA UM DESEJO FORA DO COMUM: CONHECER JESUS!

Um homem pecador,  de pequena estatura, publicano,  rico,  corrupto, repelido pela sociedade, mas que venceu todas as barreiras para conhecer o Senhor.

Zaqueu, um “pequeno homem”, morador da cidade de Jericó, muito rico, chefe dos cobradores de impostos,  detestado pelos judeus,  corrupto, pois cobrava do povo além do que deveria, por isso, era considerado pela sociedade como ladrão. (Lc 19.1-10), entretanto, este chefe dos publicanos,  tinha um desejo fora do comum: conhecer Jesus!

E nós, qual é o nosso maior desejo? Termos uma boa casa,  um belo carro, um bom emprego,  um namorado,  um esposo, filhos, saúde, viagem... O que mais temos desejado nesta vida? Será que não estamos necessitados de  “ver” o Senhor, de conhecê-lo melhor, assim como Zaqueu?
  
Alguns impedimentos não permitiam Zaqueu ver a Jesus.
Haviam duas coisas que impediam Zaqueu de ver o Senhor: a multidão à sua volta, e a sua pequena estatura.  Quais os impedimentos que nos levam a não vermos Jesus, a não conhecê-lo melhor? Necessitamos de um conhecimento continuo do Senhor. Conheçamos e prossigamos em conhecer o Senhor” (Os 6.2).

Focamos muito mais a nossa pessoa, a família, o trabalho, o lazer, o estudo  e até mesmo a obra de Deus, e perdemos o foco. O foco principal é Jesus! “...olhando firmemente para Jesus, autor e consumador da nossa fé” (Hb 12.2a).

A atitude de Zaqueu para ver Jesus.
Ele correu adiante da multidão e subiu em  uma árvore, um sicomoro, um tipo de figueira brava, para ver o Senhor. Ele venceu todas as barreiras: a barreira da grande multidão;  a barreira da pequena estatura; a barreira do ridículo. Imaginem a cena inédita: um pequeno homem, rico, cobrador de impostos, odiado pela sociedade, subindo em uma árvore para ver Jesus passar...rs

A humildade de Zaqueu
O evangelho é um paradoxo: quanto  mais Zaqueu subia naquela árvore, mais ele “descia”, mais ele se humilhava. “...e o que a si mesmo se humilhar será exaltado” (Mt 23.12).  O que importava para ele era ver o Senhor.  E, quanto mais Zaqueu chegava perto de Jesus, mais a sua visão ia se acharando e ele enxergava o Senhor melhor. Para vermos a Jesus precisamos descer, nos tornamos pequenos, crianças... “Em verdade vos digo que se não vos converteres e não vos tornardes como  crianças, de modo algum entrareis  no reino dos céus. (Mt 18.3,4).

Jesus também reagiu de modo fora do comum para com Zaqueu
Quando Jesus chegou àquele local olhou para cima e deparou com aquela cena  inédita! Jesus falou para Zaqueu: “Zaqueu, desce desce depressa” e convidou-se a si mesmo para ser hóspede de Zaqueu: “porque,  hoje, me convém pousar em tua casa” .  Naquele momento Jesus superou todas as expectativas de Zaqueu!

Jamais passou pela cabeça de Zaqueu, que era rejeitado pela sociedade, que  Jesus o aceitarei.  Zaqueu obediente e apressado desceu  da árvore e foi exaltado por Jesus. O pequeno homem recebeu Jesus com júbilo, com gozo, com a alegria da salvação, que somente Jesus podia proporcionar a ele.  “Qualquer que a si mesmo se humilhar será exaltado” (Lc 18.14b).

Um coração quebrantado toca o coração do Pai
Jesus, provavelmente, ficou impressionado com a atitude daquele homem pecador. Deus não fica impressionado ao ver cristãos em suas igrejas que ensinam, que cantam, que regem, que pregam, que dão os dizimos, as ofertas,  etc, O crente toca o coração do Pai quando tem um coração quebrantado, um coração humilde, que se submete às suas ordens, à sua Santa Palavra. “...a um coração quebrantado e contrito não desprezarás ó Deus”. (Sl 51.17b).

Jesus foi criticado pelo povo
Diziam que Jesus entrara para ser hospede de um pecador.(Lc 19.7). O povo conseguiu enxergar o exterior de Zaqueu, Jesus enxergeu o profundo, o escondido, o coração quebrantado daquele homem. Ele não atentou para a aparência de Zaqueu, para o seu pecado, mas atentou para uma alma carente de salvação. “...O Senhor não vê como vê o homem. O homem olha para o que está diante dos olhos, porém o Senhor olha para o coração” (I Sm 16.7).
Zaqueu, um agiota, odiado e repelido  pela sociedade, por seu povo, mas aceito por Jesus.  Deus não faz acepção de pessoas. “Na verdade reconheço que Deus não faz acepção de pessoas”(At 10.34)

Jesus veio romover todas as distinções étnicas, raciais, nacionais, sociais e sexuais
Para Deus não importa se você é pobre, rico, branco, negro, culto, analfabeto, agiota, prostituta, menino de rua, mendigo, etc. O olhar de Jesus alcança a todos. Todos vós sois filhos de Deus pela fé em Cristo Jesus...Desta forma não há judeu nem grego, não há servo nem livre, hão há macho nem fêmea, poís todos vois sois um em Cristo Jesus. (Gl 3.26-28)

Zaqueu foi transformado por Jesus
“O homem quando tem um encontro com Jesus, ele entra por uma porta e sai por outra”, dizia o saudaoso Pr. Valdir Nunes Bícego.
“E, levantando-se Zaqueu, disse a Jesus: Senhor, eis que eu dou aos pobres metade dos meus bens; e, se em alguma coisa tenho defraudado alguém, o restittuo quadruplicado” (Lc 19.8).  Esse foi o resultado do seu contato pessoal com Cristo.
Antes um roubador, agora um doador, antes um defraudador, agora um restituidor. Jesus agora era o seu bem maior!

Antes um pecador perdido, agora um pecador achado, salvo por por Jesus. “E disse-lhe Jesus: Hoje veio a salvação a eta casa, pois também este é filho de Abraão. Porque o Filho do Homem veio buscar e salvar o que se havia perdido” (Lc 19..9,10).

Conclusão
Zaqueu venceu todos as barreiras para conhecer o Senhor. Ele  “enxergou” Jesus não somente como os olhos fisicos, mas também com os “olhos espirituais". Ele conheceu o Senhor pessoalmente e espiritualmente,  e esse conhecimento foi continuo em sua vida e será também nas nossas. Conheçamos e prossigamos em conhecer o Senhor. ” (Os. 6.2). O foco principal deve ser Jesus. Enxerguemos Jesus pelos "olhos da fé"! Enxerguemos pois que Ele está pronto a receber  um coração  contrito e carente de sua presença. Jesus superará todas as  expectativas de um coração humilde e quebrantado. “...a um coração quebrantado e contrito não desprezarás ó Deus”. ( Sl 51.17b)

Maria Isabel da Silva Lima
Copyright 

Nenhum comentário:

Postar um comentário