sábado, 28 de abril de 2012

A MAIOR NECESSIDADE DO SER HUMANO: O AMOR!

O amor é a maior terapêutica que se conhece, principalmente o amor de Deus. O amor humano é também curativo, mas é limitado.  Os gregos foram os primeiros especialistas a estudar de modo sistemático e cientifico os fenômenos afetivos do amor. Daí vem as diferentes expressões do amor: 

- o amor INSTINTIVO.............Eros (gr)
- o amor AFETIVO...................Storge (gr)
- o amor FRATERNAL.............Phileo (gr)
- o amor DIVINO.....................Ágape (gr) 

AMOR INSTINTIVO – É o amor físico, amor sexual, paixão, etc. É um amor centrado no corpo,  baseado nas sensações e emoções. É natural o ser humano sentir esse tipo de amor,  porém, ele tem que estar ligado com o amor afetivo, caso contrário ele torna-se somente erótico, interesseiro, permissivo, leviano, irresponsável e descontrolado. Controla a pessoa toda, inclusive o raciocínio. 

AMOR AFETIVO – É o amor romântico, amor familiar, amor conjugal. Ele une almas, vidas, corações: cônjuges,  filhos,  pais, irmãos, avós,  sobrinhos, etc 

AMOR FRATERNAL – É amizade, afeição, amor ao próximo, amor filantrópico, amor social, amor comunitário, amor patriótico, amor altruísta, “calor humano”.

AMOR AGAPE – É o amor Divino. Deus é a personificação desse amor. Jesus é o perfeito exemplo desse amor. A perfeita descrição desse amor está descrito na Bíblia Sagrada na Primeira Epístola aos Coríntios 13.1-13.  Esse amor é um caminho sobremodo excelente! É um um amor  paciente,  benigno, que se  regojiza com a verdade, que tudo sofre, que tudo  crê, que tudo  espera,  que tudo suporta. Este amor não é invejoso, não é soberbo, não é leviano, não é indecente, não é interesseiro, não se irrita,  não suspeita mal, não se alegra com a injustiça. 

O amor humano é limitado. O ser humano necessita do AMOR AGAPE em  sua vida para amar o seu próximo. Corações estão carentes desse amor, pois o amor de muitos esfriou.  O amor cristão é possível somente em quem vive no poder de Cristo habitando no intimo ser.

Como nós temos nos comportado com relação ao amor? Amar é uma atitude do coração, da mente,  da vontade. Ele atua na personalidade humana. Cabe a cada um decidir: “amar” ou  “não amar” em suas diferentes expressões. 

De todas as virtudes o AMOR É SUPREMO!

“O AMOR NUNCA FALHA”. 

Isabel Lima
Copyright
FONTES:
- Apóstila: Pr. GILBERTO, Antonio. Psicólogo e Bel. em Teologia
- O Novo COMENTÁRIO DA BIBLIA: DAVIDSON: colaboradores A.M. Stibbs, E.F. Kevan: 3º. Ed.São Paulo: vida Nova, 1997.

Nenhum comentário:

Postar um comentário